Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/16891
Tipo: Artigo
Título: Paclobutrazol and branch tip pruning on the flowering induction and quality of mango tree fruits
Autor(es): Oliveira, Girlaine Pereira
Siqueira, Dalmo Lopes de
Salomão, Luiz Carlos Chamhum
Cecon, Paulo Roberto
Machado, Daniel Lucas Magalhães
Abstract: The 'Ubá' mango tree cultivar is very important for the juice industry in the "Zona da Mata" region of the Minas Gerais State, in Brazil, but problems such as uneven flowering and low yield have discouraged producers. This study aimed at evaluating the effect of paclobutrazol, combined with branch tip pruning, on the flowering induction and quality of 'Ubá' mango tree fruits. Treatments were distributed in a 5 x 2 + 1 factorial arrangement, consisting of five paclobutrazol doses (0 g, 0.50 g, 1.00 g, 1.50 g and 2.0 g per linear meter of canopy), with and without branch tip pruning, in a randomized blocks design, with four replicates. The flowering percentage, number of panicles per branch, total flowers per panicle, male/hermaphrodite flowers ratio, number of fruits per branch and fruit quality were evaluated. Plants treated with tip pruning showed a higher flowering percentage. There was an increase in the flowering percentage in response to the paclobutrazol dose, reaching a maximum level at the dose of 1.62 g per linear meter of canopy. Plants submitted to branch tip pruning had a higher number of panicles per branch. There was an increase in the male/hermaphrodite flowers ratio with increasing paclobutrazol doses. Branch tip pruning increased the number of fruits per branch. There were no differences in fruit quality in response to the paclobutrazol application. It was concluded that the paclobutrazol application at the dose of 1.62 g per linear meter of canopy, combined with branch tip pruning, increases the flowering of the 'Ubá' mango tree and does not change the fruit quality.
A mangueira 'Ubá' é muito importante para as indústrias produtoras de suco na região da Zona da Mata Mineira, mas problemas como florescimento desuniforme e baixa produtividade têm desestimulado os produtores. Objetivou-se avaliar a eficiência do paclobutrazol, aliado ao desponte de ramos, na indução do florescimento e na qualidade dos frutos da mangueira 'Ubá'. Os tratamentos foram distribuídos em esquema fatorial 5 x 2 + 1, sendo compostos por cinco doses de paclobutrazol (0 g; 0,50 g; 1,00 g; 1,50 g; e 2,0 g por metro linear de copa), com e sem desponte dos ramos, em delineamento de blocos casualizados, com quatro repetições. Foram avaliados a porcentagem de florescimento, número de panículas por ramo, total de flores por panícula, razão entre flores masculinas e hermafroditas, número de frutos por ramo e qualidade dos frutos. Plantas tratadas com desponte apresentaram maior porcentagem de florescimento. Houve acréscimo na porcentagem de florescimento em resposta à dose de paclobutrazol, atingindo nível máximo na dosagem de 1,62 g por metro linear da copa. Plantas com desponte dos ramos apresentaram maior número de panículas por ramo. O incremento na dose de paclobutrazol aumentou a razão entre flores masculinas e hermafroditas. O desponte dos ramos aumentou o número de frutos por ramo. Não houve diferenças na qualidade dos frutos em resposta à aplicação do paclobutrazol. Conclui-se que a aplicação de paclobutrazol até a dose de 1,62 g por metro linear da copa, aliada ao desponte, aumenta o florescimento da mangueira 'Ubá' e não altera a qualidade dos frutos.
Palavras-chave: Mangifera indica L.
Flowering induction
Growth regulator
Editor: Pesquisa Agropecuária Tropical
Tipo de Acesso: Open Access
URI: http://dx.doi.org/10.1590/1983-40632016v4743861
http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/16891
Data do documento: Fev-2017
Aparece nas coleções:Artigos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
artigo.pdfTexto completo1,23 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.