Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/1703
Tipo: Tese
Título: Desempenho produtivo e exigências nutricionais de bovinos de corte em pastagens de Brachiaria decumbens, com suplementação protéica
Título(s) alternativo(s): Performance and nutrient requeriments of beef cattle in Brachiaria decumbens pasture, with protein supplementation
Autor(es): Paixão, Mônica Lopes
Primeiro Orientador: Paulino, Mário Fonseca
Primeiro coorientador: Valadares Filho, Sebastião de Campos
Segundo coorientador: Valadares, Rilene Ferreira Diniz
Primeiro avaliador: Detmann, Edenio
Segundo avaliador: Rennó, Luciana Navajas
Abstract: Esta tese foi elaborada a partir de seis experimentos que objetivaram avaliar os efeitos de diferentes fontes protéicas sobre o desempenho produtivo e as características nutricionais de bovinos de corte suplementados durante os períodos da seca/transição seca-águas e águas em pastagens de Brachiaria decumbens; e estimar a composição corporal e as exigências de energia, proteína e macrominerais de bovinos de corte sob pastejo durante o período das águas. No Experimento 1 (Período de seca), foram utilizados 20 bezerros não castrados com idade e pesos médios iniciais, respectivamente, de 10 meses e 254,70 ± 24,09 kg para avaliar o desempenho. As fontes protéicas avaliadas foram o farelo de glúten de milho 21% PB + farelo de trigo + uréia (FGM); feijão triturado (FET); feijão inteiro (FEI); farelo de trigo + uréia (FTR) e farelo de arroz + uréia (FAR). Houve diferença estatística para ganho de peso diário (P<0,10), os valores em kg por dia foram 0,571; 0,432; 0,506; 0,676 e 0,614, respectivamente. No Experimento 2 (Período de transição seca-águas e das águas), foram utilizados 16 bezerros não castrados com idade e pesos médios iniciais, respectivamente, de 15 meses e 339,75 ± 42,35 kg para avaliar o desempenho. Avaliaram-se a mistura mineral (MM) e as fontes protéicas: feijão inteiro + farelo de trigo + uréia (FEI); farelo de trigo + uréia (FTR) e farelo de arroz + uréia (FAR). Não houve diferença estatística para ganho de peso diário, sendo que os valores em kg por dia foram 0,433; 0,588; 0,514 e 0,416, respectivamente. No Experimento 3 (Período de seca), foram utilizados 20 bezerros não castrados com idade e pesos médios iniciais, respectivamente, de 10 meses e 185,90 ± 21,47 kg para avaliar o desempenho. As fontes protéicas avaliadas foram o farelo de soja (FSO); farelo de algodão (FAL); Glúten de milho 60% PB (GLM); farelo de amendoim (FAM) e suplemento auto controle (AC). Não houve diferença estatística para ganho de peso diário, sendo que os valores em kg por dia foram 0,524; 0,486; 0,470; 0,518 e 0,505 respectivamente. No Experimento 4 (Período de transição seca-águas e águas), foram utilizados 20 bovinos não castrados com idade e pesos médios iniciais, respectivamente, de 10 meses e 258,10± 29,52 kg para avaliar o desempenho. Avaliaram-se a mistura mineral (MM) e as fontes protéicas: farelo de soja (FSO); Farelo de glúten de milho 60% PB (GLM); farelo de amendoim (FAM) e suplemento auto controle (AC). Houve diferença (P<0,10) estatística para ganho de peso diário, entre os animais suplementados com GLM e AC e os não suplementados, sendo que os valores em kg por dia foram 0,351; 0,529; 0,688; 0,519 e 0,574 respectivamente. No Experimento 5 (Período das águas) foram utilizados cinco animais Zebu x Holandês, com peso médio inicial de 196,2 kg, fistulados no rúmen, abomaso e esôfago para avaliação dos consumos e das digestibilidades aparentes totais e parciais dos nutrientes, bem como amostragem da pastagem via coleta de extrusa. As fontes protéicas avaliadas foram o farelo de glúten de milho 21% PB + farelo de trigo + uréia (FGM); feijão + farelo de trigo + uréia (FEI); farelo de trigo + uréia (FTR) e farelo de arroz + uréia (FAR). Apenas foi encontrada diferença (P<0,05) estatística para o consumo de extrato etéreo. No Experimento 6 foram avaliados os consumos dos nutrientes assim como a concentração de energia das dietas e a composição corporal, bem como foram estimadas as exigências nutricionais de energia, proteína e macrominerais, de bovinos de corte sob pastejo. Foram utilizados 24 animais não-castrados, com peso vivo (PV) médio inicial de 339,0 kg e idade média de 15 meses. Quatro animais foram abatidos, após o período de adaptação, para servirem de referência para estimativas do peso de corpo vazio (PCVZ) e da composição corporal inicial dos animais mantidos no experimento. Dos 20 animais restantes, quatro foram designados ao grupo mantença com tempo de pastejo restrito para limitar o consumo de energia a nível próximo da mantença. Os demais foram distribuídos entre os tratamentos feijao + farelo de trigo +uréia (FEI); farelo de trigo + uréia (FTR) e farelo de arroz + uréia (FAR). A relação obtida entre o peso de corpo vazio (PCVZ) e o peso vivo (PV) dos animais referencia foi utilizada para a estimativa do PCVZ inicial dos animais que permaneceram no experimento. Os conteúdos de gordura, proteína, energia e macrominerais Ca, P, Na, K ou Mg, obtidos em função do logaritmo do PCVZ. A exigência líquida de energia para mantença foi estimada como o anti-log do intercepto da equação obtida pela regressão linear entre o logaritmo da produção de calor (PC) e o consumo de energia metabolizável (CEM), assim como pelo coeficiente a da equação de regressão exponencial entre a ER e o CEM, dos animais suplementados juntamente com os não- suplemetandos e os do grupo mantença. Os consumos de proteína bruta, carboidratos não-fibrosos e extrato etéreo foram estatisticamente diferente (P<0,05), sendo que os animais suplementados apresentaram maiores consumos destes nutrientes quando comparados aos não suplementados. Na avaliação do balanço de energia e na composição corporal foram observadas diferenças entre a relação de PCVZ:PV sendo para a mantença e o tratamento com farelo de trigo + uréia os maiores valores encontrados. A energia retida e o ganho de peso diário foram menores pra os animais da mantença. As eficiências de utilização da energia metabolizável (EUEM) para mantença (km) e ganho de peso (kg) foram estimadas a partir da relação entre os teores de energia líquida, para mantença ou ganho, respectivamente, em função da EM da dieta. As quantidades de energia e gordura no ganho aumentaram com o aumento do PV dos animais. As exigências de energia líquida para ganho de peso de bovinos anelorados nãocastrados sob pastejo podem ser obtidas pela equação: ER= 0,0397*PCVZ0,75*GDPCVZ1,1982. O requisito energético diário para mantença foi de 74,01 kcal/PV0,75. A km estimada foi de 0,53 e a kg de 0,32. As exigências líquidas de proteína para ganho diminuíram com o aumento do peso vivo (PV) dos animais. A exigência liquida de proteína encontrada para um animal de 250 kg foi de 192,87 g/kg GPCVZ, enquanto para um animal de 400 kg foi de 187,01 g/kg GPCVZ. Foi obtida a seguinte equação para estimativa da proteína retida (PR), em função do ganho de peso vivo em jejum (GPVJ) e da energia retida (ER): PR (g/dia) = 16,2036 +234,3105*GPVJ - 31,4027*ER. As exigências de proteína metabolizável para mantença e ganho de peso estimadas foram de 357,77 e 380,10 g/kg PV, respectivamente, para um bovino não-castrado de 400 kg de PV sob pastejo. As exigências líquidas para ganho de peso de cálcio, fósforo e magnésio diminuem, com o aumento do peso vivo dos animais. As relações com a proteína retida foram 7,56 g Ca/100 g PBretida e 4,94 g P/100 g PBretida, respectivamente para Ca e P.
This thesis was elaborated from six experiments that aimed to evaluate the effects of different protein sources on performance and nutritional parameters of beef cattle supplements during of the dry, dry-rainy and rainy seasons, in Brachiaria decumbens pasture, as well as to estimate the body composition and the energy, protein, and macrominerals requirements of grazing beef cattle during the rainy season. In Experiment 1 (Dry Season), 20 castrated steers with average initials age of 10 months and weight of 254,70 ± 24,09 kg were used. The protein sources evaluated were corn gluten meal 21% CP + wheat middlings + urea (FGM); cracked bean (FEIT); whole bean (FEII); wheat middlings + urea (FTR) and rice bran + urea (FAR). There was difference for average daily gain (P<0,10), and the values, in kg per day, were 0,571; 0,432; 0,506; 0,676 and 0,614, respectively. In Experiment 2 (Dry-rainy and rainy seasons), 16 castrated steers with average age and weights of 15 months and 339,75 ± 42,35 kg were used. It were evaluated a mineral mixture (MM) and different protein sources: whole bean + wheat middlings + urea (FEI); wheat middlings + urea (FTR) and rice bran + urea (FAR). There was no difference for average daily gain, and the values, in kg per day, were 0,433; 0,588; 0,514 and 0,416, respectively. In Experiment 3 (Dry Season), 20 castrated calves with average initials ages and weights of 10 months and 185,90 ± 21,47 kg were used. The protein sources evaluated were soybean meal (FSO); cottonseed meal (FAL); corn gluten 60% CP (GLM); peanut meal (FAM) and self-feed supplement (AC). There was no difference for average daily gain, and the values, in kg per day, were 0.524; 0.486; 0.470; 0.518 and 0.505, respectively. In Experiment 4 (Dry-rainy and rainy seasons), 20 intact calves with average initials age and weights of 10 months and 258,10± 29,52 kg were used. It were evaluated a mineral mixture (MM) and different protein sources: soybean meal (FSO); corn gluten 60% CP (GLM); peanut meal (FAM) and self-feed supplement (AC). There was difference (P < 0.10) for average daily gain between protein supplemented and non-supplemented animals, and the values, in kg per day were 0,351; 0,529; 0,688; 0,519 and 0,574 respectively. In Experiment 5 (Rainy season), five Holstein-Zebu steers, fistulated in rumen, abomasum and esophagus, with average initial weight of 196 kg, were used to evaluate the apparent digestibility and ruminal digestibility, as well as for sampling the pasture through esophageal collection. The protein sources evaluated were corn gluten 21% CP + wheat middlings + urea (FGM), whole bean + wheat middlings + urea (FEI), wheat middlings + urea (FTR), and rice bran + urea (FAR). There was difference (P <0,05) only for intake of ether extract. In Experiment 6, the nutrient intake, the energy concentration of diets, the body composition, as the requirements of energy, protein and macrominerais, of grazing bulls were evaluated. There was used 24 intact bulls with initial live weight (LW) of 339 kg and average age of 15 months. Four bulls were slaughtered at the beginning of the trial, after the adaptation period, to be used as reference to estimate the initial empty body weight (PCVZ) and body composition of the others bulls. The 20 remaining animals, were allocated in a complete randomized design, in five treatments: restricted grazing time to limit energy intake to a level close to the maintenance level, or fed the following supplements: mineral mixture (MM), whole bean + wheat middlings + urea (FEI); wheat middlings + urea (FTR) and rice bran + urea (FAR). The fat, protein, energy and macrominerais (Ca, P, Na, K and Mg) contents were obtained as a function of the logarithm of PCVZ. The net energy requirement for maintenance was estimated as the anti-log of the intercept of the linear regression of the logarithm of the heat production (PC) on the metabolizable energy intake. The intake of crude protein, non-fibrous carbohydrate and ether extract were different (P <0,05), in which the protein supplemented animals had higher intakes than non- supplemented animals. The retained energy and the daily weight gain were lower for animals of the maintenance treatment. The efficiencies of utilization of metabolizable energy (MEEU) for maintenance (km) and gain (kg) were estimated from the relationship between the net energy concentration, for maintenance or gain, respectively, and the metabolizable energy (ME) content of the diet. The amount of energy and fat in the gain increased as the body weight of the animals increased. The net energy requirements for gain (NEg) of zebu steers can be obtained by the equation: NEg = 0,0397*BW0,75*EBG1,1982. The daily net energy requirement for maintenance was 74,01 kcal/BW0,75. The estimated value for km was 0.53 and for kg was 0.32. The protein requirements for gain decreased as the BW increased. The protein requirement found for an animal with 250 kg, was of 193 g/kg EBG while for an animal of 400 kg was 187 g/kg EBG. An equation was obtained to estimate the retained protein (RP) as a function of the weight gain (ADG) and the retained energy (RE): RP = 16,2036 + 234,3105*ADG - 31,4027*RE. The requirements of metabolizable protein for maintenance and for weight gain were of 358and 380 g/kg BW, respectively, for a 400 kg bull under grazing. The net requirements for gain of calcium, phosphorus and magnesium decreased with the increase of the weight of the animals. The relationships of retained Ca and P with the retained protein were 7.56 g Ca/100 g retained CP and 4,94 g P/100 g retained CP.
Palavras-chave: Bovino de corte
Exigência
Proteína
Beef cattle
Requeriments
Protein
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::ZOOTECNIA::NUTRICAO E ALIMENTACAO ANIMAL
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul
Programa: Doutorado em Zootecnia
Citação: PAIXÃO, Mônica Lopes. Performance and nutrient requeriments of beef cattle in Brachiaria decumbens pasture, with protein supplementation. 2008. 124 f. Tese (Doutorado em Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2008.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/1703
Data do documento: 29-Fev-2008
Aparece nas coleções:Zootecnia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf383,82 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.