Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/1337
Tipo: Tese
Título: Caracterização de subamostras de tomateiro do BGH-UFV, quanto a resistência a begomovírus e análise da população viral em condições de campo
Título(s) alternativo(s): Search for resistance genes of bipartite geminivirus in tomato subsamples of BGH-UFV, and its response in a greenhouse and field
Autor(es): González Aguilera, Jorge
Primeiro Orientador: Silva, Derly José Henriques da
Primeiro coorientador: Barros, Everaldo Gonçalves de
Segundo coorientador: Zerbini Júnior, Francisco Murilo
Primeiro avaliador: Zerbini, Poliane Alfenas
Segundo avaliador: Pereira, Norma Eliane
Abstract: As begomoviroses transmitidas pela mosca-branca (Bemisia tabaci) estão entre as principais causas de perdas na cultura do tomateiro no Brasil. Para evitar os danos e perdas na cultura do tomateiro, tem sido empregados cultivares e híbridos resistentes, em sua maioria, portadoras apenas do gene Ty-1 que oferece tolerância aos begomovirus presentes no país. No mundo os genes Ty-1, Ty-2 e Ty-3, e recentemente o alelo Ty3a, e os genes Ty4 e Ty5 são os que estão sendo empregados nos programas de melhoramento da cultura. Noventa e quatro subamostras de tomateiro pertencentes ao Banco de Germoplasma de Hortaliças da Universidade Federal de Viçosa (BGH-UFV) foram avaliados em ambiente protegido e no campo quanto à resistência a begomovirus bissegmentados presentes no Brasil, inoculados via bombardeamento e infecção natural, respectivamente. Avaliações visuais dos sintomas (AVS) e confirmação da infecão viral (CIV) por meio de hibridização não radioativa foram realizadas aos 15, 30 e 45 dias após inoculação (DAI) em condições de ambiente protegido e aos 60 dias após transplante (DAT) em condições de campo empregando uma escalas de notas para quantificar a característica AVS. Baseando-se na porcentagem de plantas infectadas aos 45 DAI em ambiente protegido e aos 60 DAT em campo foi avaliada a incidência da doença (ID). A partir de primers específicos para os genes Ty-2 e Ty-3, foram amplificados fragmentos por PCR para confirmar a presença ou ausência dos alelos dos genes nas subamostras avaliadas. A análise de sequência completa de nucleotídeos do DNA-A do vírus detectado em campo indicou ser o Tomato severe rugose virus (uma das espécies do complexo de begomovirus que infecta o tomateiro no Brasil). As sequências obtidas foram usadas para comparações com begomovírus previamente descritos em análise filogenética e análise de recombinação. A estrutura genética e os testes de neutralidade da população de ToSRV evidenciou variabilidade genética se comparada com outras populações já descritas no Brasil, mostrando valores negativos de neutralidade o que sugere a ocorrência de seleção negativa (purificadora) ou uma recente expansão da população. Como resultado das amplificações identificou-se a presença de marcadores relacionados ao alelo do gene Ty-2 em heterozigose na subamostra BGH-6881 e ao alelo do gene Ty-3 em três subamostras (BGH-6878, BGH-6881 e BGH-6897). Com base nos resultados da ANOVA nas avaliações em ambiente protegido e no campo observou-se que a variáveis notas de sintomas visuais foi altamente significativa (P < 0.01) ao diferenciar todos os genótipos avaliados em ambas as condições experimentais e em diferentes intervalos de avaliação. As subamostras foram divididas em dois grandes grupos mediante o teste de Skott & Knot. Correlações de Pearson (&#961;) altas foram encontradas entre os dados visuais e infecção viral (0,67 em ambiente protegido e 0,60 em campo). Pelo comportamento diferenciado das subamostras em ambas as condições experimentais, concluiu-se que em condições de ambiente protegido destacaram-se as subamostras BGH-2144, BGH-2150, BGH-6878 e BGH-6881 e em condições de campo as subamostras BGH-2080 e BGH-6881, todas elas ao considerar baixa incidência de geminivírus e poucos níveis de replicação. O bom comportamento da subamostra BGH-6881 pode ser atribuído a presença dos genes Ty-2 e Ty-3 presentes nela, porém, se comparado com as outras subamostras portadoras do gene Ty-3, pode-se afirmar que o gene Ty-2 foi o responsável pela resistência obtida ao ToYSV em ambiente protegido e ao ToSRV em campo, ou a combinação dos dois genes esta favorecendo a resposta da subamostra a begomovírus. Ao considerar as respostas em ambas as condições experimentais, as variáveis avaliadas, a incidência da doença e a presença dos genes Ty-2 e Ty-3, pode-se concluir que as subamostras BGH-2080 e BGH-6881 são recomendadas como germoplasma promissores a serem empregados nos programas de melhoramento pelo seu desempenho em ambiente protegido e no campo, e podem servir de base para a produção de cultivares mais resistentes a geminivírus no Brasil. A presença do ToSRV no campo e a confirmação de eventos de recombinação permitem afirmar que o contínuo monitoramento da evolução das populações de vírus no campo vai permitir traçar estratégias futuras de controle e de epidemiologia dos begomovírus em nas principais regiões produtoras de tomate no Brasil.
The begomoviroses transmitted by whitefly (Bemisia tabaci) are among the main causes of losses in tomato in Brazil. To avoid damage and losses in tomato, it has been used resistant cultivars and hybrids, most of them carrying only the Ty-1 gene that provides tolerance to begomovirus in the country. In the world, the genes Ty-1, Ty-2 and Ty-3, and recently Ty-3a allele, and the genes Ty5 and Ty4 have been used in crop improvement programs. Ninety-four tomato accessions from the Vegetables Germplasm Bank of the Federal University of Viçosa (BGH-UFV) were evaluated under greenhouse and field conditions for resistance to bi segmented begomovirus present in Brazil, inoculated by biobalistic and via natural infection. Visual evaluations of symptoms (AVS) and confirmation of viral infection (IVC) by means of non-radioactive hybridization were performed at 15, 30 and 45 days after inoculation (DAI) under greenhouse conditions and 60 days after transplanting (DAT) under field conditions using a rating scale to quantify the AVS characteristic. Based on the percentage of infected plants at 45 DAI under greenhouse and at 60 DAT under field conditions, it was evaluated the incidence of the disease (ID). From the specific primers for genes Ty-2 and Ty-3, fragments were amplified by PCR to confirm the presence or absence of alleles of the genes evaluated in the accessions. The analysis of the complete sequence of nucleotides of the DNA-virus detected in the field indicated to be the Tomato severe rugose virus (a complex of species of begomovirus infecting tomato in Brazil). The sequences obtained were used for comparisons with previously described begomoviruses in phylogenetic and recombination analysis. The genetic structure and neutrality tests of ToSRV population showed genetic variability compared with other populations that had already been described in Brazil, showing negative values of neutrality which suggests the occurrence of negative selection (purifying) or a recent population expansion. As a result of the amplifications, it was identified the presence of markers related to allele Ty-2 gene in heterozygous in the accession BGH-6881 and the allele Ty-3 gene in three accessions (BGH-6878, BGH-6881 and BGH-6897). Based on the results of the ANOVA on the evaluations under greenhouse and field conditions, it was observed that the variables scores of visual symptoms was highly significant (P < 0.01) to differentiate all genotypes in both experimental conditions and at different intervals of evaluation. The accessions were divided into two groups by the Skott & Knot test. High Pearson correlations (&#961;) were found between visual data and viral infection (0.67 under greenhouse environment and 0.60 in the field). By the different behavior of the accessions in both experimental conditions, it was concluded that under greenhouse environment, the best results were found in the accessions BGH- 2144, BGH-2150, BGH 6878 and BGH-6881 and, under field conditions, in the accessions BGH-2080 and BGH-6881, all of them with low incidence and few geminivirus replication levels. The good performance of the accession BGH-6881 can be attributed to the presence of allele Ty-2 and Ty-3 genes, but compared to other accessions carrying the allele Ty-3 gene, it can be stated that the allele Ty-2 gene was responsible for the resistance to ToYSV obtained in greenhouse and to ToSRV in the field, or the combination of two genes that favor the response of the accession to begomoviruses. Considering the responses in both experimental conditions, the variables, the incidence of the disease and the presence of genes Ty-2 and Ty-3, it can be conclude that the accessions BGH-2080 and BGH-6881 are recommended as promising germplasm to be used in breeding programs because of their performance under greenhouse and field conditions, and can serve as basis for the production of crops better resistant to geminivirus in Brazil. The presence of ToSRV in the field and the confirmation of recombination events turn it possible to say that the constant monitoring of the evolution of the virus populations in the field will enable to design future strategies of control and epidemiology of begomoviruses in the main tomatoproducing regions in Brazil.
Palavras-chave: Ty-2
Ty-3
Peruvianum
S. Lycopersicum
Estrutura genética
Geminivirose
Ty-2
Ty-3
Peruvianum
S. Lycopersicum
Genetic structure
Geminivirus
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA::FITOTECNIA::MELHORAMENTO VEGETAL
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Genética animal; Genética molecular e de microrganismos; Genética quantitativa; Genética vegetal; Me
Programa: Doutorado em Genética e Melhoramento
Citação: GONZÁLEZ AGUILERA, Jorge. Search for resistance genes of bipartite geminivirus in tomato subsamples of BGH-UFV, and its response in a greenhouse and field. 2011. 89 f. Tese (Doutorado em Genética animal; Genética molecular e de microrganismos; Genética quantitativa; Genética vegetal; Me) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2011.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/1337
Data do documento: 28-Set-2011
Aparece nas coleções:Genética e Melhoramento

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf562,83 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.