Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/1842
Tipo: Tese
Título: Energia metabolizável e aminoácidos digestíveis de alimentos para suínos
Título(s) alternativo(s): Metabolizable energy and digestible amino acid of feedstuffs to swine
Autor(es): Carvalho, Thony Assis
Primeiro Orientador: Rostagno, Horácio Santiago
Primeiro coorientador: Albino, Luiz Fernando Teixeira
Segundo coorientador: Hannas, Melissa Izabel
Primeiro avaliador: Sorbara, José Otávio Berti
Segundo avaliador: Rodrigueiro, Ramalho José Barbosa
Abstract: Foram realizados dois ensaios metabólicos e um ensaio de digestibilidade ileal com os objetivos de determinar a digestibilidade dos nutrientes, os valores de energia digestível (ED), metabolizável aparente (EMA) e metabolizável corrigida (EMAn), os coeficientes de digestibilidade ileal aparente e verdadeira da proteína e de aminoácidos, de alimentos utilizados em dietas de suínos. No primeiro ensaio metabólico, foram avaliados sete alimentos energéticos: milho, sorgo, milheto, farinha de trigo, macarrão, biscoito e resíduo de pão, e no segundo ensaio, cinco alimentos protéicos: leite em pó padronizado, plasma sanguíneo suíno, concentrado protéico de soja, soja semi-integral extrusada e farinha mista suína, utilizando-se do método de coleta total de fezes (CTF) e da utilização do indicador, cinza insolúvel em ácido (CIA), concomitantemente. Observou-se variação na composição química entre os alimentos estudados devido à diversidade de origem entre eles. Não se observou interação entre tratamentos x metodologia. As metodologias proporcionaram a obtenção de valores semelhantes de ED, EMA e EMAn. Dentre os alimentos energéticos os maiores coeficientes de digestibilidade da matéria seca (CDMS), matéria orgânica (CDMO) e proteína bruta (CDPB)foram obtidos para o macarrão. Afarinha de trigo apresentou os maiores coeficientes de digestibilidade da fibra em detergente neutro (CDFDN) e fibra em detergente ácido (CDFDA). O milheto apresentou os menores CDMS, CDMO, CDFDN e CDFDA. O maior coeficiente de digestibilidade do extrato etéreo foi verificado para o pão, de 90,43%. Dentre os alimentos protéicos, observou-se CDMS e CDMO inferiores para a farinha mista suína e maior coeficiente de digestibilidade da proteína bruta para o plasma sanguíneo suíno, de 97,26%. No ensaiode digestibilidade ileal foram avaliados seis alimentos energéticos: biscoito, farinha de trigo, macarrão, milho, resíduo de pão e quirera de arroz, e seis alimentos protéicos: caseína, concentrado protéico de soja A, concentrado protéico de soja B, farinha mista suína, leite em pó padronizado e plasma sanguíneo suíno, utilizando-se da técnica da cânula em T simples e estimativa de perda endógena basal com fornecimento de dieta isenta de proteína (DIP). Os coeficientes de digestibilidade ileal aparente (CDapPB) e verdadeira (CDvPB) da proteína brutavariaram, respectivamente de 69,05 a 83,60% e de 86,01 a 94,90%; dentre os alimentos energéticos.Entre os alimentos protéicos os CDapPB e CDvPB variaram, respectivamente, de 62,04 a 86,29%e de 70,64 a 96,12%. Os coeficientes de digestibilidade verdadeira dos aminoácidos essenciais (CDvAAE) e não essenciais (CDvAANE) médios para o milho, foram respectivamente de 88,35 e 87,49%.Os CDvAAE e CDvAANE médios determinados para o plasma sanguíneo suíno, foram respectivamente, de 94,93 e 91,31%. A composição química, os valores de energia, os coeficientes de digestibilidade da proteína bruta, extrato etéreo, fibra em detergente neutro, fibra em detergente ácido e os conteúdos de aminoácidos digestíveis dos alimentos avaliados podem ser utilizados como referência para formulação de dietas de suínos com base em EMAn e nutrientes digestíveis.
Two metabolic trials and one ileal digestibility trial were made with swine to determine nutrient digestibility, digestible energy (DE), apparent metabolizable energy (AME), nitrogen balance corrected AME (AMEn), digestibility coefficients of apparent and true ileal protein and amino acids of feedstuffs. In the first metabolic trial seven feedstuffs were evaluated to determine the energy content: corn, sorghum, millet, wheat flour, pasta resídue, cracker meal andbakery meal. In the second metabolic trial, five feedstuffs were evaluated: milk, powder partially skimmed, porcine blood plasma, soy protein concentrate, partially defatted extruded whole soybean and swine by-product meal. Total faeces collection (TFC) and acid insoluble ash (AIA) methods were used as indicator of indigestibility. Variation was observed in bromatological composition specially when takes into account the diversity of origin of these feedstuffs. No interaction treatments x methods was observed. Both methods provided similar values of DE, AME and AMEn. Among the feedstuffs with high energy content, was observed higher digestibility coeficient of dry matter (DCDM), organic matter (DCOM) andcrude protein (DCCP) to pasta residue. The wheat flourpresented the highest digestibility coefficients ofneutral detergente fiber (DCNDF) and acid detergent fiber (DCADF). The millet presented the lowest DCDM, DCOM, DCNDF e DCADF. The higher digestibility coefficient of crude fat was observed to bakery meal, of 90,43%. Among the feedstuffs with high protein content was observed lowest DCMS and DCOM to swine by-product meal, and the higher digestibility coefficient of crude protein was observed to porcine blood plasma, of 97,26%. In ileal digestibility trial were evaluated six feedstuffs with high energy content: cracker meal, wheat floor, pasta resídue, corn, bakery meal and broken rice and six feedstuffs with high protein content: milk casein, soy protein concentrate A, soy protein concentrate B, swine by-product meal, milkpowder partially skimmed and porcine blood plasma spray dried, using the technique of the simple T-canula and estimate the basal endogenous losses using N-free diet method. Among the feedstuffs with high energy content the coefficients of apparent (DCapCP) and true (DCvCP) ileal protein digestibility ranged from 69,05 to 83,60% and 86,01 to 94,90%, respectively. Among the feedstuffs with high protein content the DCapCP and DCvCP ranged from 62,04 to 86,29% and 70,64 to 96,12%,respectively. The mean of coefficients of apparent and true ileal essential amino acids (DCvEAA) and nonessential (DCapNEAA) amino acids digestibility to corn, were 88,35 and 87,49%, respectively. The mean of DCvEAA and DCvNEAA to porcine blood plasma were 94,93 and 91,31%, respectively. The bromatological composition, energy values and digestibility coeficientes of crude protein, ether extract, neutral detergent fibre, acid detergent fibre and digestible amino acid content from feedstuffs evaluated can be used like reference for the formulation of pig diets based in AMEn and digestible nutrients.
Palavras-chave: Energia metabolizável
Aminoácidos
Suínos
Metabolizable energy
Amino acids
Swine
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::ZOOTECNIA::NUTRICAO E ALIMENTACAO ANIMAL::AVALIACAO DE ALIMENTOS PARA ANIMAIS
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul
Programa: Doutorado em Zootecnia
Citação: CARVALHO, Thony Assis. Metabolizable energy and digestible amino acid of feedstuffs to swine. 2013. 141 f. Tese (Doutorado em Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2013.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/1842
Data do documento: 20-Fev-2013
Aparece nas coleções:Zootecnia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf1,38 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.