Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/1743
Tipo: Tese
Título: Efeitos de idade e suplementação protéica sobre características de carcaça e qualidade de carne de bovinos criados em pasto
Título(s) alternativo(s): Effects of age and supplementation strategies on carcass traits and meat quality of bulls grazing tropical pasture
Autor(es): Cavali, Jucilene
Primeiro Orientador: Paulino, Pedro Veiga Rodrigues
Primeiro coorientador: Gomide, Lucio Alberto de Miranda
Segundo coorientador: Paulino, Mário Fonseca
Primeiro avaliador: Felício, Pedro Eduardo de
Segundo avaliador: Veloso, Cristina Mattos
Abstract: Acompanhou-se o crescimento de tourinhos de corte mantidos em pasto, da amamentação à terminação, recebendo diferentes estratégias de suplementação. O objetivo com este estudo foi avaliar por ultra-sonografia, as características quantitativas da carcaça, do desmame ao final da recria e correlacioná-las com medidas das carcaças dos animais na terminação; avaliar a qualidade da carne quanto a composição química, os tipos de fibras musculares, o índice de fragmentação miofibrilar e a força de cisalhamento, perdas exsudativas e índice de cor da carne; bem como, avaliar o perfil de ácidos graxos da gordura intramuscular do músculo Longissimus dorsi. Foram utilizados 52 bezerros, não-castrados, Nelore, distribuídos em quatro tratamentos, mantidos em pastagens de Brachiaria decumbens Stapf e suplementados com concentrados formulados com diferentes perfis protéicos ou sal mineral ad libitum (controle). As estratégias de suplementação denominadas T1, T2 e T3 foram constituídas, na amamentação, por suplementos contendo 10, 20 e 30% de proteína bruta, respectivamente, ofertados em sistema de creep feeding; enquanto nas demais fases (recria na seca, recria na transição secas-águas e terminação nas águas) mantendo-se os concentrados isoprotéicos em 33% e 27% nas recrias e terminação, respectivamente, variando-se apenas o teor de nitrogênio não protéico (NNP), os quais caracterizavam os tratamentos T1, T2 e T3 em 0, 4 e 8% de uréia nas recrias e 0, 3 e 6% de uréia na terminação. Os suplementos foram fornecidos diariamente nas quantidades de 1,2; 1,5 e 2,0 kg para amamentação, recrias e terminação, respectivamente. Os animais foram abatidos aos 250, 343, 446 e 580 dias de idade, referente às fases de produção de cria, recria I, recria II e terminação, respectivamente. Mensurações ultras-sonográficas das carcaças: área de olho-de-lombo AOL, espessura de gordura subcutânea na região dorso-lombar EGS, e sobre o músculo Bíceps femoris - P8, foram tomadas ao final das fases de cria, recria I, recria II e terminação. Medidas das carcaças dos animais obtidas pós-abate foram utilizadas para correlacioná-las com as medidas ultrassonográficas obtidas nas demais fases. Os animais suplementados tiveram maior (P<0,10) AOL, EGS e P8, na fase de amamentação, em relação ao controle. A EGS foi superior (P<0,10) para os bezerros que receberam os maiores níveis de proteína bruta nos suplementos. As estratégias de alimentação protéicas propostas foram eficientes em proporcionar ganhos de massa muscular por aumentar a AOL (P<0,10) com incrementos de 0,0354 cm2 ao dia, dos 250 aos 446 dias de idade, além de promover maior EGS, comparado aos animais do grupo controle, suplementados exclusivamente com sal mineral (1,08 mm vs 0,44 mm), mesmo em animais precoces no período seco do ano. As medidas de carcaça dos animais abatidos na fase de terminação melhor correlacionaram-se com as medidas ultrassonográficas dos animais a desmama. Em relação à qualidade da carne, a idade ao abate de tourinhos suplementados a pasto exerceu influencia (P<0,10) sobre os tipos de fibras musculares, índice de fragmentação miofibrilar e gordura intramuscular. Porém, não influenciou (P>0,10) a força de cisalhamento, sendo possível caracterizar as carnes como macias. As estratégias de alimentação favoreceram modulações entre os tipos de fibras musculares, com maior freqüência de fibras brancas para os suplementos contendo maiores níveis de NNP (T2 e T3), não influenciando os demais parâmetros de qualidade da carne. Para os aspectos relacionados à coloração da carne e perda de exsudatos, a idade ao abate influenciou (P<0,10) a qualidade da carne dos novilhos, caracterizando as carnes como vermelhas e pouco exsudativas. As estratégias de suplementação reduziram (P<0,10) as perdas por descongelamento. A carne dos animais abatidos na fase de amamentação, apresentou perfil de ácidos graxos com alta presença de eicosapentanóicos - EPA, docosapentanóicos - DPA e docosahexanóicos - DHA, além de maiores valores de ácidos linoléicos conjugados - CLA, destacando-se entre os ácidos graxos de importância nutracêutica. A fase de maior restrição nutricional, ou período seco dado por meados recria II, favoreceu maior biohidrogenação ruminal dos ácidos graxos. A terminação de novilhos precoces em pasto favoreceu (P<0,10) a deposição de ácidos graxos monoinsaturados (AGM) e reduziu poliinsaturados (AGP) mantendo constantes os ácidos graxos saturados (AGS); contudo, reduziu eicosanóides antiinflamatórios da série n-3. A carne dos animais que receberam apenas mistura mineral, apresentaram maiores (P<0,10) teores de ácido graxo palmítico (C16:0) e menores de esteárico (C18:0), porém não diferiram (P>0,10) dos suplementados quanto aos AGS. O pasto favoreceu (P<0,10) oléico (C18:1), linolênico (C18:3) e ácidos graxos da série n-3, além da ação das enzimas endógenas responsáveis por dessaturações (&#916;9-dessaturases), AGM e EPA na gordura intramuscular dos animais que consumiram apenas sal mineral. A suplementação protéica aumentou (P<0,10) AGP e a razão n-6/n-3, sem exceder a razão benéfica de 4:1, reduziu AGM e EPA, porém não influenciou (P>0,10) os teores dos AGS. A idade e os sistemas de alimentação modificaram o perfil de ácidos graxos da gordura intramuscular. Entretanto, a carne de novilhos precoces suplementados em pasto pode ser considerada de alta qualidade quanto ao perfil de ácidos graxos da gordura intramuscular, constituindo um alimento saudável segundo os novos padrões dietéticos, independente da estratégia de suplementação protéica avaliada.
Follow the growth of bulls feeding on pasture, weaning termination, receiving different strategies of supplementation. Fifty two Nellore bulls, grazing Brachiaria decumbens pasture, were used, separated in four groups representing bulls fed ad libitum with mineral salt and tree protein supplementation strategies and thirteen replicates. Strategies T1, T2 and T3 were formulated with corn, soybean meal and composed by the levels of 10, 20 and 30 % of crude protein on creep-feeding ration and by urea levels background ration, keeping isoproteic the ration. The bulls were fed everyday with 1.2, 1.5 and 2.0 kg/animal to calves, growing and finishing bulls, respectively. On each age the animals were slaughtered and a sample of the Longissimus dorsi was taken at the level of the last rib to analyses of meat. The objective was evaluate the effects of strategies protein supplementation strategies on in vivo carcass traits of bulls grazing pasture by ultrasound, avaluate the meat quality according to muscle fibers traits, index of myofibrillar fragmentation, meat shear force, exudative losses and meat color ad fatty acid profile of intramuscular fat of bulls grazing tropical pasture on different ages. The protein supplementation provided greater Longissimus muscle area (AOL), subcutaneous fat thickness (RIB) and rump fat (RUMP) in beef calves fed in a creep feeding system and the RIB were greater when highest levels of crude protein in supplements were offered. The protein supplementation strategies proposed was efficient (P<0.10) to improve gainthe carcass muscularity with increases of the AOL (P<0.10) in 0.0354 cm2/day, from 250 to 446 days old, in addition to promoting greater RIB compared to the animals receiving mineral mix (1.08 mm vs 0.44 mm) even in young bulls in dry season of the year, which allows obtaining bulls with adequate carcass composition to slaughter in lower age. The carcass traits of finishing bulls were better correlated with traits measured by ultrasound on calves phase. The correlations profile of measures in ages was influenced by protein supplementation keeping nutritional restriction and by kind of tissue evaluated, muscle or fat tissues. The different ages of slaughter growing and finishing bulls fed in pasture modify parameters of meat quality as kind of muscle fibers, myofibrillar fragmentation index and intramuscular fat (P<0.10), however didn´t it under shear force (P>0.10), being possible define the meat of young bulls who tender beef. The finishing bulls grazing tropical pasture are defined by red meat color and lower losses of water. The strategies of supplementation favor changes among muscle fibers with increase of white fiber frequency or IIB fibers, to the supplement with most levels of non protein nitrogen (NPN) and decrease defrost losses (P<0.10), don´t modifying another s traits of meat quality. In the last study was to evaluate the fatty acid profile of intramuscular fat (IMF) was determined by gas chromatography. The calf meat has fatty acid profile with high levels of EPA, DPA and DHA, and yet high values to conjugated linoleic acid (CLA), standing all fatty acid with nutraceutical importance. The period of nutritional restriction or dry period favors the ruminal biohydrogenation of fatty acids. The finishing of young bulls in pasture improve monounsaturated fatty acids (MUFA) and decrease polyunsaturated (PUFA) keeping constant the saturated fatty acids (SFA), however decrease the eicosanoids noninflammatory of n-3 series. IMF of bulls of the control group (pasture + mineral mixture) had greater (P<0.10) contents of palmitic (C16:0), oleic (C18:1), linoleic (C18:3) and eicosapentaenoic acid (EPA), more monounsaturated fatty acids (MUFA) and lower estearic acid (C18:0) when compared to the other groups, but did not differ (P>0.10) from the supplemented counterparts regarding total saturated fatty acids (SFA) content. Protein supplementation improved (P<0.10)the amount of polyunsaturated fatty acids (PUFA) and n-6/n-3 ratio of the IMF of the animals, when compared to the control group. However, the MUFA and EPA content of the IMF of the supplemented animals were lower (P<0.10) than the values observed in the animals that received only mineral mixture. Different strategies of protein supplementation of young bulls grazing tropical pastures can modify the fatty acid profile of intramuscular fat and thus be used as a tool to produce beef that meets specific niche markets.
Palavras-chave: Maciez
Creep-feeding ultrassom
Softness
Creep-feeding ultrassom
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::ZOOTECNIA::NUTRICAO E ALIMENTACAO ANIMAL
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul
Programa: Doutorado em Zootecnia
Citação: CAVALI, Jucilene. Effects of age and supplementation strategies on carcass traits and meat quality of bulls grazing tropical pasture. 2010. 121 f. Tese (Doutorado em Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2010.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/1743
Data do documento: 8-Abr-2010
Aparece nas coleções:Zootecnia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf1,86 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.