Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/1053
Tipo: Tese
Título: Epidemiologia comparativa da ferrugem asiática (Phakopsora pachyrhizi Sydow) em cultivares de soja de diferentes grupos de maturação
Título(s) alternativo(s): Comparative epidemiology of soybean rust (Phakopsora pachyrhizi Sydow) in soybean cultivars of different maturity groups
Autor(es): Moreira, Eder Novaes
Primeiro Orientador: Vale, Francisco Xavier Ribeiro do
Primeiro coorientador: Maffia, Luiz Antônio
Segundo coorientador: Rodrigues, Fabrício de ávila
Primeiro avaliador: Costa, Hélcio
Segundo avaliador: Jesus Júnior, Waldir Cintra de
Abstract: Desde o primeiro relato na América do Sul em 2001, a ferrugem asiática da soja (FAS), causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi, tem causado danos significativas em todas as regiões de produtoras de soja no Brasil. O potencial da FAS em causar danos impulsionou pesquisas visando aspectos do uso de fungicidas como eficácia, número de aplicações, momento ideal para aplicação. Porém esses critérios desconsideram os aspectos epidemiológicos da FAS e atributos do crescimento das plantas de diferente cultivar, podendo comprometer o manejo da doença em condições de epidemias. Pouco se conhece sobre o comportamento epidemiológico da FAS em função dos diferentes grupos de maturação das cultivares disponíveis aos sojicultores, surgindo o interesse em desenvolver este trabalho, que teve como objetivos: 1) Comparar a dinâmica temporal da FAS em três cultivares de soja com diferentes grupos de maturação e também aquelas semeadas em quatro épocas, para entender o comportamento das epidemias, bem como estabelecer alternativas para maximizar o manejo da FAS. 2) Avaliar a associação do índice de área foliar (IAF) entre os diferentes cultivares de soja sob a dinâmica temporal da FAS. Foram realizados oito experimentos na área experimental da Fundação de Apoio à Pesquisa e Desenvolvimento Integrado de Rio Verde, localizado no Município de Lucas do Rio Verde, MT. Utilizaram-se três cultivares de soja com diferentes grupos de maturação, todas suscetíveis à FAS, a saber: P98Y11RR (grupo precoce; 95-110 dias), MSOY-8527RR (grupo médio; 111-120 dias) e MSOY-9144RR (grupo tardio; maior que 121 dias). Os resultados demonstraram que as curvas do progresso da FAS para diferente cultivar apresentaram diferente comportamento epidemiológico. Com exceção da quarta época de semeadura, a área abaixo da curva do progresso da ferrugem relativa (AACPFR) foi maior nas plantas da cultivar precoce do que nas demais. Para a cultivar do grupo médio, a AACPFR foi menor do que para a cultivar do grupo precoce em todas as épocas de semeadura, em ambas as safras. Os maiores valores da taxa de progresso (rGomp) foram observados nas cultivares precoces, independentemente da época de semeadura, com valores de 0,0654; 0,0659; 0,0782; e 0,0891, respectivamente, nas épocas de semeadura de outubro, novembro, dezembro e janeiro. No entanto, os menores valores de rGomp foram observados na cultivar de grupo tardio, independentemente da época de semeadura, com valores de 0,0368; 0,0431; 0,0473; e 0,0563, respectivamente, para a épocas de semeadura de outubro, novembro, dezembro e janeiro. Tanto os valores de severidade máxima (ymax) e tempo para atingir a máxima intensidade da FAS (TAMIFAS) reforçam que os cultivares precoces apresentaram maiores valores. Em relação à TAMIFAS, os cultivares precoces atingem mais rapidamente o índice de área foliar absoluta. Em relação à associação do IAF e à dinâmica temporal da FAS, observou-se o encurtamento do grupo das cultivares nas diferentes épocas. O IAF variou entre as cultivares P98Y11RR (grupo precoce), MSOY-8527RR (grupo médio) e MSOY-9144RR (grupo tardio), nas diferentes épocas de semeadura, afetando a dinâmica temporal da FAS. Os maiores valores de IAF ocorreram nas plantas referentes à semeadura na época 1. A área abaixo da curva de crescimento IAF relativa (AACCIAFR) foi maior nas plantas da cultivar tardia do que nas demais cultivares. O fato de que AACPFR se manteve constante entre as épocas de semeadura para a cultivar tardia sugere que o IAF teve forte influência no progresso da FAS nas plantas das cultivares precoces do que nas plantas das cultivares média e tardia. Isso confirma que nas cultivares precoces a proporção de área foliar doente em relação à área foliar sadia é reduzida rapidamente pelo fato de a FAS atingir a área foliar e, consequentemente, o IAF, em comparação com cultivares médias e tardias que apresentaram maiores IAF. Portanto, assumindo uma mesma intensidade, a FAS, nas três cultivares (precoce, médio e tardio), a cultivar precoce alcançará mais rapidamente a área foliar sadia, ou seja, essas cultivares apresentaram maior dependência do tecido foliar verde, em comparação com as cultivares médias e tardias, devido às diferenças nas proporções da área foliar sadia e da área foliar doente que compõem o IAF total.
Since the first report in South America in 2001, Asian soybean rust (ASR), caused by the fungus Phakopsora pachyrhizi, has caused significant loss in all regions of soybean production in Brazil. The potential of ASR in causing losses spurred research aimed aspects of the use of fungicides such as efficacy, number of applications, ideal time to apply, but these criteria do not consider the epidemiological aspects of ASR and attributes the growth of plants of different cultivars may thus compromising disease management under conditions of severe epidemics. Little is known about the epidemiological behavior of ASR for different maturity groups of cultivars available to soybean farmers, the rising interest in developing this work, which aimed to: 1. Compare the temporal dynamics of ASR in three soybean cultivars with different maturity groups, seeded four times, to better understand the behavior of epidemics and thus establish alternatives for the best management of ASR. 2. Evaluate the association of leaf area index (LAI) between different soybean cultivars under the temporal dynamics of ASR. Eight experiments were performed at the site of the Foundation for Research Support and Integrated Development of Rio Verde, located in the city of Lucas do Rio Verde - MT. We used three soybean cultivars with different maturity cycles, all susceptible to ASR, which were: P98Y11RR (early maturity, 95-110 days), MSoy-8527RR (medium cycle; 111-120 days) and MSoy-9144RR ( late cycle; greater than 121 days). The results show that the ASR progress curves for different cultivars showed different epidemiological behavior. With the exception of the fourth season of sowing, the area under the curve of progress on the rust (AUCPRR), was higher for plants early cultivar than in other cultivars. For medium maturity cultivar, the AUCPRR was lower than for early-maturing cultivar in all sowing dates in two seasons. The highest values of progress rate (rgomp) were observed for the early cultivars, irrespective of sowing dates, with values of 0.0654, 0.0659, 0.0782 and 0.0891, respectively, for the sowing dates. October, November, December and January. On the other hand, the lowest values were observed for rGomp late-maturing cultivar, irrespective of sowing dates, with values of 0.0368, 0.0431, 0.0473 and 0.0563, respectively, for sowing times October, November, December and January. Both values ymax and TAMIF reinforce that early cultivars have higher values. Regarding TAMIF the early cultivars reach faster the leaf area index LAI absoluta. The association LAI and temporal dynamics of ASR was observed shortening of the cycle of cultivars in different seasons. The LAI P98Y11RR varied among cultivars (early cycle) MSoy-8527RR (cycle medium) and MSoy-9144RR (late cycle) at different sowing times, affecting the temporal dynamics of ASR. The highest values of LAI occurred for plants relating to sowing dates 1. The area under the curve of growth on LAI (AUCGLAIR) was higher for plants that grow later in other cultivars. The fact that AUCGLAIR remained constant between sowing dates for late cultivars suggests that the LAI had a strong influence on the progress of ASR in early cultivars of plants than the plants of medium and late cultivars. Confirming that the earliness of the proportion of diseased leaf area compared to healthy leaf area is reduced rapidly, because of the ASR achieve leaf area and hence the LAI when compared to middle and late cultivars that have higher LAI. Therefore, assuming the same intensity ASR, in the three cultivars (early, mid and late), the cultivar early achieve faster healthy leaf area, ie, these cultivars have a higher dependence on green leaf tissue, when compared to the middle and late cultivars because of the differences in the proportions of healthy leaf area and leaf area comprising the sick LAI total.
Palavras-chave: Phakopsora pachyrhizi
Epidemiologia
Época de plantio
Phakopsora pachyrhizi
Epidemiology
Planting time
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA::FITOSSANIDADE::FITOPATOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Etiologia; Epidemiologia; Controle
Programa: Doutorado em Fitopatologia
Citação: MOREIRA, Eder Novaes. Comparative epidemiology of soybean rust (Phakopsora pachyrhizi Sydow) in soybean cultivars of different maturity groups. 2013. 89 f. Tese (Doutorado em Etiologia; Epidemiologia; Controle) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2013.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/1053
Data do documento: 28-Fev-2013
Aparece nas coleções:Fitopatologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf1,15 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.