Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/224
Tipo: Tese
Título: Influência do pH, dos constituintes da matriz e do estádio de maturação do tomate na análise de agrotóxicos por cromatografia gasosa
Título(s) alternativo(s): Influence of pH, components of the matrix and the stage of maturation of tomato in the analysis of pesticides by gas chromatography
Autor(es): Sousa, Flaviane Aparecida de
Primeiro Orientador: Neves, Antônio Augusto
Primeiro coorientador: Queiroz, Maria Eliana Lopes Ribeiro de
Primeiro avaliador: Coutrim, Maurício Xavier
Segundo avaliador: Queiroz, José Humberto de
Terceiro avaliador: Oliveira, André Fernando de
Abstract: O presente trabalho teve como objetivo aprofundar os estudos relacionados ao efeito de matriz na análise cromatográfica de agrotóxicos. Inicialmente procurou-se avaliar a diferença da resposta cromatográfica de onze analitos (clorotalonil, clorpirifós, parationa metílica, procimidona, endossulfam, iprodiona, permetrina, λ-cialotrina, cipermetrina, deltametrina e azoxistrobina) quando preparados em solvente puro e em extratos orgânicos obtidos por extração sólido-líquido com partição em baixa temperatura (ESL-PBT) ou extração líquido-líquido com partição em baixa temperatura (ELL-PBT) de sete matrizes (tomate, abacaxi, uva, água, batata, maçã e solo). A Análise de Componentes Principais (PCA) foi utilizada para avaliar os resultados obtidos e resultaram no agrupamento de matrizes: abacaxi, tomate e uva (um grupo), batata, maçã e solo (outro grupo). As matrizes tomate, abacaxi e uva provocaram efeitos de matriz positivos na maioria dos agrotóxicos e as matrizes batata, maçã e solo provocaram uma diminuição na resposta dos agrotóxicos. Analisando os resultados observou-se uma característica comum das matrizes que se agruparam pela PCA: os valores de pH das matrizes tomate, abacaxi e uva são em torno de 4,0. Já os extratos aquosos das matrizes batata, maçã e solo possuem pH mais elevado, em torno de 6,0. Amostras de água destilada tiveram seus valores de pH ajustados com solução de ácido acético glacial para valores idênticos aos das matrizes mais ácidas: uva, abacaxi e tomate. Observou-se que a acidificação da água promoveu uma redução na resposta cromatográfica dos agrotóxicos semelhante aos resultados encontrados para as amostras de água pura. Os resultados demonstraram que o pH das amostras não influencia nas propriedades dos agrotóxicos na fase orgânica, e assim o pH não é, diretamente, o fator responsável pelo maior efeito de matriz verificado para as amostras mais ácidas. No entanto observou-se que os extratos orgânicos das matrizes mais ácidas, quando obtidos com solução alcalina de Na2HPO4 (pH próximo de 7,0) apresentavam coloração menos intensa, indicando que o pH estava relacionado com a extração de coextrativos para a fase orgânica. Numa etapa seguinte avaliou-se a influência do pH das amostras na resposta cromatográfica de nove agrotóxicos (clorotalonil, clorpirifós, parationa metílica, procimidona, endossulfam, iprodiona, permetrina, λ-cialotrina e deltametrina). Nesta etapa foram utilizadas três matrizes (batata, maçã e solo), que tiveram os valores de pH da mistura extratora alterados para verificar a diferença na resposta cromatográfica dos agrotóxicos. Extratos aquosos das matrizes foram obtidos pela ESL-PBT utilizando um determinado volume de água destilada (pH próximo de 6,0) e utilizando-se o mesmo volume de água com o pH alterado para 3,6 com adição de ácido acético glacial. Observou-se que quando o pH da água era alterado para 3,6 mais coextrativos eram extraídos para a fase orgânica, consequentemente maior efeito na resposta cromatográfica dos analitos foi observada. A Análise de Componentes Principais mostrou a formação de dois grupos distintos: um formado pelas matrizes contendo água em pH = 6,0 e outro das matrizes com água em pH = 3,6.Finalmente, a influência do estádio de maturação do tomate, que foi uma matriz que provocou efeito significativo na resposta dos agrotóxicos, foi avaliada. Nessa etapa, cinco agrotóxicos pertencentes a diferentes grupos separados pela PCA nas etapas anteriores do trabalho foram selecionados para estudo (permetrina, iprodiona, clorotalonil, clorpirifós e deltametrina). Os resultados mostraram que à medida que o fruto amadurece, maior quantidade de coextrativos é encontrada. Os coextrativos licopeno e β-caroteno influenciam diretamente na resposta cromatográfica dos analitos. Ao analisar a influência desses componentes do tomate juntamente com outras matrizes, observou-se que estes são responsáveis pelo maior efeito de matriz na análise de agrotóxicos, principalmente para o agrotóxico deltametrina.
The present study aimed to deepen the studies related to matrix effect on chromatographic analysis of pesticides. Initially we sought to evaluate the difference in chromatographic response of eleven analytes (chlorothalonil, chlorpyrifos, methyl parathion, procymidone, endosulfan, iprodione, permethrin, λ-cyhalothrin, cypermethrin, deltamethrin and azoxystrobin) when prepared in pure solvent and in organic extracts obtained by solid-liquid extraction with partition at low temperature (SLE-PLT) or liquid-liquid extraction with partition at low temperature (LLE-PLT) of seven matrices (tomato, pineapple, grapes, water, potato, apple and soil). The Principal Component Analysis (PCA) was used to evaluate the results obtained and resulted in the grouping of matrices: pineapple, tomato and grape (a group), potato, apple and soil (another group). The matrices tomato, pineapple and grape caused matrix effects positive in most pesticides and matrices potato, apple and soil caused a decrease in the response of pesticides. Analyzing the results showed a common characteristic of matrices that were grouped by PCA: pH values of the matrices tomato, grape and pineapple are around 4.0. The matrices potato, apple and soil have higher pH, around 6.0. Distilled water samples had their pH values adjusted with glacial acetic acid solution to values identical to matrices most acidic: grape, pineapple and tomato. It was noted that acidification of the water was a decrease in the chromatographic response of the pesticides similar to those results found for samples of pure water. The results demonstrating that the pH of the samples does not influence the properties of the pesticide in the organic phase, and thus the pH is not the factor directly responsible for the largest matrix effect observed for samples more acidic. However it was observed that organic extracts the matrices more acidic when obtained with alkaline solution of Na2HPO4 (pH around 7.0) had less intense staining, indicating that pH was related to the extraction of co-extractives into the organic phase. In a next step we evaluated the influence of pH on the chromatographic response of nine pesticides (chlorothalonil, chlorpyrifos, methyl parathion, procymidone, endosulfan, iprodione, permethrin, deltamethrin and λ-cyhalothrin). At this stage we used three matrices (potato, apple and soil), which had pH values of the extraction mixture changed to investigate differences in the chromatographic response of pesticides. Aqueous extracts were obtained by of the matrices ESL-PBT using a specified volume of distilled water (pH around 6.0) and using the same volume of water with the pH changed to 3.6 with addition of glacial acetic acid. It was observed that when the pH of the water was changed to 3.6 more coextrativos were extracted into the organic phase, therefore most effect on chromatographic response of the analytes was observed. The Principal Component Analysis showed the formation of two distinct groups: one formed by matrices containing water at pH = 6.0 and other matrices with water at pH = 3.6. Ultimately, the influence of maturation stage of tomato, which was a matrix that caused significant effect on the response of pesticides, has been evaluated. At this stage, five insecticides belonging to different groups separated by PCA in the previous stages of the work were selected for study (permethrin, iprodione, chlorothalonil, chlorpyrifos and deltamethrin). The results showed that as the fruit matures, a larger amount to co-extractives is found. The co-extractives lycopene and β-carotene influence directly in the chromatographic response of the analytes. When examining the influence of such components of tomato together with other matrices, it was observed that these are responsible for the largest matrix effect in the analysis of pesticide mainly for the pesticide deltamethrin.
Palavras-chave: Efeito de matriz
Cromatografia gasosa
Agrotóxicos
Matrix effect
gas chromatography
pesticides
CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::QUIMICA::QUIMICA ANALITICA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Agroquímica analítica; Agroquímica inorgânica e Físico-química; Agroquímica orgânica
Programa: Doutorado em Agroquímica
Citação: SOUSA, Flaviane Aparecida de. Influence of pH, components of the matrix and the stage of maturation of tomato in the analysis of pesticides by gas chromatography. 2012. 90 f. Tese (Doutorado em Agroquímica analítica; Agroquímica inorgânica e Físico-química; Agroquímica orgânica) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2012.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/224
Data do documento: 18-Dez-2012
Aparece nas coleções:Agroquímica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf2,51 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.