Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/1741
Tipo: Tese
Título: Características morfogênicas e estruturais dos pastos e desempenho de novilhos em capim-braquiária sob diferentes alturas
Título(s) alternativo(s): Morphogenic and structural characteristics of sward and performance of steers on signal grass under to four heights
Autor(es): Faria, Dawson José Guimarães
Primeiro Orientador: Fonseca, Dilermando Miranda da
Primeiro coorientador: Detmann, Edenio
Segundo coorientador: Martuscello, Janaina Azevedo
Primeiro avaliador: Veloso, Cristina Mattos
Segundo avaliador: Gomide, Carlos Augusto de Miranda
Abstract: O experimento foi desenvolvido no Setor de Forragicultura da Universidade Federal de Viçosa-MG, em pastagem de Brachiaria decumbens Stapf. cultivar Basilisk, avaliando-se a produção de forragem, características morfogênicas e estruturais do pasto, desempenho animal e padrão de desfolhação por novilhos em capim-braquiária submetido a quatro alturas dos pastos, objetivando-se estabelecer altura de manejo desta espécie, sob lotação contínua. Os tratamentos foram constituídos por alturas dos pastos (10, 20, 30 ou 40 cm), em delineamento experimental inteiramente casualizado, com duas repetições. O período experimental foi de 09 de janeiro de 2006 a 30 de junho de 2007, totalizando 537 dias de avaliação. O método de pastejo adotado foi lotação contínua com taxa de lotação variável, mantendo-se dois animais-teste por piquete durante o período experimental com adição e retirada de animais de equilíbrio para manutenção das alturas dos pastos. Utilizaram-se novilhos mestiços, com 236,9 kg e cruzados Red Angus x Nelore, com de 193,9 kg de peso corporal médio inicial, em 2006 e 2007, respectivamente. Para as características morfogênicas e estruturais do pasto, padrão de desfolhação, composição morfológica, disponibilidade de matéria seca, matéria seca verde, colmo, lâmina foliar e material morto, o período experimental foi subdividido nas estações do ano: verão (janeiro a março) e outono (abril a junho), nos anos de 2006 e 2007; inverno (julho a setembro) e primavera (outubro a dezembro) apenas de 2006. O desempenho animal foi avaliado em duas épocas: Águas 1 (janeiro de 2006 a maio de 2006) e Águas 2 (outubro de 2006 a abril de 2007). As alturas dos pastos influenciaram a taxa de alongamento de colmo intacto de forma linear e positiva. As maiores alturas apresentaram maior alongamento do colmo pastejado, com menores valores em relação aos colmos intactos. O alongamento das lâminas intactas aumentou linearmente com as alturas dos pastos. Já as lâminas pastejadas tiveram resposta cúbica no verão 1 e linear positiva na primavera e verão 2, em razão das alturas dos pastos. Houve maior taxa de alongamento das lâminas intactas em relação à das lâminas pastejadas. A taxa de aparecimento foliar respondeu linear e negativamente às alturas dos pastos, enquanto o filocrono e a duração de vida da folha apresentaram resposta linear e positiva. As alturas dos pastos influenciaram o número de folhas vivas total, com resposta linear decrescente no verão de 2006, linear crescente no inverno e cúbica no outono de 2007. Para o número de folhas vivas pastejadas, observou-se resposta linear negativa em ambos verões e efeito cúbico na primavera, em virtude das alturas dos pastos. O número de folhas intactas teve resposta quadrática no outono 1 e cúbico na primavera e no verão 2 em função das alturas dos pastos. O comprimento final da lâmina aumentou linearmente com as alturas dos pastos. A taxa de senescência das lâminas intactas e pastejadas aumentou com as alturas dos pastos, com menores valores para as últimas. Para a relação lâmina: colmo, o efeito foi linear negativo em função das alturas dos pastos para todas as estações do ano, excetuando-se o inverno e verão 2, estações nas quais se observou efeito quadrático. As alturas dos pastos proporcionaram efeito linear negativo em relação ao número de perfilhos basilares nos verões, outono 1, inverno, primavera. Para o número de perfilhos aéreos o efeito foi linear negativo no verão 1; linear positivo no outono 1; sem efeito no inverno e outono 2; quadrático na primavera e cúbico no verão 2 em razão das alturas dos pastos. O número total de perfilhos vivos se alterou devido às das alturas dos pastos, apresentando efeito quadrático no outono 1 e primavera; ausência de efeito no inverno e outono 2 e linear nos verões. No outono 1, o ponto de máximo foi estimado em 20,77 cm, com 1451,66 perfilhos e na primavera em 19,49 cm e 1515,03 perfilhos. As disponibilidades de matéria seca total, matéria seca verde e matéria seca de colmos aumentaram linearmente com as alturas dos pastos. A disponibilidade de matéria seca de lâminas foliares apresentou respostas diferentes em função das alturas dos pastos nas estações do ano, aumentando de forma linear na primavera, verão 2 e outono 2, com resposta quadrática no verão 1 e outono 1 e cúbica no inverno. A disponibilidade de matéria seca de material morto aumentou com as alturas dos pastos em todas as épocas avaliadas, exceto no verão 2. Verificou-se, para a densidade de forragem, efeito linear e decrescente das alturas dos pastos. O aumento nas alturas dos pastos promoveu efeito linear crescente sobre a porcentagem de colmos nos verões e outonos e cúbico na primavera. Para a porcentagem de lâmina foliar, o efeito foi linear positivo nos verões e outonos e cúbico no inverno de acordo com o aumento das alturas dos pastos. Verificou-se efeito linear sobre a porcentagem de material morto, decrescente para os verões e crescente no inverno em função das alturas dos pastos. Quanto à intensidade de desfolhação de lâminas expandidas, observou-se efeito linear positivo das alturas dos pastos apenas no outono 1 e verão 2. Para a intensidade de desfolhação das lâminas em expansão, observou-se efeito linear positivo em função das alturas dos pastos, nos verões, outono 1 e primavera. Constatou-se maior intensidade de desfolhação das lâminas em expansão do que das lâminas expandidas em todas as alturas dos pastos. Para o intervalo de desfolhação das lâminas expandidas houve aumento linear da menor para a maior altura do pasto. Observou-se efeito das alturas dos pastos sobre o intervalo de desfolhação das lâminas em expansão somente no verão 2. Verificou-se que as folhas em expansão são pastejadas mais frequentemente que as expandidas. O ganho médio diário dos animais não diferiu entre as alturas dos pastos, com valor médio de 784 e 606 g.animal.dia-1, no primeiro e no segundo período das águas, respectivamente. O consumo de forragem foi influenciado pelas alturas dos pastos, de forma cúbica na época águas 1 e linear na águas 2. Observou-se resposta cúbica da taxa de lotação em relação às alturas dos pastos, nos dois períodos de avaliação. A produtividade por área foi influenciada pelas alturas dos pastos, de forma quadrática, na primeira e na segunda época das águas. As características morfogênicas e estruturais, composição morfológica do pasto, disponibilidades de matéria seca,de lâminas foliares, de colmo e de material morto, densidade da forragem são influenciadas pelas alturas dos pastos. A desfolhação proporcionou menores valores de alongamento de colmos e lâminas pastejados. As alturas dos pastos influenciaram a taxa de lotação, o consumo de forragem e a produtividade por área, mas não o ganho de peso dos novilhos. As alturas dos pastos orientam ações de manejo no sistema de produção. Pasto de B. decumbens, em lotação contínua, com altura de aproximadamente 16 cm, proporciona maior taxa de lotação, enquanto alturas entre 18 e 23 cm resulta em maior produtividade por área.
The experiment was conducted in the Forage Crops Sector of Federal University of Viçosa-MG, in a sward of Brachiaria decumbens Stapf. Growing Basilisk, evaluating the production of Forage Crops, morphogenic and structural characteristics of the sward, animal performance and pattern of defoliation by steers on signal grass in four sward heights, aiming to find the best height management of this species, under continuous stocking. The experiments consisted of sward heights (10, 20, 30 or 40 cm) in a completely randomized design with two replications. The experimental period was from January 09th, 2006 to June 30th, 2007, totaling 537 days of evaluation. The sward system adopted was continuous stocking with variable stocking rate, keeping two animals per paddock during the test period with addition and removal of animals to maintain balance on sward heights. Crossbred steers were used, with 236.9 kg and Nellore x Red Angus crossed with 193.9 kg of average initial body weight in 2006 and 2007, respectively. For the morphogenic and structural characteristics of the sward, defoliation pattern, morphological composition, availability of dry grass, dry and green grass, stem, leaf blade and dead material the experimental period was divided into the following seasons of the year: summer (January to March) and autumn (April to June) in the years of 2006 and 2007, winter (July to September) and spring (October to December) of 2006 only. The animal performance was evaluated in two seasons, Water 1 (January to May, 2006) and Waters 2 (October, 2006 to April, 2007). The sward height influenced the rate of stem stretching in intact linear and positive stage. The greatest heights showed higher stem stretching being under grazing, with smaller values compared to the intact stem. The stretching of the intact blades increased linearly with the height of the sward. However the grazing blades had cubic response during summer 1 and positive linear during spring and summer 2, depending on the height of grasses. There was a higher rate of intact blade stretching compared to the grazing blades. The rate of leaf emergence responded linear and negatively to the heights of the grasses, while the phytochrome and the duration of life of the leaf showed linear and positive response. The height of grasses influenced the total number of alive leaves, with linear decreasing response in the summer of 2006, linear increasing during winter and cubic in the fall of 2007. For the number of alive grazing leaves was observed negative linear response in both summers and cubic effect in the spring, depending on the height of grasses. The number of intact leaves had a quadratic response in the autumn 1 and cubic during spring and summer 2 depending on the heights sward. The blade final length increased linearly with the height of grasses. The rate of senescence of the intact and grazing blades increased with the height of grasses, with lower values for the last ones. For the relationship between blade and stem, the effect was negative linear depending on the height of sward for all seasons of the year, except in the winter and summer 2, seasons in which it was observed a quadratic effect. It was observed that the heights of grasses imposed linear negative effect compared to the number of basal tillers during summers, autumn 1, winter and spring. For the number of aero tillers, the effect was linear negative in summer 1; linear positive in autumn 1, without effect in the winter and autumn 2, quadratic in the spring and cubic during summer 2 depending on the sward heights. The total number of alive tillers was changed depending on the height of grasses, displaying quadratic effect during autumn 1 and spring, lack of effect during winter and autumn 2 and linear during summers. During autumn 1, the point of maximum was estimated at 20.77 cm with 1451.6581 tillers and during spring 19.49021 at 1515.0331 cm tillers. The total dry grass availability, dry and green materials and dry stems increased linearly with the height of grasses. The availability of dry leaves blade showed different responses depending on the height of grasses in the seasons, increasing linearly in the spring, summer 2 and autumn 2 with quadratic response in summer 1 and autumn 1 and cubic during winter. There was increased availability of dry and dead material with the heights of the grasses at all times evaluated, except in summer 2. There was, for the forage density, a linear and decreasing effect on the height of grasses. The increase in the sward heights promoted increasing and linear effect upon the percentage of stems during summers and autumns and cubic during spring. For the leaf blade percentage the effect was linear positive during summers and autumns and cubic during winter according to the increase of the height of grasses. There was a linear effect upon the percentage of dead material, decreasing for the summers and increasing during winter depending on the height of grasses. Regarding the intensity of defoliation of expanded blades, there was positive linear effect of the height of grasses in the autumn 1 and Summer 2 only. For the intensity of blade defoliation spreading, there was positive linear effect depending on the height of grasses during summers, autumn 1 and spring. There is greater intensity of spreading blade defoliation than expanded blades at all times of the swards. For the range expanded blade defoliation there was linear increase from lower to higher sward height. It was observed just the grass height s effect upon the range of defoliation of expanding blades during summer 2. It was found that the growing leaves are grazing more frequently than the expanded ones. The average daily gain of the animals did not differ between the heights of grasses, with the average value of 784 and 606 g.animal.day-1, in the first and second period of waters respectively. The consumption of forage was influenced by grass height, in a cubic way for water 1 and linear for water 2. There was cubic response of stocking rate compared to the sward heights during the two periods of evaluation. The productivity per area was influenced by the height of grasses, in a quadratic way, in the first and second season of water. The morphogenic and structural characteristics, morphological composition of the sward, availability of dry material of blade leaves, of stem and dead material, density of forage are influenced by sward height. The defoliation caused lower values of stretching of stems and grazing blades. The height of grasses influenced the stocking rate, consumption of forage and productivity per area, but not the weight gain of steers. The heights of grasses guide management actions for the production system. B. decumbens sward, in continuous stocking, with sward height of approximately 16 cm offered greater stocking rates, while heights of 18 and 20 cm had greater productivity per area.
Palavras-chave: Ecofisiologia
Lotação contínua
Morfogênese
Ecophysiology
Continuous stocking
Morphogenesis
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::ZOOTECNIA::PASTAGEM E FORRAGICULTURA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul
Programa: Doutorado em Zootecnia
Citação: FARIA, Dawson José Guimarães. Morphogenic and structural characteristics of sward and performance of steers on signal grass under to four heights. 2009. 162 f. Tese (Doutorado em Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2009.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/1741
Data do documento: 2-Abr-2009
Aparece nas coleções:Zootecnia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf1,15 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.