Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/1657
Tipo: Tese
Título: Resiliência de clones de eucalipto ao défice hídrico e nutricional
Título(s) alternativo(s): Resilience of eucalyptus clones under water and nutritional deficit
Autor(es): Rocha, Julenice Bonifácio de Oliveira
Primeiro Orientador: Neves, Júlio César Lima
Primeiro coorientador: Barros, Nairam Félix de
Primeiro avaliador: Martins, Lafayete Gonçalves Campelo
Segundo avaliador: Rocha, Genelício Crusoé
Terceiro avaliador: Araujo, Wagner Luiz
Abstract: A expansão de plantios de eucalipto vem ocorrendo principalmente em áreas de cerrado, devido, entre outros fatores, ao custo relativamente baixo dessas terras e às condições físicas do solo favoráveis ao estabelecimento desses plantios. No entanto, as restrições hídricas e nutricionais reduzem a produção florestal nessas áreas. Dessa forma, uma questão crucial é a magnitude da recuperação do crescimento (resiliência) se a limitação hídrica e, ou, nutricional forem sanadas. A limitação hídrica observada, geralmente nos meses de inverno, causa menor crescimento inicial de plantios realizados nesse período. No entanto, adequado status nutricional e hídrico do plantio é necessário para que o potencial produtivo do sítio seja atingido. Por isso, na maioria dos plantios realizados nessas áreas, cujos solos são altamente intemperizados e profundos, e, por consequência, pobres em nutrientes, há necessidade de se fazer a correção da fertilidade, antes e, ou, imediatamente após o plantio. Para plantios feitos em época de seca, nem todos nutrientes são supridos imediatamente, em razão da baixa umidade do solo para dissolução e transporte desses até a superfície das raízes. Assim, há de se indagar se a aplicação tardia da adubação de plantio e de cobertura permitiria a expressão máxima da capacidade produtiva do sítio. Este trabalho visou verificar a resiliência de plantios jovens de clones de eucalipto frente a situações de atraso na adubação e de restrição hídrica e avaliar os possíveis mecanismos envolvidos na recuperação do crescimento e qual é a taxa deles depois de sanadas as condições de restrição. Para isso, foi conduzido um experimento com três clones (GG100, I-144 e 1528) durante 10 meses, no município de Taparuba, MG. As mudas, com cerca de 90 dias de idade, foram transplantadas para tambores de plástico de diâmetro de 60 cm e altura de 90 cm. Foram utilizados como substrato porções de um Latossolo Vermelho-Amarelo distrófico, com classificação textural franco-argiloarenosa. A parte superficial dos tambores foi vedada com lona plástica e fita adesiva, a fim de evitar a entrada de água de chuvas e possibilitar a aplicação dos tratamentos. Imediatamente após o plantio, foi adicionada a cada recipiente quantidade de água suficiente para elevar e manter a umidade próxima à capacidade de campo, durante um mês. Após esse período, foi reduzida a aplicação de água nos tratamentos com estresse hídrico, até o solo ficar com a umidade próxima à tensão de 1.500 kPa; e os tratamentos sem estresse hídrico, inicial ou durante todo período do experimento, foram mantidos com umidade próxima à tensão 10 kPa. Os tratamentos constituíram-se: sDH- sem atraso na adubação e sem défice hídrico; DH4- sem atraso na adubação e com défice hídrico até o quarto mês após o plantio; At2 - com atraso na adubação até dois meses e sem défice hídrico; At2DH4- com atraso na adubação até dois meses e com défice hídrico até quatro meses após o plantio; At4 - com atraso na adubação até quatro meses e sem défice hídrico; e At4DH4- com atraso na adubação e com défice hídrico até quatro meses após o plantio. Utilizou-se o delineamento inteiramente casualizado, com os tratamentos em esquema fatorial 3 x 3 x 2 e quatro repetições. Periodicamente, avaliaram-se: sobrevivência, altura das plantas, diâmetro de coleto, teores de nutrientes na folha, fotossíntese líquida (A), condutância estomática (gs), transpiração (E), Ci/Ca, fluorescência da clorofila a, potencial hídrico foliar e concentração de açúcares solúveis. No final do experimento, também foram avaliados o conteúdo de nutrientes e a matéria seca de folhas, caule e raízes. Os défices hídrico e, ou, nutricional reduziram o crescimento das plantas, e o suprimento adequado de água e nutriente promoveu a recuperação do crescimento, em magnitudes variáveis com o clone. A redução da gs que minimiza perda d água; o aumento dos valores de rendimento quântico da dissipação de energia regulada no fotossistema II, para dissipar o excesso de energia luminosa absorvida; e o acúmulo de açúcares, que confere osmoproteção às plantas, foram os mecanismos relacionados à tolerância e resiliência ao estresse hídrico. Após o ressuprimento das condições adequadas de água e nutriente no solo, foi verificada a rápida retomada da taxa de fotossíntese e absorção de nutrientes pelas plantas.
Eucalyptus plantations have been expanding mainly in cerrado areas, as a result, among other factors, of the relatively low cost of these lands and favorable physical conditions of the soil. However, water and nutritional restrictions reduce forest production in these areas. Thus, a crucial question arises: what would the magnitude of growth recovery (resilience) be if water and nutritional limitations were solved? .Generally observed during the winter months, water limitation causes lower initial growth of the planting performed during this period. However, adequate nutritional and water status of the planting is necessary for the productive potential of the area to be attained. That explains why in most of these areas, characterized by highly weathered and deep soils, and consequently, poor in nutrients, fertility correction is needed before and, or immediately after planting. For plantings conducted during periods of drought, not all the nutrients are supplied immediately, due to the low humidity of the soil that hinders dissolution and transport of these nutrients up to the surface of the roots. Thus, it is questioned whether late planting and cover fertilization application would allow the maximum expression of the yielding capacity of the area. This work aimed to verify the resilience of young eucalyptus clone plantations under late fertilization and water restriction situations and to evaluate the possible mechanisms involved in growth recovery, and their rates after these restriction conditions are overcome. Thus, an experiment using three clones (GG100, I-144 and 1528) was carried out during 10 months in Taparuba, MG. Approximately 90-day-old seedlings were transplanted into 60 cm diameter and 90 cm high plastic recipients. Portions of a dystrophic Red Yellow Latosol with sandy clay loam texture were used. The surface of the recipients was covered with a plastic sheet and tape to prevent rain from falling in and allow treatment application. Immediately after planting, an amount of water sufficient to increase and maintain humidity next to field capacity was added to each recipient, during one month. After this period, the application of water was reduced in the water- stressed treatments, until the soil reached humidity near tension of 1.500 kPa; the treatments without water stress, initially, or throughout the experiment, were maintained at humidity close to tension 10 kPa. The treatments were constituted as follows: sDH - without fertilization delay and without water deficit; DH4 - without fertilization delay and with water deficit up to the fourth month after planting; At2 - with fertilization delay up to two months and without water deficit; At2DH4 - with fertilization delay up two months and with water deficit up to 4 months after planting; At4 - with fertilization delay up to 4 months and without water deficit; and At4DH4 - with fertilization delay and water deficit up to 4 months after planting. The experiment was arranged in a completely randomized design, in a factorial scheme 3 x 3 x 2, and four repetitions. Survival, plant height, stem diameter, leaf nutrient contents, liquid photosynthesis (A), stomata conductance (gs), transpiration (E), Ci/Ca, a chlorophyll, fluorescence, leaf water potential, and soluble sugar concentration were periodically evaluated. At the end of the experiment, nutrient content as well as leaf, stem, and root dry matter were evaluated. Water and/or nutritional deficits reduced the growth of the plants and an adequate supply of water and nutrients promoted growth recovery at magnitudes variable with the clone. The mechanisms related to tolerance and resilience to water stress were. The gs reduction, which minimizes water loss; increase in quantic yield values of regulated energy dissipation in photo-system II to dissipate the excess of luminous energy absorbed; and accumulation of sugars, which confers osmo-protection to the plants. After re-supplying adequate water and nutrient conditions to soil, a rapid increase of the photosynthesis rate and nutrient absorption by the plants was verified.
Palavras-chave: Eucalipto - Deficit hídrico
Eucalipto - Nutrição
Eucalipto - Clones
Eucalyptus - water deficit
Eucalyptus - Nutrition
Eucalyptus - Clones
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA::CIENCIA DO SOLO
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Fertilidade do solo e nutrição de plantas; Gênese, Morfologia e Classificação, Mineralogia, Química,
Programa: Doutorado em Solos e Nutrição de Plantas
Citação: ROCHA, Julenice Bonifácio de Oliveira. Resilience of eucalyptus clones under water and nutritional deficit. 2013. 87 f. Tese (Doutorado em Fertilidade do solo e nutrição de plantas; Gênese, Morfologia e Classificação, Mineralogia, Química,) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2013.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/1657
Data do documento: 18-Set-2013
Aparece nas coleções:Solos e Nutrição de Plantas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf8,27 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.