Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.custom.ufv.br//handle/123456789/2200
Tipo: Dissertação
Título: Interações entre cupins (Insecta: Isoptera) e termitófilos
Título(s) alternativo(s): Interactions between termites (Insecta: Isoptera) and termitophiles
Autor(es): Rosa, Cassiano Sousa
Primeiro Orientador: Souza, Og Francisco Fonseca de
Primeiro coorientador: Krüger, Rodrigo Ferreira
metadata.dc.contributor.advisor-co2: Lima, Eraldo Rodrigues de
Primeiro avaliador: Sperber, Carlos Frankl
Segundo avaliador: Elliot, Simon Luke
metadata.dc.contributor.referee3: Carmo, Flávia Maria da Silva
Abstract: Os cupins são insetos eussociais que, normalmente, constroem seus próprios ninhos. Esses ninhos são freqüentemente invadidos por outras espécies de cupins (inquilinos) e de outros animais (termitófilos). Pouco se sabe sobre o motivo pelo qual os termitófilos procuram os ninhos dos cupins, e principalmente quais são as interações existentes entre termitófilos e cupins. Esta dissertação teve como objetivos: (i) compilar o conhecimento existente sobre as possíveis interações entre estas espécies e (ii) testar a hipótese de que interações neutras ou positivas podem ser encontradas entre os cupins construtores Cornitermes cumulans e alguns de seus termitófilos. Dentre as possibilidades teóricas pelas quais cupins toleram termitófilos em seus ninhos, identificou-se interações positivas, negativas e neutras, que se originariam de duas estratégias básicas a serem empregadas pelos termtófilos. Por um lado, termitófilos podem passar despercebidos, ocupando o ninho sem serem encontrados pelos cupins. Por outro lado, termitófios podem ser de fato encontrados pelos cupins, mas obterem sucesso na invasão via mecanismos miméticos ou mesmo por interações positivas. Dentre os vários casos de coabitação entre cupins e termitófilos conhecidos, alguns se enquadram nos três tipos de interações positivas. Entretanto, como nenhum experimento foi relatado na literatura para testar explicitamente alguma interação, apresentamos neste trabalho um teste da hipótese referida acima. Os dados foram coletados na Mata do Paraíso, Viçosa, MG, Brasil e os indivíduos identificados até o menor nível taxonômico possível. Os resultados não mostraram diferenças significativas na sobreviência de C. cumulans quando colocados com larvas de besouros ou com larvas inanimadas feitas com massa de modelar, indicando que tais cupins não se beneficiam diretamente de exsudatos da larva de besouro nem da mera presença física da mesma. Por outro lado, isto mostra também que não há interações negativas neste caso.
Termites are eussocial insects that usually build their own nests. These nests are frequently invaded by other animal species - including termites - such invaders being known respectively as termitophiles or inquilines. The reasons for termites tolerance to invaders, as well as the interactions between termitophiles and their termites host, are poorly understood. This work aims (i) to compile the current knowledge on such interactions and (ii) to test the hypothesis that positive or neutral interactions occur between Cornitermes cumulans and one of the termitophiles. Among the theoretical possibilities for cohabitation between termite and termitophiles, we identified positive, negative, and neutral interactions, which would arise from two basic strategies employed by the invader. Firstly, termitophiles could occupy the termite nest without being found by their hosts. Secondly, despite being found, termitophiles could succeed through mimetic mechanisms or even positive interactions. Among the several known cases of cohabitations between termites and termitophiles, several can be tipified as one of the three likely interactions. However, as no experiment has been reported to explicitly tests these interactions, we present here a test of the hypothesis referred to above. Data were collected in a Atlantic forest remnant in Viçosa, Brazil and specimens were identified to the lowest possible taxon. Results did not show significant differences in the survival of C. cumulans workers when confined together with (i) only termite individuals, (ii) beetle larvae, and (iii) plasticine fake larvae, indicating that termites did not profit either directly from any exsudate from the beetle larva, neither from the mere physical presence of it. Moreover, this shows also that the beetle larva did not present any negative interaction to the termites.
Palavras-chave: Cupins
Termitófilos
Interações
Termites
Termitophiles
Interactions
CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::ECOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Biologia e Manejo animal
Programa: Mestrado em Biologia Animal
Citação: ROSA, Cassiano Sousa. Interactions between termites (Insecta: Isoptera) and termitophiles. 2008. 65 f. Dissertação (Mestrado em Biologia e Manejo animal) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2008.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/2200
Data do documento: 25-Fev-2008
Aparece nas coleções:Biologia Animal

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf1,19 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.