Locus  

Ensaios sobre política econômica, taxa de câmbio real e crescimento econômico em países em desenvolvimento

Mostrar registro simples

dc.contributor Carvalho, Luciano Dias de
dc.contributor.advisor Mattos, Leonardo Bornacki de
dc.creator Santos, Jeruza Haber Alves dos
dc.date.accessioned 2018-12-12T16:52:56Z
dc.date.available 2018-12-12T16:52:56Z
dc.date.issued 2018-07-13
dc.identifier.citation SANTOS, Jeruza Haber Alves dos. Ensaios sobre política econômica, taxa de câmbio real e crescimento econômico em países em desenvolvimento. 2018. 89 f. Tese (Doutorado em Economia Aplicada) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2018. pt-BR
dc.identifier.uri http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/22773
dc.description.abstract Um importante tema na discussão atual em economia é a capacidade da taxa de câmbio real influenciar variáveis reais. Na abordagem keynesiano-estruturalista, a manutenção de um nível competitivo para a taxa de câmbio real estimula o crescimento principalmente dos países em desenvolvimento. A demanda aumenta e, consequentemente, a produção e o emprego no longo prazo. Porém, se no curto prazo, os efeitos da taxa de câmbio real são sobre a demanda efetiva, no longo prazo há prevalência de outros canais, podendo ocorrer mudanças estruturais que interferem nos canais redistributivos de renda, no padrão de especialização da economia, no progresso técnico e nas taxas de investimentos setoriais. Este trabalho teve o objetivo de estudar, em três ensaios, a relação entre taxa de câmbio real e crescimento econômico nas economias em desenvolvimento. O primeiro ensaio buscou avaliar o poder explicativo do modelo teórico que apresenta interação da taxa de câmbio real e a elasticidade da oferta de trabalho definindo diferentes trajetórias de crescimento e distribuição de renda. O segundo ensaio adaptou a função de acumulação de capital comumente utilizada nos estudos acerca da relação entre crescimento econômico e distribuição de renda, com a inclusão do desalinhamento da taxa de câmbio real e da dívida pública como proporção do PIB na função investimento e posteriormente estimou-o empiricamente. O terceiro ensaio tomou por base um modelo que discute a relação entre taxa de câmbio real e crescimento econômico em economias em desenvolvimento e o adaptou com a inclusão da ação da autoridade monetária, na busca por entender a influência da política monetária baseada em uma regra de Taylor neste contexto. As aplicações foram realizadas com dados dos países da América Latina no período de 1990 a 2014. Os resultados obtidos evidenciaram que os efeitos contemporâneos da desvalorização do câmbio real no crescimento do PIB dos países da América Latina, foram negativos. Porém, de forma defasada as desvalorizações na taxa de câmbio real influenciam positivamente o crescimento da economia. Especificamente no primeiro ensaio pôde-se concluir que o aumento do salário médio real comparado ao salário mínimo (de subsistência) eleva o poder de compra dos trabalhadores do setor moderno, o que faz aumentar o consumo e a demanda efetiva e por fim, incentiva o crescimento da economia. No segundo ensaio obteve-se como resultado do modelo teórico que em uma economia com alta tributação e alto nível de utilização da capacidade instalada, o endividamento como proporção do PIB tende a tornar a relação entre trabalhadores e capitalistas mais conflituosa. No terceiro ensaio os resultados indicaram que, se a taxa de juros real é altamente sensível às variações do hiato de inflação, a sensibilidade da taxa de câmbio real ao aumento do hiato de inflação é maior do que a sensibilidade das exportações ao aumento do hiato de inflação. Isso leva a conclusão de que uma desvalorização da taxa de câmbio real aumenta as exportações como proporção do estoque de capital e, consequentemente, eleva a acumulação de capital. pt-BR
dc.description.abstract An important issue in the current discussion in economics is the ability of the real exchange rate to influence real variables. In the Keynesian-structuralist approach, maintaining a competitive level for the real exchange rate stimulates growth, especially in developing countries. Demand increases and, consequently, production and employment in the long term. However, if in the short term the effects of the real exchange rate are on the effective demand, in the long run there is a prevalence of other channels, and structural changes can occur that interfere in the redistributive channels of income, in the pattern of economic specialization, in the progress technical and sectoral investment rates. The objective of this study was to study the relationship between real exchange rate and economic growth in developing economies. The first essay sought to evaluate the explanatory power of the theoretical model that presents the real exchange rate and the elasticity of labor supply interacting defining different trajectories of growth and income distribution. The second essay adapted the capital accumulation function commonly used in the studies on the relationship between economic growth and income distribution, with the inclusion of real exchange rate misalignment and public debt as a proportion of GDP in the investment function, or empirically. The third essay was based on a model that discusses the relationship between real exchange rate and economic growth in developing economies and has adapted it with the inclusion of the financial system in the quest to understand the influence of monetary policy based on inflation targets in this context. The applications were carried out with data from Latin American countries from 1990 to 2014. The results showed that the effects of the devaluation of the real exchange rate on GDP growth in the Latin American countries were negative. However, in a deprecated way the devaluations in the real exchange rate positively influence the growth of the economy. Specifically in the first essay, it was concluded that the increase of the average real wage compared to the minimum wage (subsistence) increases the purchasing power of the workers of the modern sector, which increases consumption and effective demand and, finally, growth. In the second essay it was obtained as a result of the theoretical model that in an economy with high taxation and high level of utilization of installed capacity, indebtedness as a proportion of GDP tends to make the relation between workers and capitalists more conflicting. In the third essay, the results indicated that if the real interest rate is highly sensitive to changes in the inflation gap, the sensitivity of the real exchange rate to the reduction of the inflation targets is greater than the sensitivity of exports to the reduction of the target of inflation. This leads to the conclusion that a devaluation of the real exchange rate increases exports as a proportion of the capital stock and, consequently, raises capital accumulation. en
dc.language.iso por pt-BR
dc.publisher Universidade Federal de Viçosa pt-BR
dc.rights Acesso Aberto pt-BR
dc.subject Países em desenvolvimento - Política econômica pt-BR
dc.subject Desenvolvimento econômico pt-BR
dc.subject Taxas de câmbio pt-BR
dc.subject Capital (Economia) pt-BR
dc.title Ensaios sobre política econômica, taxa de câmbio real e crescimento econômico em países em desenvolvimento pt-BR
dc.title Essays on economic policy, real exchange rate and economic growth in developing countries en
dc.type Tese pt-BR
dc.subject.cnpq Economia Internacional pt-BR
dc.creator.lattes http://lattes.cnpq.br/5102885755939490 pt-BR
dc.degree.grantor Universidade Federal de Viçosa pt-BR
dc.degree.department Departamento de Economia pt-BR
dc.degree.program Doutor em Economia Aplicada pt-BR
dc.degree.local Viçosa - MG pt-BR
dc.degree.date 2018-07-13
dc.degree.level Doutorado pt-BR


Arquivos deste item

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

  • Economia Aplicada [401]
    Teses e dissertações defendidas no Programa de Pós-Graduação em Economia Aplicada

Mostrar registro simples

Buscar no Repositório


Navegar

Minha conta