Locus  

Avaliação da casca de algodão para novilhos de origem leiteira e determinação da excreção de creatinina e produção de proteína microbiana em novilhas e vacas leiteiras

Show simple item record

dc.contributor Leão, Maria Ignez
dc.contributor Valadares, Rilene Ferreira Diniz
dc.contributor.advisor Valadares Filho, Sebastião de Campos
dc.creator Chizzotti, Mario Luiz
dc.date.accessioned 2017-07-13T17:34:42Z
dc.date.available 2017-07-13T17:34:42Z
dc.date.issued 2004-02-16
dc.identifier.citation CHIZZOTTI, Mario Luiz. Avaliação da casca de algodão para novilhos de origem leiteira e determinação da excreção de creatinina e produção de proteína microbiana em novilhas e vacas leiteiras. 2004. 132 f. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2004. pt-BR
dc.identifier.uri http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/11266
dc.description.abstract O presente trabalho foi desenvolvido a partir de quatro experimentos. No primeiro foram utilizados quatro animais de grau de sangue predominantemente Holandês, fistulados no rúmen, com peso médio de 259 kg, objetivando-se avaliar o efeito dos níveis de casca de algodão na dieta de bovinos sobre os consumos e digestibilidades totais e parciais da matéria seca (MS), matéria orgânica (MO), extrato etéreo (EE), proteína bruta (PB), fibra em detergente neutro corrigida para cinzas e proteína (FDNcp), carboidratos não-fibrosos (CNF), o consumo de nutrientes digestíveis totais (NDT), a produção de proteína microbiana, a concentração de nitrogênio uréico no soro (NUS) e de amônia no rúmen e a excreção de compostos nitrogenados na urina. O delineamento experimental utilizado foi o quadrado latino 4X4, sendo quatro animais, quatro períodos experimentais e quatro tratamentos (níveis crescentes de casca de algodão peletizada: 0, 10, 20 e 30%, em substituição na base da matéria seca à silagem de capim-elefante como volumoso), sendo a dieta total constituída de 60% de volumoso. Verificou-se que os níveis de casca de algodão aumentaram linearmente o consumo diário de todos os nutrientes, tanto em kg quanto em % do peso vivo. As análises de variância não evidenciaram influência dos diferentes tratamentos sobre o pH e concentrações de amônia ruminais, as digestibilidades totais e parciais dos nutrientes e conseqüentemente, não houve efeito sobre o teor NDT das dietas que foi em média 59,53%. O NDT calculado da casca de algodão foi de 55,52%. A concentração de NUS e a excreção de uréia (em mg/kgPV) na urina diminuíram enquanto a excreção urinária de derivados de purinas (DP) na urina aumentou linearmente com a inclusão de casca de algodão nas dietas. A casca de algodão mostrou-se um bom volumoso alternativo, podendo ser fornecida até o nível de 30% na MS total na dieta de novilhos de origem leiteira. No segundo Experimento, objetivou-se avaliar o efeito do nível de produção de leite sobre os consumos e as digestibilidades da MS, MO, EE, PB, FDNcp e CNF, o consumo de NDT e de proteína degradável no rúmen (PDR), a produção de proteína microbiana, a concentração de amônia no rúmen e a excreção de compostos nitrogenados na urina. Avaliaram-se as concentrações de N uréico no soro (NUS) e no leite (NUL), de animais de diferentes produções de leite. Foram comparadas as metodologias de coleta de urina spot e total para a quantificação do fluxo de N microbiano. Foram utilizadas 15 vacas da raça Holandesa, puras e mestiças, alocadas em delineamento inteiramente casualizado, com três tratamentos em função do nível de produção de leite (produção de leite média de 5,88, 18,54 e 32,6 kg/dia para os tratamentos ALTA, MÉDIA e BAIXA). A dieta foi constituída de silagem de milho à vontade e um kg de concentrado para cada três kg da média de leite produzido. Os consumos de todos os nutrientes, exceto de FDNcp, foram influenciados pela produção de leite. As digestibilidades da MS e da MO e o teor de NDT não diferiram entre os tratamentos, enquanto as digestibilidades da PB e da FDNcp, foram influenciadas pelo nível de produção sendo maior e menor, respectivamente, no tratamento ALTA. A presença de cinzas e proteína na FDN subestimou a digestibilidade da FDN e superestimou a dos CNF. Os teores de NUS e NUL e a excreção de compostos nitrogenados na urina foram altamente correlacionados e superiores nos animais mais produtivos, indicando que a concentração ótima varia com o nível de produção de leite. A produção microbiana não diferiu entre as metodologias de coleta de urina spot e total, sendo inferior nos animais menos produtivos. No terceiro, 22 novilhas com diferentes pesos, foram distribuídas em delineamento inteiramente casualizado com cinco tratamentos (peso médio de 523, 453, 315, 235 e 118 kg para os tratamentos I, II, III, IV e V, respectivamente). A alimentação foi constituída de silagem de milho a vontade e 1,5 kg de concentrado por dia para as novilhas dos tratamentos I, II, III e IV, e dois kg de concentrado para as novilhas do tratamento V. Os objetivos foram similares aos do segundo Experimento. Quando expresso em relação ao peso das novilhas, o consumo de MS foi negativamente correlacionado com o peso dos animais. As digestibilidades da MS e da MO e o teor de NDT não diferiram entre os tratamentos, enquanto as digestibilidades da PB e da FDNcp, foram distintas entre os tratamentos, sendo maior e menor, respectivamente, no tratamento V. A presença de cinzas e proteína na FDN subestimou a digestibilidade da FDN e superestimou a dos CNF. Os teores de NUS e a excreção de N e de uréia na urina (em mg/kgPV) foram altamente correlacionados e superiores nas novilhas menores, e variaram com o peso vivo e com o teor de PB e PDR na dieta. A produção microbiana não diferiu entre as metodologias de coleta de urina spot e total, sendo inferior nas novilhas menores. No quarto Experimento, foram utilizadas 15 vacas lactantes com produção de leite média de 24 kg/dia, em blocos ao acaso, objetivando-se avaliar quatro tempos de duração da coleta total de urina (seis, 12, 18 e 24 horas) sobre a estimativa da excreção diária de creatinina. Não foram encontradas diferenças entre a estimativa da excreção de creatinina, obtida pelos tempos de coleta de seis, 12 e 18 horas e a observada em 24 horas, logo a excreção nos períodos diurno e noturno foi similar. A excreção de creatinina pelas vacas do Experimento IV foi, em média, de 24,07 mg/kgPV. Também foram avaliadas as excreções de creatinina nos demais experimentos. Os níveis de casca de algodão não influenciaram a excreção de creatinina nos novilhos do primeiro Experimento, que foi em média de 27,99 mg/kgPV. A excreção de creatinina pelas vacas do segundo Experimento não foi influenciada pela produção de leite, apresentando valor médio de 24,04 mg/kgPV. No terceiro Experimento a excreção de creatinina (EC, em mg/KgPV) aumentou linearmente com a diminuição no peso das novilhas, de acordo com a seguinte equação: EC(mg/kgPV) =32,27 - 0,01093*PV(kg). pt-BR
dc.description.abstract This work was developed based on four experiments. In the first it was utilized four predominantly Holstein steers, fitted with rumen cannulae, with average weight of 259 kg, aiming to evaluate the effect of cottonseed hulls levels in the diet on intakes and total and partial digestibilities of the dry matter (DM), organic matter (OM), ether extract (EE), crude protein (CP), neutral detergent fiber corrected to ashes and protein (NDFap) and non-fiber carbohydrates (NFC), on the intake of total digestible nutrients (TDN), on the microbial protein synthesis, on the serum urea nitrogen (SUN) and ruminal ammonia concentration and on the urinary nitrogenous compounds excretion. The design was in 4x4 square lattice, with four animals, four periods and four treatments (increasing levels of peletized cottonseed hulls: 0, 10, 20 and 30% in dry matter basis in substitution of elephantgrass silage as roughage), being the total diet constituted of 60% roughage. It was verified that the cottonseed hulls levels increased linearly the daily intake of all nutrients, in kg and in % of the live weight. The variance analyses didn't evidence influence of the treatments on ruminal pH and ruminal ammonia xiiiconcentrations, on total and partials nutrients digestibilities and consequently there wasn’t effect on TDN of the diets, which was, in average, 59.53%. The calculated TDN of cottonseed hulls was 55.52%. The SUN concentration and urinary urea excretion (in mg/kgLW) decreased while the urinary purine derivatives (PD) excretion increased linearly with the cottonseed hulls inclusion on the diets. The cottonseed hulls was a good alternative roughage, could be supplied until 30% (DM) of the dairy steer’s diet. In the second experiment, it was aimed to evaluate the effect of the milk production level on intakes and digestibilities of the DM, OM, EE, CP, NDFap, NFC, on the TDN and ruminally degraded protein (RDP) intakes, on the microbial protein synthesis, on the ruminal ammonia concentration and on the urinary nitrogenous compounds excretion. It was evaluated the SUN concentration and milk urea nitrogen (MUN) concentrations in cows with different milk production. The spot urine sampling and urine total collection methodologies were compared to quantify de microbial N flow. 15 Holstein cows, pure and crossbred, were allocated in a completely randomized design, with three treatments in function of the milk production level (average milk production of 5.88, 18.54 and 32.6 kg/day to treatments HIGH, MEDIUM and LOW). The diet was constituted of corn silage ad libitum and one kg of concentrate to each three kg of average milk produced. The intakes of all nutrients, except NDFap, were influenced by milk production. The DM and OM digestibilities and TDN content didn’t differ among the treatments, while the CP and NDFap digestibilities were influenced by the production level being larger and smaller in the treatment HIGH, respectively. The presence of ashes and protein in NDF underestimated the digestibilities of NDF and overestimated the digestibilities of NFC. The MUN and SUN concentrations and the urinary N excretion were highly correlated and superiors in the most productive animals, indicating that the optimum concentration varies with the milk production level. The microbial synthesis didn’t differ among the urinary sampling spot and total collection methodologies, and was smaller in the less productive cows. In the third, 22 heifers with different live weight, were allocated in a completely randomized design with five treatments (average 523, 453, 315, 235 and 118 kg to treatments I, II, III, IV and V, respectively). The diet was constituted of corn silage ad libitum and 1.5 kg/day of xivconcentrate to heifers of the treatments I, II, III and IV, and two kg/day of concentrate to heifers of the treatment V. The objectives were similar to those of the second Experiment. When expressed in relation to live weight, the DM intake was negatively correlated with the heifer’s live weight. The DM and OM digestibilities and the TDN content didn’t differ among the treatments, while the CP and NDFap digestibilities were different among the treatments, being higher and smaller in treatment V, respectively. The presence of ashes and protein in NDF underestimated the digestibilities of NDF and overestimated the digestibilities of NFC. The SUN concentration and urinary N excretion (in mg/kgLW) were highly correlated and superiors in the smaller heifers, and varied with the live weigh and with the CP and RDP content of the diet. The microbial synthesis didn’t differ among the urinary spot sampling and total collection methodologies, and was smaller in the smaller heifers. In the forth Experiment, 15 lactating cows with average milk production of 15 kg/day were distributed in randomized blocks design, aiming to evaluate four different total urine collection times (6, 12, 18 and 24 hours) on the daily creatinine excretion. There were not detected differences among the estimation of creatinine excretion, obtained by the times of collection of six, 12 and 18 hours and the observed in 24 hours, soon the excretion in the periods of the day and night was similar. The creatinine excretion by the cows of the Experiment IV was, on average, of 24.07 mg/kgLW. They were also evaluated the creatinine excretion in the others experiments. The cottonseed hulls levels didn't influence the creatinine excretion in the steers of the first Experiment, which was, on average, of 27.99 mg/kgLW. The creatinine excretion by the cows of the second Experiment was not influenced by the milk production, and was, in average, of 24.04 mg/kgLW. In the third Experiment the creatinine excretion (CE, in mg/KgLW) increased linearly with the decrease in the live weight of the heifers, in agreement with the following equation: CE(mg/kgLW) =32.27 – 0.01093*LW (kg). en
dc.description.sponsorship Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico pt-BR
dc.language.iso por pt-BR
dc.publisher Universidade Federal de Viçosa pt-BR
dc.rights Acesso Aberto pt-BR
dc.subject Ruminante - Nutrição pt-BR
dc.subject Casca de algodão na nutrição animal pt-BR
dc.subject Creatinina - Excreção pt-BR
dc.subject Uréia pt-BR
dc.subject Alantoína pt-BR
dc.subject Ácido úrico pt-BR
dc.title Avaliação da casca de algodão para novilhos de origem leiteira e determinação da excreção de creatinina e produção de proteína microbiana em novilhas e vacas leiteiras pt-BR
dc.title Evaluation of cottonseed hulls to dairy steers and determination of creatinine excretion and microbial synthesis in heifers and lactating cows en
dc.type Dissertação pt-BR
dc.subject.cnpq Ciências Agrárias pt-BR
dc.creator.lattes http://lattes.cnpq.br/3842707559113340 pt-BR
dc.degree.grantor Universidade Federal de Viçosa pt-BR
dc.degree.department Departamento de Zootecnia pt-BR
dc.degree.program Mestre em Zootecnia pt-BR
dc.degree.local Viçosa - MG pt-BR
dc.degree.date 2004-02-16
dc.degree.level Mestrado pt-BR


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

  • Zootecnia [1010]
    Teses e dissertações defendidas no Programa de Pós-Graduação em Zootecnia

Show simple item record

Search DSpace


Browse

My Account