Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/10858
Tipo: Dissertação
Título: Uso de permanganato de potássio na conservação pós-colheita de banana 'Prata'
Use of potassium permanganate in the postharvest conservation of 'Prata' banana
Autor(es): Rocha, Aline
Abstract: O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do permanganato de potássio (KMnO4) associado à embalagem plástica na manutenção da qualidade pós-colheita de banana 'Prata' (Musa spp. AAB) armazenada à temperatura ambiente e sob refrigeração. Buquês de quatro frutos foram embalados em sacos de polietileno de baixa densidade, com espessura de 28 μm, nos quais foram incluídos sachês de KMnO4. Foram conduzidos dois experimentos: Experimento 1: armazenamento a 21,52 ± 3,79 oC e concentrações de KMnO4 de 0,0; 0,5; 1,0; 1,5; e 2,0 g/kg de fruto, e Experimento 2: armazenamento a 16,56 ± 0,81 oC e concentrações de KMnO4 de 0,0; 0,125; 0,250; 0,375; e 0,500 g/kg de fruto. Em ambos os experimentos, os frutos foram mantidos nas embalagens durante 25 dias, nas temperaturas mencionadas anteriormente e a 90 ± 5% de umidade relativa. Após esse período, os frutos foram retirados das embalagens, e os buquês do Experimento 1 permaneceram no mesmo ambiente, enquanto os do Experimento 2 foram mantidos a 22,11 ± 1,37 oC e 90 ± 5% de umidade relativa. Os experimentos foram montados em parcelas subdividas no tempo, tendo nas parcelas as concentrações de KMnO4 e nas subparcelas os dias de avaliação (0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 e 9 dias após a retirada das embalagens), no delineamento inteiramente casualizado com quatro repetições e um buquê por repetição. Os dados foram analisados por meio de análises de variância e regressão. A escolha dos modelos de regressão linear foi feita com base na significância dos coeficientes de regressão no nível de 5% de probabilidade, pelo teste 't' de Student, no coeficiente de determinação e no potencial para explicar o fenômeno biológico e para os modelos de regressão não-linear, com base nos dois últimos itens. O teste de Dunnett foi utilizado para comparar os buquês da testemunha (dia do armazenamento) com os do dia da retirada das embalagens (25o dia de armazenamento), no nível de 5% de probabilidade. Para as análises de concentração de CO2 e etileno foi montado um experimento à parte, com as cinco concentrações de KMnO4 e cinco repetições, sendo a análise dos dados descritiva. No Experimento 1, os frutos do tratamento sem KMnO4 não tiveram o amarelecimento normal da casca, embora já se encontrassem na fase pós-climatérica no dia da retirada da embalagem, os quais ficaram imprestáveis para consumo. Os frutos tratados com KMnO4 permaneceram na fase pré-climatérica ao longo dos 25 dias embalados e tiveram o amadurecimento normal após a retirada das embalagens. No Experimento 2, os frutos sem KMnO4, no dia da retirada das embalagens, apresentaram polpa com menor consistência e maior acidez titulável em relação aos com KMnO4. Após a retirada das embalagens, os frutos sem KMnO4 exibiram teor de sólidos solúveis totais e acidez titulável máximos antes dos demais tratamentos, ao mesmo tempo em que o teor de sólidos solúveis totais foi menor que nos frutos tratados. Esse conjunto de fatos indicou amadurecimento parcial durante o armazenamento refrigerado. Entretanto, frutos tratados com 0,125 e 0,500 g de KMnO4/kg apresentaram estádio de maturação mais avançado no dia da retirada das embalagens em relação aos dos tratamentos com 0,250 e 0,375 g de KMnO4/kg, que permaneceram com suas características originais. Apesar disso, todos os frutos tratados com KMnO4 tiveram amadurecimento normal após a retirada das embalagens.
Use of potassium permanganate in the postharvest conservation of 'Prata' banana. Adsviser: Luiz Carlos Chamhum Salomão. Committee members: Claudio Horst Bruckner and Paulo Roberto Cecon. The objective of this study was to investigate the effect of potassium permanganate (KMnO4) associated with plastic film on quality of banana (Musa spp. AAB) 'Prata' stored under room and low temperatures. Bunches of four fruits were wrapped in low density polyethylene bags (28 μm thick) with KMnO4 sachets in it. Two experiments were mounted: Experiment 1: storage at 21.52 ± 3.79 oC and KMnO4 concentrations of 0.0; 0.5; 1.0; 1.5 and 2.0 g/kg of fruit, and Experiment 2: storage at 16.56 ± 0.81 oC and KMnO4 concentrations of 0.0; 0.125; 0.250; 0.375 and 0.500 g/kg of fruit. The fruits were kept in the polyethylene bags for 25 days under previously described temperatures and 90 ± 5 % relative humidity. After this period, fruits were removed from plastic bags and those of experiment 1 remained in the same environment, while those of experiment 2 were maintained at 22.11 ± 1.37 oC and 90 ± 5% relative humidity. The treatments were distributed in split plots in an entirely randomized design with four replications and one bunch per replication. The plots represented the KMnO4 treatments and the subplots, the evaluated time, (0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 and 9 days after the remotion of the bags). Data were analyzed by variance analyses and regression. The choice of the linear regression models was based on the significance of the regression coefficients (5% probability by the t Student test), on the determination coefficient and on the potential to explain the biological phenomenon. For the non-linear regression models the choice was based on the two last items. The Dunnett test was used to compare the control (day of storage) with the day the bunches were removed from the bags (25th storage day) at 5% probability. For CO2 and ethylene concentrations in the bags, a separate experiment was conducted with five KMnO4 concentrations in five replications, where the descriptive statistics were applied. In experiment 1, fruit skins in the treatment without KMnO4 turned yellowish green although these fruits were already in the postclimacteric phase in the day of the remotion of the bags. These fruits were worthless for consumption. Fruits treated with KMnO4 remained in the pre-climacteric phase throughout the 25 days they were kept wrapped up and ripened normally after remotion of the bags. In experiment 2, in the day of the remotion of the bags fruits without KMnO4 presented a softer pulp and a higher titratable acidity compared to those with KMnO4. After the remotion of the bags, fruits without KMnO4 reached the maxima of total soluble solids and titratable acidity percentages before the other treatments, but total soluble solids was lower than those treated fruits. These facts indicate a partial ripening during the cool storage. However, the ripening stage of fruits treated with 0.125 and 0.500 g of KMnO4/kg was more advanced on the day the bags were removed compared to fruits of the treatments with 0.250 and 0.375 g KMnO4/kg, which maintained their original characteristics. Nevertheless, all fruits treated with KMnO4 ripened normally after bags removal.
Palavras-chave: Atmosfera modificada
Etileno
Fisiologia pós-colheita
CNPq: Ciências Agrárias
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: ROCHA, Aline. Uso de permanganato de potássio na conservação pós-colheita de banana 'Prata'. 2005. 85f. Dissertação (Mestrado em Fitotecnia) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2005.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/10858
Data do documento: 18-Fev-2005
Aparece nas coleções:Fitotecnia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo748,46 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.