Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/2241
Tipo: Dissertação
Título: Revisão taxonômica de Drymoluber Amaral, 1930 (Serpentes, Colubridae)
Título(s) alternativo(s): Taxonomic revision of Drymoluber Amaral, 1930 (Serpentes, Colubridae)
Autor(es): Costa, Henrique Caldeira
Primeiro Orientador: Feio, Renato Neves
Primeiro coorientador: Franco, Francisco Luís
Segundo coorientador: Ribon, Rômulo
Primeiro avaliador: Bérnils, Renato Silveira
Segundo avaliador: Santos, Jorge Abdala Dergam dos
Abstract: Drymoluber Amaral, 1930 apresenta três espécies de serpentes que ocorrem na América do Sul a leste dos Andes. O presente estudo faz uma revisão taxonômica do gênero, a partir da comparação de caracteres merísticos e morfométricos, aspectos da morfologia externa do hemipênis e de coloração do corpo de espécimes de D. apurimacensis, D. brazili e D. dichrous depositados em coleções museológicas. As seguintes análises estatísticas foram utilizadas: análises de variância univariada e multivariada (avaliar a presença de dimorfismo sexual nas três espécies); análises de componentes principais (avaliar a variação morfológica); análise de correlação entre matrizes de dissimilaridade e distância geográfica (avaliar a relação entre distribuição geográfica e variação dos caracteres de escutelação); correlação linear (avaliar a presença de variação clinal no número de escamas ventrais e subcaudais). Dimorfismo sexual ocorre em D. dichrous e D. brazili, mas não foi detectado em D. apurimacensis. As três espécies atualmente reconhecidas em Drymoluber são distintas entre si e não apresentaram variações morfológicas que possam indicar a presença de táxons ainda não identificados em suas populações. A variação morfológica dentro de D. dichrous tem relação com a distância geográfica entre as populações. Ademais, a variação no número de escamas ventrais e subcaudais em D. dichrous e D. brazili seguiu um padrão clinal com relação à latitude e longitude. Drymoluber dichrous se caracteriza pela presença de 15-15-15 fileiras de escamas dorsais lisas, com duas fossetas apicais, 157-180 ventrais e 86-110 subcaudais, ocorrendo na região oriental da Cordilheira dos Andes, Amazônia, Escudo das Guianas, Mata Atlântica e áreas de transição desta com os domínios morfoclimáticos da Caatinga e Cerrado. Drymoluber brazili possui 17-17-15 fileiras de escamas dorsais lisas, com duas fossetas apicais, 182-202 ventrais e 109-127 subcaudais, distribuindo-se pela Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, e áreas de transição entre essas duas últimas ecorregiões. Drymoluber apurimacensis possui 13-13-13 fileiras de escamas dorsais lisas, sem fossetas apicais, 158-182 ventrais e 84-91 subcaudais, estando restrita ao sul dos rios Apurimac e Pampas, no Peru.
Drymoluber Amaral, 1930 presents three snake species from South America east of the Andes. The present study makes a taxonomic revision of the genus, through the comparison of meristic and morphometric characters, aspects of external hemipenial morphology and body coloration of specimens of D. apurimacensis, D. brazili and D. dichrous from museum collections. The following statistical analyses were perfomed: analyses of univariate and multivariate variance (to evaluate the presence of sexual dimorphism in the three species); principal components analyses (to evaluate morphological variation); correlation between matrices of dissimilarity and geographic distance (to evaluate relationship between geographic distance and variation in scutellation characters); linear correlation (to evaluate the presence of clinal variation in number of ventral and subcaudal scales). Sexual dimorphism occurs in D. dichrous and D. brazili and was not detected in D. apurimacensis. The three species currently recognized in Drymoluber are distinct from each other, and do not present morphological variations that could suggest the occurrence of unidentified taxa among their populations. Morphological variation within D. dichrous is related with geographic distance between populations. Furthermore, variation in number of ventral and subcaudal scales in D. dichrous and D. brazili followed latitudinal and longitudinal clinal patterns. Drymoluber dichrous is diagnosed by the presence of 15-15-15 smoth dorsal scale rows with two apical pits, 157-180 ventrals and 86-110 subcaudals, occurring at the eastern region of the Andes, the Amazon rainforest, Guiana Shield, Atlantic rainforest and transitional areas between it and the morphoclimatical domains of Caatinga and Cerrado. Drymoluber brazili has 17-17-15 smoth dorsal scale rows with two apical pits, 182-202 ventrals and 109-127 subcaudals, ranging throughout the Caatinga, Cerrado, Atlantic rainforest, and transitional areas between these last two ecoregions. Drymoluber apurimacensis has 13-13-13 smoth dorsal scale rows lacking apical pits, 158-182 ventrals and 84-91 subcaudals, being limited to the south of the Apurimac and Pampas rivers, in Peru.
Palavras-chave: Taxonomia
Drymoluber
Serpentes
Zoologia
América do Sul
Taxonomy
Drymoluber
Snakes
Zoology
South America
CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::ZOOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Biologia e Manejo animal
Programa: Mestrado em Biologia Animal
Citação: COSTA, Henrique Caldeira. Taxonomic revision of Drymoluber Amaral, 1930 (Serpentes, Colubridae). 2010. 84 f. Dissertação (Mestrado em Biologia e Manejo animal) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2010.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/2241
Data do documento: 18-Jun-2010
Aparece nas coleções:Biologia Animal

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf1,97 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.