Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/20361
Tipo: Artigo
Título: Competitividade do sistema produtivo de cana-de-açúcar em Minas Gerais: abordagem matriz de análise política
Autor(es): Martins, Alexandra Pereira
Gomes, Marília Fernandes Maciel
Rosado, Patrícia Lopes
Ferreira Neto, José
Abstract: O objetivo deste estudo foi avaliar a eficiência e a competitividade da produção de cana-de-açúcar em Minas Gerais, com base nos diferentes sistemas de produção presentes na principal região produtora do Estado, o Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba. Os princípios analíticos dos conceitos usados basearam-se na Teoria da Firma e do Comércio Internacional. O instrumental utilizado nesta análise foi a Matriz de Análise Política (MAP), desenvolvido por Monke e Pearson (1989). Os resultados obtidos indicam que os sistemas produtivos são competitivos e eficientes, dadas as políticas vigentes, e que o sistema produtivo irrigado foi o que apresentou maior competitividade.
The objective of this paper is to evaluate the efficiency and the competitiveness of the sugarcane production in Minas Gerais, based on different production systems. The applied theory is based on the Theory of the Firm and of the International Trade. The analytical method is the Policy Analysis Matrix (PAM). The results suggest that the production systems are competitive and efficient and that the irrigated production system presented the greatest competitiveness.
Palavras-chave: Competitividade
Matriz de análise política
Cana-de-açúcar
Editor: Revista de Economia e Agronegócio
Tipo de Acesso: Open Access
URI: https://revistarea.ufv.br/index.php/rea/article/view/98
http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/20361
Data do documento: 13-Nov-2006
Aparece nas coleções:Artigos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
artigo.pdfTexto completo204,81 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.