Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/2204
Tipo: Dissertação
Título: Variação cariotípica de Astyanax bimaculatus (Linnaeus, 1758) (Pisces: Characidae) nas bacias costeiras do Brasil
Título(s) alternativo(s): Karyotypic variation of Astyanax bimaculatus (Linnaeus, 1758) (Pisces: Characidae) in the coastal basins of Brazil
Autor(es): Fava, Lucioni
Primeiro Orientador: Santos, Jorge Abdala Dergam dos
Primeiro coorientador: Feio, Renato Neves
Segundo coorientador: Giudice, Gisele Mendes Lessa Del
Primeiro avaliador: Yotoko, Karla Suemy Clemente
Segundo avaliador: Pazza, Rubens
Abstract: O gênero Astyanax inclui um conjunto de aproximadamente 90 espécies hoje consideradas, junto com a maioria dos antigos Tetragonopterinae, como incertae sedis dentro da família Characidae. O gênero compreende peixes de pequeno tamanho e que foram definidos com base em critérios artificiais. Sete populações costeiras de uma dessas espécies, Astyanax bimaculatus, foram analisadas citogeneticamente com: técnicas de coloração convencional; Banda C para evidenciar blocos heterocromáticos; nitrato de prata para evidenciar regiões organizadoras de nucléolos (NORs) e cromomicina A3 para detecção de regiões ricas em guanina e citosina. As sete populações são do sudeste brasileiro: uma no rio Pardo, cinco populações da bacia do rio Doce, uma população da cabeceira do rio Piranga na mesma bacia e uma população do rio Carangola, na bacia do rio Paraíba do Sul. Todas as populações estudadas apresentaram 2n=50 e fórmula cromossômica com 6 cromossomos metacêntricos, 20 submetacêntricos, 18 subtelocêntricos e 6 telocêntricos, um par de NORs localizadas em um par de cromossomos subtelocêntricos e altos níveis de variação de padrões de heterocromatina. Todos esses estados de caráter são semelhantes aos de A. lacustris da bacia do São Francisco. Esta estabilidade contrasta com a grande variabilidade observada nas populações deste complexo de espécies do Paraná Superior, representadas por Astyanax altiparanae. A estabilidade cariotípica das populações costeiras reflete isolamento geográfico, enquanto que pelo menos parte da grande variabilidade cariotípica das populações do Paraná Superior pode ter ocorrido por um contato secundário entre esta bacia com populações das bacias costeiras. A variação de blocos heterocromáticos entre as populações isoladas desde o Quaternário foi interpretada como variação intra- específica.
The genus Astyanax comprises 90 species considered together with most of the old Tetragonopterinae as incertae sedis within the family Characidae. Most of the Astyanax are small, were classified in an artificial taxonomic system and therefore their taxonomic boundaries are poorly defined. Seven coastal populations of one of these species, Astyanax bimaculatus were studied cyotgenetically with conventional (Giemsa) stain, heterochromatin was evidenced with C- banding, nucleolar organizing regions and associated guanine- cytosine-rich regions were evidenced with silver nitrate and chromomycine A3. All populations are from southeastern Brazil: one in Pardo River, five in the Doce basin including four Quaternary lakes and a population in the headwaters of the Piranga River and one population from the Carangola River in the Paraíba do Sul basin. All populations shared the same 2n=50 diploid number and chromosome morphology comprising 6 metacentric, 20 submetacentric , 18 subtelocentric and 6 telocentric chromosomes, and one pair of NORs located in a pair of subtelocentrics. However, populations were characterized by high levels of variation of heterochromatic regions. All these character states were shared with Astyanax lacustris from the São Francisco River. This karyotypic stability stands in sharp contrast with the one reported in populations of this species complex in the Upper Paraná, today described as Astyanax altiparanae. It is suggested that the observed patterns are due to the relative geographic isolation of the coastal populations and that at least part of the high karyotypic variability that characterizes A. altiparanae may be explained by secondary contact between Upper Paraná and coastal populations. Finally, variation of heterochromatic blocks suggests that Quaternary isolation has not favored chromosomal speciation.
Palavras-chave: Astyanax bimaculatus
Citogenética
Heterocromatina
Astyanax bimaculatus
Cytogenetics
Heterochromatin
CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::ZOOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Biologia e Manejo animal
Programa: Mestrado em Biologia Animal
Citação: FAVA, Lucioni. Karyotypic variation of Astyanax bimaculatus (Linnaeus, 1758) (Pisces: Characidae) in the coastal basins of Brazil. 2008. 89 f. Dissertação (Mestrado em Biologia e Manejo animal) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2008.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/2204
Data do documento: 28-Mar-2008
Aparece nas coleções:Biologia Animal

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf2,8 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.