Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/1530
Tipo: Tese
Título: Obtenção de linhagens recombinantes de Penicillium griseoroseum para produção de poligalacturonase
Título(s) alternativo(s): Obtention of recombinant strains from Penicillium griseoroseum for polygalacturonase production
Autor(es): Ribeiro, João Batista
Primeiro Orientador: Araujo, Elza Fernandes de
Primeiro avaliador: Queiroz, Marisa Vieira de
Segundo avaliador: Passos, Flávia Maria Lopes
Terceiro avaliador: Dias, Eustáquio Souza
Quarto avaliador: Schwan, Rosane Freitas
Abstract: Análise de um fragmento de DNA de 170 pb da região promotora do gene pgg2 contendo um possível CCAAT-box localizado a -270 pares de bases (pb) do códon de início da tradução, por meio de ensaios de migração retardada em gel, revelou a formação de complexos específicos deste fragmento de DNA com proteínas nucleares obtidas a partir de micélio cultivado em meio contendo pectina. A ligação de proteínas no elemento CCAAT foi confirmada quando a análise foi realizada utilizando um oligonucleotídeo fita dupla contendo essa seqüência. Substituição da seqüência original pela seqüência GTAGG diminuiu a formação de complexos específicos, comprovando o envolvimento do elemento CCAAT na regulação da expressão do gene pgg2. Um oligonucleotídeo de 23 pb contendo a seqüência CTACAGTG, similar à seqüência de um cis-elemento de resposta a AMPc encontrado em promotores de leveduras e mamíferos, também foi usado como sonda em ensaios de migração retardada em gel. Complexos de DNA-proteínas não foram detectados quando se utilizou extratos protéicos nucleares, preparados a partir de micélio cultivado em glicose e extrato de levedura, sugerindo que o elemento CTACAGTG não representa um sítio para a ligação de proteínas ativadoras. Foi construído um vetor para inativação do gene pgg2 de P. griseoroseum, denominado pPG15pgg2Δniafo, o qual contém o gene pgg2 interrompido por um fragmento de DNA de 4,0 Kb, correspondente ao gene nia de Fusarium oxysporum. A inativação do gene pgg2, demonstrou que a poligalacturonase codificada por este gene é responsável por 90 % da atividade total de PG de P. griseoroseum. Foi construído um vetor para expressão do gene pgg2 sob o controle do promotor constitutivo do gene gpdA de Aspergillus nidulans, o qual foi utilizado na transformação da linhagem PG63 de P. griseoroseum. Foram obtidas linhagens transformantes que, quando cultivadas na presença de glicose, sacarose ou caldo de cana, apresentaram aumento na atividade de PG de até 12 vezes em relação à linhagem PG63 cultivada em pectina e extrato de levedura. A linhagem recombinante 146 apresentou aumento na atividade de PG quando cultivada em meio contendo glicose (1%) por 48 a 96 horas, utilizando-se 106 ou 107 conídios/mL do meio de cultura. Embora tenha sido observado menor massa micelial seca, quando as linhagens recombinantes foram cultivadas em sacarose e caldo de cana, a atividade de PG foi de 90 % da determinada quando estas linhagens foram cultivadas em glicose. A poligalacturonase produzida pela linhagem recombinante 146 de P. griseoroseum apresentou alta atividade na faixa de pH de 3,5 a 5,0 e nas temperaturas de 30 a 60oC, sendo estável quando armazenada por pelo menos 5 semanas nas temperaturas de -20, 4 e 30oC. No entanto, apresentou baixa termoestabilidade, sofrendo desnaturação quando pré- incubada por 1 hora nas temperaturas de 40, 50 e 60oC. Os níveis enzimáticos relatados neste trabalho e as propriedades físico-químicas da PG II produzida pela linhagem recombinante 146 de P. griseoroseum demonstram a eficiência do sistema de expressão desenvolvido e que a PG II é uma enzima adequada para aplicação na indústria de processamento de sucos de frutas.
Analysis of a 170 bp DNA fragment of the promoter region of the pgg2 gene containing a putative CAAT box at - 270 bp from ATG code by electrophoretic mobility shift assay with nuclear extracts prepared from mycelia grown under pectin- containing medium revealed a high mobility complex that was subsequently confirmed when analysis was conducted employing a double-stranded oligonucleotide spanning the CCAAT motif. A substitution in the core sequence for GTAGG partially abolished formation of specific complexes, showing the involvement of the CCAAT box in the regulation of the polygalacturonase gene studied. A 23 bp sinthetic double- stranded oligonucleotide containing a cis-element resembling the cAMP response element (CTACAGTG) observed in yeasts and mammals promoters was also used as probe in EMSA assays. Band shifts were not seen when nuclear extracts prepared from mycelia cultured on pectin and glucose- containing medium supplemented with yeast extract were used in the reactions. This result suggests that the CTACAGTG element tested is not a target site for regulatory activators. In order to inactivate the P. griseoroseum pgg2 gene, a disruption vector, named pPG15pgg2Δniafo was constructed by inserting a 4 Kb HindIII DNA fragment, containing the nia D gene from Fusarium oxysporum in the coding region of pgg2. The disruption of pgg2 resulted in transformant strains producing at most 12 % of PG activity of the host strain (PG63), indicating that this gene responds for almost 90% of PG total activity in P. griseoroseum. To overexpress extracellular polygalacturonase in P. griseoroseum, an expression cassete was constructed, designated pAN52-pgg2 that contained the pgg2 gene under the control of the strong constitutive promoter gpdA from Aspergillus nidulans. The transformation of the PG63 mutant strain using this vector and the selective plasmid (pNPG1) resulted in the isolation of a recombinant strain (146) that, when cultivated in glucose, sucrose or sugar cane juice as sole carbon source, produced a PG activity 12 times higher than that produced by the mutant strain cultivated in pectin and yeast extract. The PG produced by the recombinant strain possesses an optimum pH range from 3,5 to 5,0 and is inactivated at the extrem pHs 2,5 and 8,0. It was demonstrated that this enzyme acts efficiently hydrolising polygalacturonic acid in a broad range of temperature (30 to 60 oC) with the optimal temperature ranging from 30 to 45 oC. In addition, storage of the recombinant strain culture supernatants at temperatures of - 20, 4, and 30 oC for five weeks did not affect enzyme activity. On the other hand, the enzyme exhibited low thermostability, being inactivated when pre-incubated for 1 hour at temperatures of 40, 50, and 60oC.
Palavras-chave: Linhagens recombinantes
Penicillium griseoroseum
Poligalacturonase
Recombinant strains
Penicillium griseoroseum
Polygalacturonase
CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::GENETICA::GENETICA MOLECULAR E DE MICROORGANISMOS
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Associações micorrízicas; Bactérias láticas e probióticos; Biologia molecular de fungos de interesse
Programa: Doutorado em Microbiologia Agrícola
Citação: RIBEIRO, João Batista. Obtention of recombinant strains from Penicillium griseoroseum for polygalacturonase production. 2005. 108 f. Tese (Doutorado em Associações micorrízicas; Bactérias láticas e probióticos; Biologia molecular de fungos de interesse) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2005.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/1530
Data do documento: 9-Dez-2005
Aparece nas coleções:Microbiologia Agrícola

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf463,83 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.