Locus  

Secagem, beneficiamento e armazenamento de sementes de pinhão manso (Jatropha curcas L.)

Show simple item record

dc.creator Zonta, João Batista
dc.date.accessioned 2015-03-26T12:43:39Z
dc.date.available 2011-11-03
dc.date.available 2015-03-26T12:43:39Z
dc.date.issued 2011-01-17
dc.identifier.citation ZONTA, João Batista. Drying, processing and storage of phisic nut seeds (Jatropha curcas L.). 2011. 91 f. Tese (Doutorado em Plantas daninhas, Alelopatia, Herbicidas e Resíduos; Fisiologia de culturas; Manejo pós-colheita de) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2011. por
dc.identifier.uri http://locus.ufv.br/handle/123456789/1145
dc.description.abstract Os objetivos do presente trabalho foram estudar os efeitos da secagem, do beneficiamento e do armazenamento na qualidade fisiológica de sementes de pinhão manso. Os experimentos foram conduzidos na Universidade Federal de Viçosa. Foram conduzidos três experimentos, utilizando-se sementes de pinhão manso provenientes da fazenda experimental de EPAMIG, localizada no município de Janaúba-MG. No Experimento I, as sementes, com teor de água de 32%, foram secadas à sombra, ao sol e em estufa de circulação forçada às temperaturas de 33 e 43 °C, até o teor de água de 9±1%. A qualidade fisiológica das sementes foi avaliada pelos testes de germinação, primeira contagem de germinação, condutividade elétrica, envelhecimento acelerado, emergência em areia e índice de velocidade de emergência. A temperatura de 43 °C proporcionou secagem mais rápida das sementes, com duração de 42 horas. Nas secagens a 33 °C, ao sol e a sombra, este período foi mais prolongado, com 54, 144 e 456 horas, respectivamente. A secagem à sombra proporcionou redução imediata na qualidade fisiológica das sementes. As sementes secadas ao sol ou à temperatura de 33 °C não diferiram entre si quanto à qualidade fisiológica e foram superiores àquelas secadas à sombra; entretanto, a germinação foi inferior àquelas secadas a 43 °C, a partir dos 180 dias de armazenamento. A secagem à temperatura de 43 °C não afetou a germinação das sementes e reduziu ligeiramente o vigor, mesmo após 270 dias de armazenamento. A maior temperatura utilizada na secagem não afetou a germinação das sementes, sugerindo ter sido o tempo gasto na secagem o determinante para sua conservação. Concluiu-se que houve efeito imediato e latente da secagem à sombra na qualidade fisiológica de sementes de pinhão manso; as sementes de pinhão manso podem ser secadas à temperatura de 43 °C, e o tempo gasto na secagem não deve ser superior a 42 horas. No experimento II, as sementes de pinhão manso inicialmente foram submetidas à separação em separador pneumático, sendo obtidas duas classes quanto a massa específica (sementes pesadas e leves). Para separação por tamanho, as sementes (pesadas e leves) foram classificadas em peneiras de crivos oblongos, em grandes, intermediárias, pequenas e ainda as não classificadas, constituindo oito tratamentos: sementes pesadas não classificadas em tamanho, sementes pesadas grandes, sementes pesadas intermediárias, sementes pesadas pequenas, sementes leves não classificadas em tamanho, sementes leves grandes, sementes leves intermediárias e sementes leves pequenas. Utilizou-se o esquema fatorial 2 x 4 (massa específica x tamanho), num delineamento inteiramente casualizado, com oito repetições. Após a obtenção dos tratamentos e aos doze meses de armazenamento, foram realizadas as seguintes avaliações: germinação, primeira contagem de germinação, condutividade elétrica, envelhecimento acelerado, porcentagem de emergência e índice de velocidade de emergência. Houve efeito significativo da massa especifica na qualidade fisiológica de sementes de pinhão manso, com as sementes pesadas apresentando qualidade fisiológica superior as mais leves. Quanto ao tamanho, não houve efeito deste na qualidade fisiológica das sementes. Concluiu-se que a massa específica de sementes de pinhão manso influenciou na qualidade fisiológica, sendo que as sementes mais pesadas apresentam qualidade fisiológica superior às mais leves. O tamanho das sementes não influenciou a qualidade fisiológica. No experimento III, as sementes com teor de água de 8,3%, foram acondicionadas em embalagem de pano e plástico e armazenadas por 450 dias em condições de laboratório (sem controle de temperatura; sala refrigerada (18 a 20 ºC); câmara fria (10 a 12 ºC) e câmara fria (5 a 7 ºC). No início do armazenamento e a cada 90 dias, foram determinados o teor de água, a germinação e o vigor das sementes. Redução na qualidade fisiológica das sementes de pinhão manso ocorreu durante o armazenamento, independentemente das condições de temperatura e embalagem. As sementes podem ser armazenadas por 270 dias em ambiente não controlado, em Viçosa-MG, tanto em embalagem de plástico como de pano. Para o armazenamento por período maior que 270 dias, é recomendada a utilização de ambiente refrigerado, com temperatura ≤ 18-20 °C, para armazenamento das sementes, independentemente da embalagem utilizada. pt_BR
dc.description.abstract The objectives of this study was to investigate the effects of drying, processing and storage on physiological quality of physic nut seeds. The experiments were conducted at the Federal University of Viçosa. Three experiments were carried out using seeds of physic nut from the experimental farm of EPAMIG, located in the Janaúba-MG. In experiment I, the seeds with water content of 32%, were dried in the shade, the sun and forced circulation oven at temperatures of 33 and 43 °C until the water content of 9 ± 1%. The physiological quality of seeds was evaluated by germination, first count of germination test, electrical conductivity, accelerated aging, seedling emergence index and seedling emergence rate. The temperature of 43 °C provides faster drying of the seeds, which lasted 42 hours. On drying at 33 °C, the sun and shadow, this period was longer, with 54, 144 and 456 hours respectively. The drying in the shade provided immediate reduction in the physiological quality of seeds. The seeds dried in the sun or at a temperature of 33 °C did not differ regarding the physiological status and were better than those dried in the shade, however, germination was lower than those dried at 43 °C after 180 days of storage. The drying temperature of 43 °C did not affect seed germination and slightly reduced the vigor, even after 270 days of storage. As the highest temperature used did not affect seed germination, this suggests it was the time spent on seed drying crucial to its conservation. It was concluded that there was immediate and latent effects of drying in the shade on physiological quality of seeds of physic nut; seeds of physic nut can be dried at a temperature of 43 °C, and time spent drying must not exceed 42 hours. In experiment II, physic nut seeds processed in a pneumatic separator, and obtained two classes as the specific mass (heavy and light seeds). To obtain seed lots with different sizes, heavy and light seeds were screened in oblong sieves for large, intermediate, small and even non-size-classified seeds, providing eight treatments: heavy seeds not classified by size, large heavy seeds, intermediate heavy seeds, small heavy seeds, light seeds not classified by size, large light seeds, intermediate light seeds and small light seeds. The experiment design was a factorial 2 x 4 (specific mass x size) completely randomized with eight biological replications. Before the storage and twelve months of storage we assessed its seed quality with the following seed evaluations: germination on the 5th and 10th days after test settle, electric conductivity, accelerated aging, seedling emergence index and seedling emergence rate. There was significant effect of seed specific mass on physiological quality of physic nut seeds; heavy seeds showed higher quality than the lighter ones. Seed size showed no effect on physiological quality of physic nut seeds. We concluded that the specific mass of physic nut seeds influences on its physiological quality and heavier seeds have higher physiological quality than lighter ones. There was no effect of seed size on physiological quality of physic nut seeds. In experiment III, the seeds, with water content of 8,3%, were packed in cloth and plastic and stored for 450 days under laboratory conditions (no temperature control) air-conditioned room (18 to 20 ºC), refrigerated chamber (10 to 12 °C) and refrigerated chamber (5-7 °C). At the beginning of storage and every 90 days, we determined the water content, germination and vigor of seeds. Reduction in the physiological quality of seeds of physic nut occurred during storage, regardless of the temperature and packaging. The seeds can be stored for 270 days at room without controlled temperature and relative humidity, in Viçosa-MG, both in plastic packaging such as cloth. From 270 days, it is recommended to use refrigerated environment, with temperatures ≤ 18-20 °C for seed storage, regardless of packaging used. eng
dc.description.sponsorship Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
dc.format application/pdf por
dc.language por por
dc.publisher Universidade Federal de Viçosa por
dc.rights Acesso Aberto por
dc.subject Germinação por
dc.subject Qualidade fisiológica por
dc.subject Sementes por
dc.subject Pinhão manso por
dc.subject Germination eng
dc.subject Physiological quality eng
dc.subject Seeds eng
dc.subject Phisic nut eng
dc.title Secagem, beneficiamento e armazenamento de sementes de pinhão manso (Jatropha curcas L.) por
dc.title.alternative Drying, processing and storage of phisic nut seeds (Jatropha curcas L.) eng
dc.type Tese por
dc.contributor.advisor-co1 Dias, Luiz Antonio dos Santos
dc.contributor.advisor-co1Lattes http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4763137P6 por
dc.contributor.advisor-co2 Araújo, Roberto Fontes
dc.contributor.advisor-co2Lattes http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4785502H8 por
dc.publisher.country BR por
dc.publisher.department Plantas daninhas, Alelopatia, Herbicidas e Resíduos; Fisiologia de culturas; Manejo pós-colheita de por
dc.publisher.program Doutorado em Fitotecnia por
dc.publisher.initials UFV por
dc.subject.cnpq CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA::FITOTECNIA por
dc.creator.lattes http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4734021E3 por
dc.contributor.advisor1 Araújo, Eduardo Fontes
dc.contributor.advisor1Lattes http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4787131J6 por
dc.contributor.referee1 Brasileiro, Beatriz Gonçalves
dc.contributor.referee1Lattes http://lattes.cnpq.br/8060901148976333 por
dc.contributor.referee2 Silva, Roberto Ferreira da
dc.contributor.referee2Lattes http://lattes.cnpq.br/0909227928280419 por


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

  • Fitotecnia [852]
    Teses e dissertações defendidas no Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia

Show simple item record

Search DSpace


Browse

My Account