Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/1166
Tipo: Tese
Título: Passifloras silvestres: área foliar, relações alométricas e potencial como porta-enxerto do maracujazeiro-amarelo
Título(s) alternativo(s): Wild passifloras: leaf area, allometric relationships and potential as a rootstock of yellow passion
Autor(es): Morgado, Marcos Antonio Dell'orto
Primeiro Orientador: Bruckner, Claudio Horst
Primeiro coorientador: Siqueira, Dalmo Lopes de
Primeiro avaliador: Carneiro, José Eustáquio de Souza
Segundo avaliador: Caliman, Fabiano Ricardo Brunele
Terceiro avaliador: Sato, Aurora Yoshiko
Quarto avaliador: Silva, Danielle Fabíola Pereira da
Abstract: Os objetivos deste trabalho foram: desenvolver modelos lineares que possibilitam predizer a área foliar das espécies P. alata, P. coccinea, P. gibertii, P. ligularis, P. misera, P. mucronata, P. nitida e P. setacea utilizando simples medidas lineares; quantificar as características de crescimento e relações alométricas das espécies P. cincinnata, P. edulis f. flavicarpa, P. gibertii, P. morifolia e P. mucronata; estudar o potencial de uso das espécies P. alata, P. cincinnata, P. edulis, P. gibertii, P. morifolia e P. mucronata como porta-enxerto do maracujazeiro-amarelo. No experimento 1, foram amostradas aleatoriamente 300 folhas por espécie, nos diferentes exemplares de cada espécie. Essas folhas foram cuidadosamente destacadas e transportadas em caixas térmicas até o laboratório, onde se mensurou a área foliar com auxílio do medidor de área foliar de bancada. Em espécies com folhas não lobadas foram mensurados o comprimento da nervura principal (c) e a maior largura da folha (l). Em espécies que possuem mais de um lóbulo por folha, foram mensurados o comprimento da nervura principal (C) e a maior largura entre a extremidade distal dos lóbulos mais externos (L). A variável dependente (área foliar total) foi estimada por regressão linear utilizando as variáveis independentes: comprimento, largura e o produto entre estas. Para avaliar estatisticamente o desempenho dos modelos desenvolvidos para estimar a área foliar nas diferentes espécies, utilizaram-se 50 folhas com intuito de correlacionar os valores medidos com os estimados. Observou-se que a utilização das dimensões lineares comprimento e largura proporcionaram uma estimativa satisfatória para as diferentes espécies de Passiflora, bem como foi possível observar que os coeficientes de determinação (R²) apresentaram-se superiores a 0,92, resultando em excelentes estimativas de área foliar, consideradas muito boas para essa cultura e os modelos propostos para estimar a área foliar através da medida de dimensões lineares da folha, apresentaram um ótimo desempenho, já que para todas as espécies o índice c foi superior a 0,85. Para o experimento 2, as sementes das passifloras foram colocadas para germinar em areia lavada contida em caixas plásticas de 40 cm de largura x 20 cm de altura x 100 cm de comprimento e após completa expansão da folha cotiledonar, 48 plântulas de cada espécie foram transplantadas para tubos de PVC de 100 mm de diâmetro e 150 centímetros de altura, contendo mistura de terra corrigida quanto a acidez e adubada, areia e esterco na proporção 3:1:1. As características de crescimento da raiz e da parte aérea foram determinadas em oito plantas de cada espécie, sendo a primeira após transplantio e as demais aos 15, 30, 45, 60, 75, 90 e 105 dias após o transplantio. As características avaliadas foram: altura da planta, número de folhas, área foliar, número de raízes secundárias, comprimento da raiz pivotante, volume do sistema radical. Após estas determinações, o material foi acondicionado, separadamente (caule, folha e raiz), em sacos de papel e seco a 65oC em estufa com circulação forçada de ar até atingirem peso constante, para avaliação a massa seca. A partir da área foliar e massa seca foram calculados os seguintes parâmetros fisiológicos: taxa de crescimento absoluto, taxa de crescimento relativo, taxa assimilatória líquida, razão de peso foliar e razão de peso radical. As espécies P. cincinnata, P. gibertii e P. morifolia apresentaram taxas de crescimento igual ou superior ao P. edulis em todas as características avaliadas, durante todo período de avaliação e o sistema radical das espécies P. gibertii e P. morifolia apresentaram melhor distribuição ao longo do substrato, o que sugere melhor exploração do perfil do solo em volume e profundidade. A espécie P. mucronata obteve crescimento inferior às demais espécies, tanto da parte aérea quanto do sistema radical. No experimento 3, foram utilizadas as espécies como portaenxertos do maracujazeiro-amarelo (Passiflora edulis f. flavicarpa): P. alata, P. cincinnata, P. edulis f. flavicarpa, P. gibertii, P. morifolia e P. mucronata. Como tratamento testemunha foi utilizado o P. edulis f. flavicarpa (pé franco). A produção de mudas foi obtida por semeadura direta de 20 sementes de cada espécie em 10 L de substrato. Decorridos 60 dias após a semeadura, foi realizada a enxertia do tipo fenda cheia a 10 cm do colo da planta. As avaliações foram mensais e iniciaram aos 75 dias após a semeadura. As características avaliadas foram: percentagem de enxertos pegos, altura da planta, número de folhas, diâmetro do porta-enxerto e diâmetro do enxerto. O porta-enxerto P. mucronata proporcionou ao P. edulis f. flavicarpa maior altura da parte aérea e dentre as espécies utilizadas como porta-enxerto foi a que induziu maior comprimento de internódios. A espécie P. gibertii induziu efeito ananicante quando utilizada como porta-enxerto do maracujazeiroamarelo. As espécies P. mucronata e P. cincinnata mostraram-se promissoras para serem utilizadas como porta-enxertos do maracujazeiro amarelo.
The objectives of this work were to develop linear models that allow to predict leaf area of P. alata, P. coccinea, P. gibertii, P. ligularis, P. misera, P. mucronata, P. nitida and P. setacea by using simple linear measurements; to quantify growth traits and allometric relationships of P. cincinnata, P. edulis f. flavicarpa, P. gibertii, P. morifolia and P. mucronata; to study the potential use of P. alata, P. cincinnata, P. edulis, P. gibertii, P. morifolia and P. mucronata as rootstocks of yellow passion fruit. Three hundred leaves per species were randomly sampled in experiment 1, in different exemplars of each species. The leaves were carefully collected and transported in cooled boxes to laboratory, where the leaf area was measured with leaf area bench meter. Length of the principal vein (l) and the greatest width of the leaf (w) were measured in non-lobed leaves. Length of the principal vein (L) and the greatest width between distal extremities of the outer lobes were measured in species with more than one lobe per leaf. The dependent variable (total leaf area) was estimated by linear regression by using the independent variables such as length, width and the product between them. It was used 50 leaves to correlate the measured values with the estimated ones to statistically evaluate performance of models developed to estimate leaf area in the different species. It was found that use of linear dimensions such as length and width provided a satisfactory estimative for the different species of Passiflora as well as it was possible to observe that coefficient of determination (R²) were superior to 0.92, resulting in excellent estimates of leaf area, considered as very good for this culture and the models proposed to estimate leaf area by measure of linear dimensions of the leaf presented an excellent performance inasmuch as the index c was greater than 0.85 for all species. In experiment 2, seeds of Passiflora were germinated in washed sand in plastic boxes of 40 cm of width x 20 cm of height x 100 cm of length and after cotyledonal leaf was completely expanded, 48 seedlings of each species were transplanted into PVC tubes of 100 mm of diameter and 150 centimeters of height containing a mixture of sand, earth and manure at the proportion of 3:1:1. Characteristics of root growth and aerial section of the plant were determined in eight plants of each species, in which the first was determined after transplant and the others at 15, 30, 45, 60, 75, 90 and 105 after transplanting. The characteristics evaluated were plant height, number of leaves, leaf area, number of secondary roots, radicle root length, volume of the root system. Afterwards, the material was packed separately (stem, leaf and root) in paper bags and dried at 65oC in an air forced circulation oven until constant weight, for evaluation of dry mass. Based on leaf area and dry mass the following physiological parameters were evaluated: absolute growth rate, relative growth rate, net assimilatory rate, leaf weight ratio and root weight ratio. P. cincinnata, P. gibertii and P. morifolia presented growth rate equal to or greater than P. edulis for all the evaluated characteristics, during the whole evaluation period and the root system of P. gibertii and P. morifolia presented better distribution over substrate, suggesting a better exploration of the soil profile in volume and deepness. P. mucronata obtained less growth than the other species, for the aerial part as well as for root system. P. alata, P. cincinnata, P. edulis f. flavicarpa, P. gibertii, P. morifolia and P. mucronata were used as rootstock for Passiflora edulis f. flavicarpa in experiment 3. It was used as control treatment P. edulis f. flavicarpa. The seedlings were obtained by direct sowing of 20 seeds of each species in 10 L of substrate. Cleft grafting was done at 10 cm of the plant stem 60 days after sowing. Evaluations were done every month and they started 75 days after sowing. Percentage of established grafts, plant height, number of leaves, diameters of the rootstock and diameter of grafts were the characteristics evaluated in the experiment. Rootstock P. mucronata provided the highest height of the aerial part for P. edulis f. flavicarpa and it also promoted the longest length of internodes among all the species used as rootstock. Dwarfing effect was induced by P. gibertii when it was used as rootstock of yellow passion fruit. P. mucronata and P. cincinnata showed to be promising to be used as rootstock of yellow passion fruit.
Palavras-chave: Passiflora
Maracujazeiro silvestre
Enxertia
Área foliar
Passiflora
Passion wild
Grafting
Leaf area
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA::FITOTECNIA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Plantas daninhas, Alelopatia, Herbicidas e Resíduos; Fisiologia de culturas; Manejo pós-colheita de
Programa: Doutorado em Fitotecnia
Citação: MORGADO, Marcos Antonio Dell'orto. Wild passifloras: leaf area, allometric relationships and potential as a rootstock of yellow passion. 2011. 288 f. Tese (Doutorado em Plantas daninhas, Alelopatia, Herbicidas e Resíduos; Fisiologia de culturas; Manejo pós-colheita de) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2011.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/1166
Data do documento: 21-Dez-2011
Aparece nas coleções:Fitotecnia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf3,26 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.