Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/2245
Tipo: Dissertação
Título: Diferenças entre sexos no uso do espaço vertical por muriqui-do-norte Brachyteles hypoxanthus - Kuhl, 1820 (Primates, Atelidae)
Título(s) alternativo(s): Sex differences in the use of vertical space by the northern muriqui, Brachyteles hypoxanthus - Kuhl, 1820 (Primates, Atelidae)
Autor(es): Tabacow, Fernanda Pedreira
Primeiro Orientador: Giudice, Gisele Mendes Lessa Del
Primeiro coorientador: Strier, Karen Barbara
Segundo coorientador: Feio, Renato Neves
Primeiro avaliador: Mendes, Sérgio Lucena
Abstract: O uso do espaço vertical por primatas está relacionado a variáveis que afetam a sobrevivência e a reprodução, tais como obter alimento e escapar de predadores. Diferenças entre sexos no uso do espaço vertical são esperadas quando machos e fêmeas apresentam diferenças na dieta e comportamento de forrageio. Estas podem ser resultantes do dimorfismo sexual no tamanho corporal, que afeta o tipo e a quantidade de alimento necessário, os substratos nos quais o alimento pode ser acessado e a vulnerabilidade aos predadores durante a alimentação e o forrageio. Adicionalmente, a gestação e a lactação podem aumentar os custos energéticos e as exigências nutricionais das fêmeas, afetando sua dieta e, conseqüentemente, levando a diferenças entre sexos no uso do espaço vertical. Finalmente, evitar a concorrência por alimento pode afetar a distribuição espacial dos membros do grupo. Foram comparados dados comportamentais de uso do espaço vertical de machos e fêmeas adultos de um primata sexualmente monomórfico, o muriqui-donorte (Brachyteles hypoxanthus Kuhl, 1820) e discutidas as implicações energéticas e ecológicas de suas diferenças. O estudo foi realizado durante o período de agosto de 2006 a julho de 2007, na RPPN Feliciano Miguel Abdala, Minas Gerais, Brasil. Dados sistemáticos sobre as atividades individuais e uso dos estratos foram coletados com relação a todos os machos (n = 22) e fêmeas (n = 28) adultos de um grupo bem habituado (grupo Matão). Com base em 11.738 registros de comportamento coletados durante 2.417 amostras de scans, foram observadas diferenças estatisticamente significativas (p < 0,05) entre sexos no uso do espaço vertical. Especificamente, os machos passaram proporcionalmente mais tempo do que as fêmeas nos estratos inferiores durante a atividade social, o descanso, a locomoção, a alimentação e quando consumiram folhas novas, mas não com relação a outros itens. Nossos resultados sugerem que estas diferenças na utilização do espaço vertical podem ser um reflexo das diferenças energéticas dos sexos e que as pressões ecológicas podem estar relacionadas com a redução da competição direta.
The use of vertical space by primates is related to variables that affect survival and reproduction, such as access to food and avoidance of predators. Sex differences in the use of vertical space are expected whenever males and females differ in their diets and foraging behavior. This can be the result of sexual dimorphism in body size, which affects the type and amount of food needed, the substrates from which food can be accessed, and vulnerability to predators while feeding and foraging. In addition, gestation and lactation can increase the energetic and nutritional requirements of females, affecting their diets and consequently leading to sex differences in vertical space use. Finally, avoidance of feeding competition can affect the spatial distribution of group members. We compared behavioral data on the use of vertical space by adult males and females in a sexually monomorphic primate, the northern muriqui (Brachyteles hypoxanthus Kuhl, 1820) and discuss the energetic and ecological implications of these differences. The study was conducted from August 2006-July 2007 at the RPPN Feliciano Miguel Abdala, in Minas Gerais, Brazil. Systematic data on individual activities and substrate use were collected on all 22 adult males and 28 adult females in a well-habituated group (Matão group). Based on 11,738 behavioral records collected during 2,417 scan samples, we found statistically significant (p < 0.05) sex differences in the use of vertical space. Specifically, males spent proportionately more time than females in the lower strata when socializing, resting, traveling, and feeding, and when feeding on new leaves but not on other items. Our results suggest that these differences in the use of vertical space may reflect sex differences in energetics and in ecological pressures that may be related to the reduction of direct competition.
Palavras-chave: Uso do espaço
Brachyteles
Primatas
Diferenças entre sexo
Murique-do-norte
Comportamento
Use of space
Brachyteles
Primates
Sex differences
Northern muriqui
Behavior
CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Biologia e Manejo animal
Programa: Mestrado em Biologia Animal
Citação: TABACOW, Fernanda Pedreira. Sex differences in the use of vertical space by the northern muriqui, Brachyteles hypoxanthus - Kuhl, 1820 (Primates, Atelidae). 2011. 33 f. Dissertação (Mestrado em Biologia e Manejo animal) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2011.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/2245
Data do documento: 16-Mar-2011
Aparece nas coleções:Biologia Animal

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf134,66 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.