Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/137
Tipo: Tese
Título: Choques monetários e tecnológicos e as flutuações cíclicas na economia brasileira
Título(s) alternativo(s): Monetary and technological shocks and cyclical fluctuations in the Brazilian economy
Autor(es): Bender Filho, Reisoli
Primeiro Orientador: Vieira, Wilson da Cruz
Primeiro coorientador: Teixeira, Erly Cardoso
Segundo coorientador: Mattos, Leonardo Bornacki de
Primeiro avaliador: Carvalho, Luciano Dias de
Segundo avaliador: Divino, José ângelo Costa do Amor
Terceiro avaliador: Campos, Antônio Carvalho
Abstract: Os modelos de ciclos reais de negócios enfatizam os choques reais como forma de explicar o comportamento do ciclo econômico, no entanto, em economias como a brasileira, onde as crises econômicas mais recentes tiveram origem em instabilidades monetárias, os choques nominais podem exercer grande importância na explicação das flutuações econômicas. Neste contexto, o presente trabalho buscou examinar a relevância dos choques tecnológicos e monetários sobre os ciclos de negócios da economia brasileira no período entre 1980 e 2009 e no subperíodo entre 1995 a 2009. Para introduzir os fatores nominais nos modelos de ciclos reais, usou-se um modelo que considera que a moeda e sua manutenção geram utilidade aos agentes econômicos, o modelo money-in-the-utility function (MIU). Foram simuladas diversas economias artificiais, as quais permitiram identificar a forma e o padrão de como os ciclos de negócios respondem aos choques tecnológicos e aos monetários. Para tanto, denominou-se de economia-padrão a economia artificial somente com a introdução de choques tecnológicos, e de economia monetária, a economia com a introdução dos choques tecnológicos e monetários. Quando simulada a economia-padrão, os resultados obtidos foram aderentes aos fatos estilizados da economia brasileira em ambos os períodos analisados, porém somente para as variáveis macroeconômicas reais, o que corroborou a necessidade da inclusão dos choques monetários. A simulação da economia monetária provocou ajustes significativos no desvio-padrão e na correlação dos saldos monetários reais e da taxa de inflação, de forma que suas propriedades cíclicas se aproximaram daquelas encontradas pelos fatos estilizados, porém não ocasionou efeitos expressivos sobre a taxa real de juros e a taxa nominal de juros em ambos os horizontes de tempo analisados. Complementando, com o objetivo de verificar a consistência dos choques nominais, foi simulada uma economia monetária com choques tecnológicos associados a diferentes níveis de choques monetários, por meio da qual foram obtidos resultados que indicaram correções importantes na dinâmica dos agregados macroeconômicos, com a volatilidade dos juros nominais elevando-se, contudo, sendo, ainda, significativamente inferior aos dados característicos da economia brasileira, o mesmo ocorrendo com a taxa real de juros. Contudo, as simulações da economia monetária foram ligeiramente mais aderentes aos dados característicos da economia brasileira quando analisado o subperíodo entre 1995 e 2009. Isso se deveu ao fato de as variáveis nominais apresentarem melhor ajustamento e as variáveis reais responderem de forma mais expressiva ao choque monetário, o que não foi verificado nas simulações da economia monetária para o período entre 1980 e 2009. Esses resultados indicaram que as variáveis reais tendem a ser mais sensíveis a mudanças não antecipadas nos agregados nominais em períodos de estabilidade macroeconômica. Deste modo, os resultados alcançados forneceram conclusões de que a introdução dos choques monetários foi importante na explicação dos ciclos de negócios da economia brasileira, embora o efeito sobre a volatilidade das variáveis reais tenha sido de pequena magnitude. Portanto, ao considerar os choques tecnológicos e monetários como parte da estrutura econômica, pôde-se melhor identificar os efeitos da dinâmica econômica, os quais, anteriormente, eram atribuídos apenas aos choques tecnológicos, mas que são, de fato, gerados por outros tipos de distúrbios.
Models of real business cycles emphasize real shocks as a way to explain the behavior of the economic cycle; however, in economies like Brazil, where recent economic crises have originated in monetary instability, the nominal shocks can have great importance in explaining economic fluctuations. In this context, this study sought to examine the relevance of technological and monetary shocks on business cycles in the Brazilian economy between 1980 and 2009 and the sub-period between 1995 and 2009. To introduce the factors rated in real business cycle models, a model was used which considers that the currency and its maintenance generates utility for economic agents, the model money-in-the-utility function (MIU). Various artificial economies were simulated, which allowed the identification of the shape and pattern of business cycles and how they respond to technological and monetary shocks. For this purpose, the artificial economy was named standard economy with the introduction of technology shocks only, and monetary economy, the economy with the introduction of technological and monetary shocks. When the standard economy was simulated, the results were adherent to the stylized facts of the Brazilian economy in both periods analyzed, however, only for real macroeconomic variables, which corroborated the necessity of including monetary shocks. The simulation of the monetary economy triggered significant adjustments in the standard deviation and correlation of real money balances and the rate of inflation, so that their cyclical properties approached those found by the stylized facts, but did not cause significant effects on the real interest rate and the nominal interest rate in both time horizons analyzed. In addition, in order to check the consistency of nominal shocks, a monetary economy was simulated with technological shocks associated with different levels of monetary shocks, through which were obtained results that indicate important corrections in the dynamics of macroeconomic aggregates, with the volatility of nominal interest rates rising, however, still significantly lower than those characteristic of the Brazilian economy, the same happened with the real interest rate. However, the simulations of the monetary economy were slightly more adherent to the characteristic data of the Brazilian economy when we analyzed the sub-period between 1995 and 2009. This was due to the fact that nominal variables showing the best adjustment and the real variables respond more significantly to the monetary shock, which was not observed in simulations of the cash economy for the period between 1980 and 2009. These results indicated that the real variables tend to be more sensitive to unanticipated changes in nominal aggregates in periods of macroeconomic stability. Thus, the results provided findings that the introduction of monetary shocks was important in explaining business cycles in the Brazilian economy, although the effect on the volatility of real variables was small. Thus, when considering the technological and monetary shocks as part of the economic structure, we could better identify the effects of economic dynamics, which were previously attributed only to technological shocks, but are in fact generated by other types of disturbance.
Palavras-chave: Ciclos de negócios
Choques monetários
Choques tecnológicos
Business cycles
Monetary shocks
Technological shocks
CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA::METODOS QUANTITATIVOS EM ECONOMIA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Economia e Gerenciamento do Agronegócio; Economia das Relações Internacionais; Economia dos Recursos
Programa: Doutorado em Economia Aplicada
Citação: BENDER FILHO, Reisoli. Monetary and technological shocks and cyclical fluctuations in the Brazilian economy. 2011. 185 f. Tese (Doutorado em Economia e Gerenciamento do Agronegócio; Economia das Relações Internacionais; Economia dos Recursos) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2011.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/137
Data do documento: 12-Abr-2011
Aparece nas coleções:Economia Aplicada

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf894,42 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.