Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/1615
Tipo: Tese
Título: Gênese, mineralogia, micromorfologia e formas de fósforo em arqueo-antropossolos da várzea do Rio Amazonas
Título(s) alternativo(s): Genesi, mineralogy, micromorphology and phosphorus forms in archeo-antropossolos from Amazon River floodplain
Autor(es): Souza, Kleberson Worslley de
Primeiro Orientador: Schaefer, Carlos Ernesto Gonçalves Reynaud
Primeiro coorientador: Lima, Hedinaldo Narciso
Segundo coorientador: Simas, Felipe Nogueira Bello
Primeiro avaliador: Teixeira, Wenceslau Geraldes
Segundo avaliador: Costa, Liovando Marciano da
Terceiro avaliador: Albuquerque Filho, Manoel Ricardo de
Abstract: Em toda região amazônica é comum a ocorrência de sítios de Terra Preta de Índio (TPI) frequentemente acompanhando os principais rios da região. Os solos de TPI s são considerados antrópicos, pois têm a atividade humana como causa de ocorrência, embora alguns cientistas apontassem outras hipóteses para a formação das TPI s amazônicas, já desacreditadas na atualidade. Neste trabalho, foram estudados sítios de TPI s entre os municípios de Careiro da Várzea e Coarí, no Estado do Amazonas. Os solos estudados foram submetidos às análises químicas e físicas de rotina, fracionamento sequencial das formas de P e determinação dos teores totais de elementos pela digestão das amostras com HCl, HF e HN em micro-ondas. Foram elaborados difratogramas de raios-X para identificação dos minerais da fração argila de amostras selecionadas, na argila natural, argila com saturação de K em 25, 350 e 550 °C, argila saturada com Mg e com Mg mais glicerol em temperatura ambiente e também em argila com tratamento para concentração de óxidos. Foi realizado estudo microquímico e micromorfológico em lâminas feitas a partir de amostras indeformadas. As ações humanas pretéritas nos sítios estudados promoveram modificações significativas em muitas das características físicas, morfológicas, químicas e mineralógicas no solo do ambiente de várzea, tornando-os muito diferentes dos solos adjacentes. Embora o solo da paisagem de várzea seja naturalmente mais fértil, é possível observar que a interferência antrópica causou mudanças significativas na fertilidade dos solos deste ambiente. Os resultados obtidos neste trabalho mostram que os sítios de TPI de várzea estudados apresentam os maiores teores de P já registrado na literatura. O sítio Lauro Sodré contemplado neste estudo chegou a 7.905 mg dm-3 de P extraído pelo extrator Mehlich-1. A maior parte do P nestes solos encontra-se na sua forma originalmente depositada (P-Ca). Sr e Ba, além de Zn e Cu apresentaram correlação direta com os horizontes antrópicos. Outras mudanças no solo que se deveram à intervenção humana são de ordem mineralógica, pela presença de apatita e vivianita, não encontrados nos solos adjacentes. A preservação da apatita biogênica na forma de fragmentos ósseos nos horizontes antrópicos desses solos ocorre, provavelmente, em função do pH mais elevado e do constante aporte de P e Ca geogênico ao solo pela contínua deposição de sedimentos andinos relativamente ricos nesses elementos. Isso é evidenciado pelos mapas microquímicos que em geral mostram fragmentos ósseos sem auréola de reações de dissolução da apatita biogênica. Não obstante, nos horizontes antrópicos desses solos foi constatado atração magnética de parte do material. As análises de DRX detectaram a presença de magnetita e maghemita nesse material. A formação mais provável de minerais magnéticos (magnetita/ maghemita) nos horizontes antrópicos dos Neossolos Flúvicos seria a ocorrência frequente de fogo na área de formação das TPI, promovendo a formação de magnetita a partir de substrato com suficiente fornecimento de Fe3+, liberado de minerais ferromagnesianos de origem andina, em um ambiente quimicamente redutor e com temperaturas elevadas, que posteriormente seria oxidada a maghemita, de acordo com a dinâmica do ambiente. Isso sugere que o uso do fogo era generalizado tanto na várzea quanto na terra firme.
Throughout the Amazon region is common the occurrence in sites of Indian Black Earth (IBE) often accompany the main rivers. The IBE soils are considered anthropic, because they have human activity as a cause of occurrence, although some scientists point out other hypotheses for the formation of the Amazon IBE, already discredited in the news. In this work, were studied sites of IBE between Careiro da Várzea and Coarí cities. The soils were subjected to chemical and physical analysis routine, sequential fractionation of P forms and determination of total contents elements in the sample digestion with HCl, HF and HN in the microwave. Were developed X-ray diffraction patterns for clay minerals identification in selected samples in natural clay, clay with K saturation at 25, 350 and 550 °C, clay saturated with Mg and Mg more glycerol at room temperature and Clay treated for concentration of oxides. The microchemical and micromorphological study was performed in thin sections prepared from undisturbed samples. According to results, the preterit human actions in studied sites promoted significant changes in many of the physical, morphological, chemical and mineralogical soil characteristics of the floodplain environment, making them very different from adjacent soils. Although the soil of the lowland landscape is naturally more fertile, it is possible to observe that human interference has caused significant changes in soil fertility in this environment. The present results show that the floodplain sites studied IBE have the highest P concentrations ever recorded in the literature. The Lauro Sodré site included in this study, showed 7905 mg dm-3 of P extracted by Mehlich-1. Most of the P in these soils is as its form originally deposited in the soil (P-Ca). Zn, Cu, Sr and Ba were directly correlated with the anthropic horizons. Other changes in the soil which were due to human intervention are a matter of mineralogy, the presence of apatite and vivianite, not found in the adjacent soil. The preservation of biogenic apatite in the form of bone fragments in the anthropogenic horizons of these soils is probably due to the higher pH and the constant contribution of P and Ca geogenic to the soil by continuous deposition of Andean sediments relatively rich in these elements. This is evidenced by microchemical maps that generally show bone fragments without surrounding reactions of dissolution of biogenic apatite. Nevertheless, in the anthropic horizons of these soils was found magnetic attraction material. The XRD detected the presence of magnetite and maghemite in this material. The training most likely magnetic minerals (magnetite / maghemite) horizons anthropogenic of Fluvisols was the frequent occurrence of fire in the area of formation of the IBE, promoting the formation of magnetite from the substrate with sufficient supply of Fe3+, released from ferromagnesian minerals of Andean origin, in a chemically reducing environment and high temperatures, which would then be oxidized to maghemite, according to the dynamics of the environment. This suggests that the use of fire was widespread in the floodplain as in the upland.
Palavras-chave: Terra Preta de Índio
Solo antrópico
Solos arqueológicos
Indian Black Earth
Anthropic soil
Archaeological soils
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA::CIENCIA DO SOLO
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Fertilidade do solo e nutrição de plantas; Gênese, Morfologia e Classificação, Mineralogia, Química,
Programa: Doutorado em Solos e Nutrição de Plantas
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/1615
Data do documento: 31-Mar-2011
Aparece nas coleções:Solos e Nutrição de Plantas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf10,54 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.