Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/1472
Tipo: Tese
Título: Glândulas salivares labiais de cães: estudo in situ e após transplantação em olhos hígidos ou portadores de ceratoconjuntivite seca experimental
Título(s) alternativo(s): Dogs labial salivary glands: in situ study and after transplantion in healthy eyes or in eyes presenting experimentally induced keratoconjunctivitis sicca
Autor(es): Galvão, Simone Rezende
Primeiro Orientador: Carlo, Ricardo Junqueira Del
Primeiro coorientador: Benjamin, Laércio dos Anjos
Primeiro avaliador: Cunha, Daise Nunes Queiroz da
Segundo avaliador: Filgueiras, Richard da Rocha
Terceiro avaliador: Pontes, Kelly Cristine de Sousa
Abstract: Foram avaliadas glândulas salivares labiais de cães in situ e após transplantadas na conjuntiva da pálpebra superior de olhos hígidos ou olhos portadores de ceratoconjuntivite seca (CCS) experimental. No estudo in situ, glândulas salivares labiais, juntamente com a mucosa oral, foram removidas de 10 cadáveres de cães adultos, como peça única, no lábio inferior esquerdo na região anatômica do segundo dente pré-molar até a borda distal do segundo molar. Amostras das regiões rostral, média e caudal da peça foram processadas para avaliações morfológica, morfométrica e histoquímica. Para o estudo in vivo, constituído de duas etapas, foram utilizados 10 cães adultos, hígidos, distribuídos em dois grupos de cinco animais. Na etapa 1, a conjuntiva da pálpebra superior do olho esquerdo de cinco animais recebeu transplante de glândulas salivares labiais (TGSL) autógenas, formando o grupo hígido/TGSL e o olho contralateral foi utilizado como controle. Foram avaliados o sítio receptor e o doador, por meio de estudo clínico, a influência do transplante no olho hígido, por meio de exame clínico oftalmológico, e na 17a semana após a realização do transplante, os aspectos morfológico, morfométrico e histoquímico do tecido glandular. Na etapa 2, em cinco animais, foi desenvolvido o quadro de CCS experimental no olho esquerdo. Após estabelecimento do quadro clínico oftalmológico de CCS, a conjuntiva da pálpebra superior do olho esquerdo dos animais recebeu o TGSL autógenas, formando o grupo CCS/TGSL. Foram avaliados o sítio receptor, o sítio doador, a influência do transplante de glândulas salivares labiais autógenas na CCS, por meio de estudo clínico oftalmológico, e os aspectos morfológico, morfométrico e histoquímico do tecido glandular 17 semanas após o transplante. O TGSL autógenas, com 1,2 cm de extensão, foi obtido do lábio inferior esquerdo na região anatômica do último pré-molar e primeiro molar inferiores, e foi acondicionado na conjuntiva da pálpebra superior. No estudo in situ, as glândulas salivares labiais foram facilmente palpadas na região de coleta, tornando-se mais agrupadas no sentido caudal, e classificadas como glândulas exócrinas, compostas, túbuloacinosas, mistas, predominantemente mucosas, com presença de semiluas serosas envolvendo algumas unidades secretoras mucosas, sendo seu sistema de ductos formado por ductos intralobulares intercalares e estriados, ductos interlobulares e ducto excretor principal. Na região rostral havia menor quantidade de parênquima em relação às demais regiões, e o diâmetro dos ácinos se manteve equivalente nas três regiões. Houve reação positiva ao PAS e ao Alcian blue nas três regiões, demonstrando presença de mucinas neutras, ácidas carboxiladas e ácidas sulfatadas. As semiluas serosas apresentaram reação positiva ao Xylidine Ponceau, indicando presença de proteínas. No estudo in vivo, o TGSL autógenas com 1,2 cm de extensão foi coletado e acondicionado na conjuntiva da pálpebra superior sem apresentar complicações no sítio doador e receptor, respectivamente. Em olhos hígidos, após o transplante de glândulas labiais, não houve aumento (p>0,05) da produção de lágrima, nem interferência desfavorável tanto na estabilidade do filme lacrimal quanto na superfície da córnea. Os olhos com CCS experimental associados ao transplante apresentaram resultados clínicos favoráveis, quando comparados aos obtidos após indução do quadro, com presença de secreção salivar, confirmada pelo teste de Schirmer I e pela análise histoquímica. A secreção salivar lubrificou a superfície ocular tornando favorável o resultado da avaliação das células desvitalizadas. As glândulas salivares labiais transplantadas em olhos hígidos apresentaram maior preservação da arquitetura histológica do que em olhos com CCS experimental, sendo que em ambos, os transplantes demonstraram manutenção do padrão histoquímico.
Labial salivary glands were evaluated in situ and after being transplanted into the upper eyelid conjunctiva of healthy eyes or eyes presenting experimentally induced keratoconjunctivitis sicca (KCS). For in situ study, labial salivary glands together with oral mucosa were removed from 10 cadavers of adult dogs as one piece from the anatomic region of the second pre-molar to the distal border of the second molar of the lower left lip. Samples from the rostral, medial and caudal piece were processed for morphologic, morphometric and histochemical evaluations. For the in vivo study constituted of 2 steps, 10 healthy adult dogs were used, distributed in two groups of five animals each. In the first step, the upper conjunctive eyelid of the left eye of five animals received autogenous labial salivary gland transplant (LSGT), forming the healthy/LSGT group and the contralateral eye was used as control. The host and donor sites were clinically evaluated, the influence of the transplant on the healthy eye with ophthalmic clinical examination and on the 17th week after the transplant, morphologic, morphometric and histochemical aspects of the glandular tissue were analyzed. For step 2, in 5 animals KCS was experimentally induced on the left eye. After the ophthalmic clinical establishment of KCS the upper conjunctive eyelid of the left eye of the animals received autogenous LSGT, forming the KCS/LSGT group. The host and donor sites were evaluated as well as the influence of the autogenous labial salivary glands on KCS by ophthalmic clinical examination, and morphologic, morphometric and histochemical aspects of the glandular tissue 17 weeks after transplant. The 1.2 cm long autogenous LSGT was obtained from the anatomic region of the last lower pre-molar to the first molar of the lower left lip and placed in the upper conjunctive eyelid. In the in situ study, labial salivary glands were easily palpated in the harvest point, becoming better grouped caudally and classified as exocrine, compound, tubuloacinar, mixed, predominantly mucous with semilunar serous parts involving some secretory mucous units, with a duct system formed by striated and intercalated intralobular ducts, interlobular ducts and main excretory duct. In the rostral region, a lower amount of parenchyma existed in relation to the remaining regions and acini diameters remained the same in the three regions. PAS and Alcian blue positive reactions in the three regions were observed, demonstrating the presence of neutral, carboxylated acid and sulphated acid mucins. Serous semilunar parts presented positive reaction to Xylidine Ponceau, indicating the presence of proteins. In the in vivo study, the 1.2 cm autogenous LSGT was collected and placed in the upper conjunctive eyelid without any complications for the donor and host sites, respectively. In healthy eyes after labial gland transplant there was no increase in tear production (p>0.05) nor an unfavorable interference both on the lachrymal film stability and cornea surface. Eyes with experimentally induced KCS associated to transplants presented favorable clinical signs when compared to their clinical presentation after KCS induction, with salivary secretion confirmed by Schirmer I and by histochemical analysis. Salivary secretion lubricated ocular surface making the evaluation of devitalized cells favorable. Labial salivary glands transplanted in healthy eyes maintained better their histological architecture than KCS eyes, while in both the transplants maintained their histochemical patter.
Palavras-chave: Cão - Doenças
Glândulas salivares
Cão
Olhos
Ceratoconjuntivite
Dog - Diseases
Salivary glands
Dog
Eyes
Keratoconjunctivitis
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::MEDICINA VETERINARIA::CLINICA E CIRURGIA ANIMAL::CLINICA CIRURGICA ANIMAL
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Biotecnologia, diagnóstico e controle de doenças; Epidemiologia e controle de qualidade de prod. de
Programa: Doutorado em Medicina Veterinária
Citação: GALVÃO, Simone Rezende. Dogs labial salivary glands: in situ study and after transplantion in healthy eyes or in eyes presenting experimentally induced keratoconjunctivitis sicca. 2014. 84 f. Tese (Doutorado em Biotecnologia, diagnóstico e controle de doenças; Epidemiologia e controle de qualidade de prod. de) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2014.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/1472
Data do documento: 30-Jan-2014
Aparece nas coleções:Medicina Veterinária

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf1,74 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.