Locus  

Sincronização do estro e da ovulação em cabras durante a estação reprodutiva

Show simple item record

dc.contributor Torres, Ciro Alexandre Alves
dc.contributor Rodrigues, Marcelo Teixeira
dc.contributor.advisor Carvalho, Giovanni Ribeiro de
dc.creator Meireles, Karine de Castro
dc.date.accessioned 2017-07-18T11:06:04Z
dc.date.available 2017-07-18T11:06:04Z
dc.date.issued 2005-02-25
dc.identifier.citation MEIRELES, Karine de Castro. Sincronização do estro e da ovulação em cabras durante a estação reprodutiva. 2005. 58 f. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2005. pt-BR
dc.identifier.uri http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/11341
dc.description.abstract O experimento foi conduzido no Setor de Caprinocultura do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Viçosa, durante o mês de Junho de 2004, época correspondente à estação reprodutiva. O objetivo foi sincronizar a ovulação, através de dois protocolos contendo gonadotrofina coriônica eqüina (eCG) e eCG associado ao hormônio liberador de gonadotrofinas (GnRH), em cabras com o estro sincronizado por esponjas contendo acetato de medroxiprogesterona (MAP) e observar o momento de ovulação, por meio de exames ultra-sonográficos seriados. A identificação do momento de ovulação teve como finalidade predizer o melhor momento para cobrição ou inseminação artificial em tempo fixo e, desta forma, tornar possível a obtenção de melhores índices de fertilidade, sem a prévia identificação do estro, após programas de sincronização do estro. Foram utilizadas 44 cabras multíparas lactantes, sendo: 31 Alpinas e 13 Saanen, com idade entre 2 a 5 anos, peso corporal médio de 58 kg. Estas fêmeas foram distribuídas aleatoriamente em três tratamentos, após a indução do estro pela inserção de esponja intravaginal contendo 60 mg de MAP por 9 dias e administração de 37,5 μg de prostaglandina sintética (d-cloprostenol), por via intramuscular (IM) 48 h antes da retirada da esponja. Os animais do tratamento 1 (controle) receberam 1 mL de solução salina, os do T2, 200 UI de eCG 48 h antes da retirada da esponja e os do T3, 200 UI de eCG 48 h antes da retirada da esponja e 12,5 μg de Lecirelina, um análogo do GnRH, por via IM, 24 h após a retirada da esponja. Os animais foram acasalados utilizando-se a monta natural 12 h após o início do estro, detectado com o auxílio de um rufião em conjunto com as observações dos sinais característicos do estro nesta espécie. Um segundo acasalamento foi efetuado caso o estro persistisse. A ovulação foi monitorada por exames ultra-sonográficos, via transretal, com início 12 h após a retirada da esponja e término após a detecção da ovulação ou 96h após o início do estro. A observação do estro assim como a detecção do momento de ovulação foram realizadas a cada 4 h. Os diagnósticos de gestação foram realizados aos 25 e 40 dias após a cobertura por exame ultra-sonógrafico, via transretal. A percentagem de animais em estro encontrada foi de 100,0, 92,9 e 60,0 % e o intervalo da retirada da esponja ao início do estro foi de 44,0 ± 14,3; 41,2 ± 11,4 e 38,7 ± 13,5 h para os animais do T1, T2 e T3 respectivamente, não diferindo entre os tratamentos. A duração média do estro foi de 19,8 ± 9,3; 21,3 ± 6,4 e 17,3 ± 8,3 h e também não diferiu entre os tratamentos. O intervalo de tempo médio do estro à ovulação foi de 24,5 ± 10,4; 19,6 ± 9,4 e 14,4 ± 9,4 h para os tratamentos T1, T2 e T3 respectivamente. O intervalo da retirada da esponja à ovulação, foi equivalente à 70,3 ± 13,4 ; 60,7 ± 11,7; 55,9 ±. 20,7 h. As taxas de gestação foram maiores para os animais do T1 (78,6 %) e T2 (71,4 %), quando comparadas ao T3 (40 %). Houve diferença estatística (P<0,05) entre os tratamentos T1 e T3. Não foram verificadas perdas embrionárias entre os dias 25 e 40° de gestação em nenhum dos grupos estudados. pt-BR
dc.description.abstract The experiment was conducted at the Dairy goat research station of Universidade Federal de Viçosa, on June of 2004, during the reproductive season. The objective was to synchronize ovulation in goats by two protocols with equine chorionic gonadotropin (eCG) and eCG associated to gonadotropin releasing hormone (GnRH) and observe optimum moment for ovulation via sequenced ultrasonographic exams. Estrus was synchronized by using sponge fill with medroxyprogesterone acetate (MAP). Determining moment of ovulation targeted to predict either optimum time of mounting or timed artificial insemination in order to obtain better fertility index without previous estrous identification after programming estrous synchronization. It was used 44 multiparous lactating dairy goats where 31 Alpines and 13 Saanen. Goats weighed 58 kg average and age varying from 2 to 5 years. Animals were randomized allotted to three treatments after estrous induction by insertion of intravaginal sponge with 60 mg of MAP by 9 days and administration of 37,5 μg of synthetic prostaglandin (d-cloprostenol) intramuscular 48 h before withdraw of sponge. Animals on treatment 1 (control) received 1 mL of saline solution, on treatment 2, 200 UI of eCG 48 h before withdraw of sponge and for treatment 3, goats were treated with 200 UI of eCG 48 h before sponge withdraw plus 12,5 μg of Lecirelin, an analogue of GnRH via intramuscular, 24 h after pulling sponge out. Animals xwere mated by natural mounting 12 h after onset of estrous, detected by using both buck teaser and the characteristics signals of estrous for the specie. A sequenced mounting was performed in the case of persistent estrous. Ovulation was monitored by trans-rectum ultrasound exams beginning 12 h after sponge withdraws and finishing after either detecting ovulation or 96h after the onset of estrous. Estrous observation and detecting moment of ovulation were taken at every 4 h. Pregnancy diagnoses were checked at day 25 and 40 after mounting by ultrasound exams. No statistical difference was found for percent of animals on estrous, found to be 100,0; 92,9; and 60% and for interval for sponge withdraw at onset of estrous with 44 ± 14,3; 41,2 ± 11,4, and 38,7 ± 13,5 h for treatments 1, 2, and 3, respectively. Average time for estrous were 19,8 ± 9,3; 21,3 ± 6,4, and 17,3 ± 8,3 h for treatments 1, 2, and 3, respectively, with no statistic difference among them. Time interval between sponge withdraw to ovulation was equivalent to 70,3 ± 13,4; 60,7 ± 11.7 and 55,9 ± 20,7 h for treatments 1, 2, and 3, respectively. Gestation rates were higher for animals on treatment 1 (78,6 %) and treatment 2 (71,4 %) as compared to treatment 3 (40 %). There was difference (P<0,05) between T1 and T3 treatment. No embryonic losses between day 25 to 40 of gestation were observed for all groups studied. en
dc.description.sponsorship Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico pt-BR
dc.language.iso por pt-BR
dc.publisher Universidade Federal de Viçosa pt-BR
dc.rights Acesso Aberto pt-BR
dc.subject Sincronização do estro e da ovulação pt-BR
dc.subject Cabras pt-BR
dc.subject Estação reprodutiva pt-BR
dc.title Sincronização do estro e da ovulação em cabras durante a estação reprodutiva pt-BR
dc.title Synchronization of estrus and ovulation in goats during reproductive season en
dc.type Dissertação pt-BR
dc.subject.cnpq Ciências Agrárias pt-BR
dc.creator.lattes http://lattes.cnpq.br/5379334288102937 pt-BR
dc.degree.grantor Universidade Federal de Viçosa pt-BR
dc.degree.department Departamento de Zootecnia pt-BR
dc.degree.program Mestre em Zootecnia pt-BR
dc.degree.local Viçosa - MG pt-BR
dc.degree.date 2005-02-25
dc.degree.level Mestrado pt-BR


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

  • Zootecnia [1010]
    Teses e dissertações defendidas no Programa de Pós-Graduação em Zootecnia

Show simple item record

Search DSpace


Browse

My Account