Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/1004
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.authorLima, Júlien da Silva
dc.date.accessioned2015-03-26T12:40:45Z-
dc.date.available2014-08-26
dc.date.available2015-03-26T12:40:45Z-
dc.date.issued2012-03-16
dc.identifier.citationLIMA, Júlien da Silva. Seed maturation and application of anti-ethylene substances in ornamental pepper at pre-production stage. 2012. 84 f. Tese (Doutorado em Controle da maturação e senescência em órgãos perecíveis; Fisiologia molecular de plantas superiores) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2012.por
dc.identifier.urihttp://locus.ufv.br/handle/123456789/1004-
dc.description.abstractAs pimentas são importantes plantas para o setor de agricultura, ornamentação e indústria alimentícia por ser fonte de pigmentos, aroma e sabor peculiares. Como a planta de pimenta é propagada por semente, é importante o controle da qualidade fisiológica e conhecimento prévio do processo de formação e desenvolvimento do fruto, possibilitando a obtenção de sementes com elevada germinação e vigor. Objetivou-se nesse trabalho avaliar as alterações físicas, fisiológicas e enzimáticas em sementes de pimenta ornamental, variedade MG 302, obtidas de frutos colhidos em diferentes estádios de maturação. Frutos de pimenta foram colhidos aos 30, 35, 40, 45, 50, 55, 60, 65, 70, 75 e 80 dias após a abertura floral (DAA) e as sementes foram extraídas e submetidas a testes de qualidade fisiológica e tiveram determinadas as atividades enzimáticas da peroxidase (POD) e álcool desidrogenase (ADH) após o envelhecimento acelerado. As sementes até os 45 DAA não apresentaram capacidade de germinar, a partir dos 50 DAA, as médias passaram de 0 para 66%, alcançando 90% aos 80 DAA. Observou-se a tendência de distinção de duas fases de desenvolvimento das sementes, uma provável fase de intensa divisão celular e outra de acúmulo de matéria seca. O momento de transição das duas prováveis fases, entre 55 e 60 dias, coincidiu com a modificação da coloração dos frutos do verde escuro para o vermelho. A colheita dos frutos de pimenta ornamental MG 302 pode ser realizada acompanhando as modificações da coloração do fruto, quando os frutos encontravam-se totalmente vermelhos. O ponto de maturidade fisiológica das sementes de pimenta da variedade MG 302, ocorreu entre 75 e 80 DAA. As sementes vide pimenta tornaram-se tolerantes à dessecação a partir de 50 DAA. A atividade das enzimas ADH e POD mostrou-se reduzida em sementes com o aumento do tempo de envelhecimento e aumentada ao longo da maturação, de acordo com o teste de envelhecimento acelerado. Com o objetivo de aumentar a longevidade de pimenteiras ornamentais, outro estudo foi realizado com o objetivo de testar a eficiência do uso de inibidores da biossíntese e da ação do etileno aplicados isolados ou combinados na fase de produção em plantas de pimenta ornamental envasadas da variedade Calypso. Para isso, plantas de pimenta, variedade Calypso, foram tratadas com inibidores da biossíntese e ação do etileno, aplicados isoladamente e combinados, seguidos da exposição ou não ao etileno. Foram avaliadas a qualidade e durabilidade comercial das plantas, mediante a determinação da intensidade de coloração verde das folhas, determinada com o aparelho SPAD e abscisão foliar acumulada. Os valores de SPAD e abscisão mostraram que houve crescente aumento na queda de folhas, com médias superiores a 50%, para os tratamentos em que as plantas foram tratadas com etileno. As plantas responderam melhor aos inibidores quando estas não foram tratadas com etileno, pulverizadas com aminoetoxivinilglicina (AVG) e 1- metilciclopropeno (1-MCP), com abscisão total próximo a 50% no término das avaliações aos 22 dias. As plantas pulverizadas na fase que antecedeu a fase de pós- produção, com AVG e 1-MCP, sem posterior exposição ao etileno, tiveram maior durabilidade pós-colheita, variedade Calypso. O tratamento das plantas com 1-MCP fumigado e posterior aplicação de etileno foi eficiente em minimizar o amarelecimento e queda de folhas da pimenta. A aplicação simultânea dos inibidores AVG e 1-MCP em plantas de pimenta não resultaram em efeito aditivo.pt_BR
dc.description.abstractPeppers are important commercial plants, as for ornamental and food industryas source of pigments, flavor and peculiar taste. Since pepper is propagated by seed, it is important to control the physiological quality and processes of seed and fruits formation, allowing to obtain seeds with elevated germination and vigor. This work had the goal to evaluate the physical, physiological and enzymatic changes in seeds of ornamental peppers of variety MG 302, harvested from fruits in different stages of maturation. Fruits were collected at 30, 35, 40, 45, 50, 55, 60, 65, 70, 75 and 80 days after flowering (DAF) and the seeds were extracted and submitted to physiological quality tests and the activity of peroxidase (POD) and alcohol dehydrogenase (ADH) after accelerated ageing. Seeds with 45 DAF did not germinate, beginning at 50 DAF, the germination jumped from 0 to 66%, reaching 90% at 80 DAF. It determined two phases of seeds development, one with probable cell division and another with accumulation of dry matter. The transition of the two phases probably occurred between 55 and 60 DAF, parallel to the color change from dark green to red. The fruits harvest of the ornamental pepper MG 302 can be done by following the changes in the fruit color, which happens when the fruits are completely red. The physiological maturation of the seeds for the MG 302 occurred between 75 and 80 DAF. The seeds became tolerant to drying after 50 DAF. The activities ADH and POD were reduced in the seeds with the time of ageing and increased with the maturation, according to the accelerated ageing test. With the goal to increase thre longevity of ornamental peppers, another study was conducted to determine the viiiefficiency of the ethylene synthesis ans action inhibitors, applied alone and in combination during growth in potted variety Calypso. For that, pots of cultivar Calypso were treated with the inhibitors followed or not by ethylene treatment. It was determined the quality and commercial duration by the leaf color, determined with the SPAD apparatus and total abscission. The values of SPAD and abscission showed elevation of leaf abscission, with average superior to 50% for the plants treated with ethylene. Better response was obtained when the plants were treated with the ethylene inhibitors aminoethoxyvinylglycine (AVG) and 1- methylcyclopropene (1-MCP), without treatment with ethylene accounting with less than 50% abscission after 22 days. The palnts of Calypso sprayed with AVG and 1- MCP, without ethylene treatment, had longed postharvest longevity. Plants fumigated with 1-MCP, followed by ethylene was efficient in minimizing leaf yellowing. The simultaneous use of AVG and 1-MCP had no additive effect in the pepper plants.eng
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Viçosapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectPimenta ornamentalpor
dc.subjectEtilenopor
dc.subjectSementepor
dc.subjectQualidade fisiologicapor
dc.subjectOrnamental peppereng
dc.subjectEthyleneeng
dc.subjectSeedeng
dc.subjectPhysiological qualityeng
dc.titleMaturação de sementes e aplicação pré-produção de substâncias antietilênicas em pimenta ornamentalpor
dc.title.alternativeSeed maturation and application of anti-ethylene substances in ornamental pepper at pre-production stageeng
dc.typeTesepor
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/0230216125411433por
dc.contributor.advisor-co1Barros, Raimundo Santos
dc.contributor.advisor-co1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4787859T6por
dc.contributor.advisor-co2Rêgo, Elizanilda Ramalho
dc.contributor.advisor-co2Latteshttp://lattes.cnpq.br/3808074316221768por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentControle da maturação e senescência em órgãos perecíveis; Fisiologia molecular de plantas superiorespor
dc.publisher.programDoutorado em Fisiologia Vegetalpor
dc.publisher.initialsUFVpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::BOTANICA::FISIOLOGIA VEGETALpor
dc.contributor.advisor1Finger, Fernando Luiz
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4783681Y0por
dc.contributor.referee1Barbosa, José Geraldo
dc.contributor.referee1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4783055P7por
dc.contributor.referee2Pinto, Cleide Maria Ferreira
dc.contributor.referee2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4783638A4por
dc.contributor.referee3Ramos, Paula Acácia Silva
dc.contributor.referee3Latteshttp://lattes.cnpq.br/7355201554584039por
Aparece nas coleções:Fisiologia Vegetal

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf1,27 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.