Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/2318
Tipo: Dissertação
Título: Histologia testicular e caracterização dos estádios do ciclo do epitélio seminífero de Hemidactylus mabouia (Moreau de Jonnès, 1818) (Reptilia, Squamata, Sauria, Gekkonidae)
Título(s) alternativo(s): Testicular histology and characterization of the stages of the seminiferous epithelial cycle of Hemidactylus mabouia (Moreau de Jonnès, 1818) (Reptilia, Squamata, Sauria, Gekkonidae)
Autor(es): Silveira, Juliana de Assis
Primeiro Orientador: Neves, Clóvis Andrade
Primeiro coorientador: Matta, Sérgio Luis Pinto da
Segundo coorientador: Lino Neto, José
Primeiro avaliador: Rocha, Juliana Silva
Segundo avaliador: Sartori, Sirlene Souza Rodrigues
Terceiro avaliador: Drummond, Cristina Delarete
Abstract: Estudos relacionados à histologia testicular de répteis são escassos. Para Hemidactylus mabouia, não existem relatos na literatura que retratem aspectos morfológicos do seu ciclo reprodutivo e do processo espermatogênico. Assim, neste trabalho caracterizamos morfologicamente o testículo de H. mabouia, gerando dados que contribuem para o entendimento de sua biologia reprodutiva. Os espermatozóides de H. mabouia apresentam morfologia e medidas espermáticas semelhantes àquelas registradas para a maioria das espécies de répteis estudadas. Contudo, o comprimento da peça intermediária é o maior já descrito para répteis. O testículo de H. mabouia é formado predominantemente por túbulos seminíferos conectados por pouquíssimo tecido intersticial. O epitélio seminífero apresenta vários tipos celulares com características morfológicas e estruturais semelhantes àquelas descritas para outros répteis e para a maioria das espécies de mamíferos. A presença de células germinativas em todas as fases de maturação e de numerosos espermatozóides no lume tubular demonstra que H. mabouia apresenta atividade espermatogênica contínua ao longo do ano. As células de Leydig são raras no tecido intersticial de H. mabouia, contrastando com a maioria das espécies estudadas. O presente trabalho constitui o primeiro relato de classificação do ciclo espermatogênico de répteis em estádios. Foram identificados sete estádios nos túbulos seminíferos de H. mabouia, de acordo com o método da morfologia tubular, sendo estes muito variáveis quanto à composição de células germinativas. Tais estádios possuem um arranjo helicoidal semelhante àquele descrito em aves e em alguns primatas, diferindo substancialmente do padrão segmentar observado na maioria dos mamíferos. Os parâmetros reprodutivos descritos neste trabalho permitem estabelecer H. mabouia como modelo promissor para estudos morfológicos comparativos entre répteis. Além disso, a escassez de dados referentes à biologia reprodutiva da espécie justifica estudos adicionais relativos ao seu ciclo reprodutivo e ao seu processo espermatogênico.
Studies on the testicular histology of reptiles are scarce. More specifically, there are no reports on the morphology of the reproductive cycle and spermatogenic process of the reptilian species Hemidactylus mabouia. Hence, this study aimed to characterize morphologically the testis of H. mabouia, and contribute for the understanding of the reproductive biology of this species. The spermatozoon of H. mabouia presented morphology similar to the majority of the species of reptiles studied so far. However, its intermediate piece was the longest described. The testis of H. mabouia was predominantly occupied by seminiferous tubules, which were separated by very little interstitial tissue. The seminiferous epithelium presented cell types that were morphologically and structurally similar to those described for other reptiles and for the majority of mammalian species. The presence of germ cells from all maturation phases in the seminiferous epithelium and numerous spermatozoa in the tubular lumen indicated that H. mabouia has continuous spermatogenic activity throughout the year. The Leydig cells were rare in the interstitial tissue of H. mabouia, contrasting with most of species described. The present study establishes for the first time stages for the spermatogenic cycle of a reptile. Seven stages were identified according to the tubular morphology of H. mabouia. These stages had very heterogeneous and marked assembly of germ cells. Additionally, we observed a helicoidal arrangement of the stages along the seminiferous epithelium, similarly to birds and some primates, but differing substantially from the segmented pattern observed in most mammalian species. The reproductive parameters described in this study propose H. mabouia as a promising model for comparative studies among reptiles regarding reproductive morphology. Furthermore, the paucity of data on the reproductive biology of this species justifies additional studies on its reproductive cycle and spermatogenic process.
Palavras-chave: Reprodução
Morfologia
Testículo
Espermatogênese
Hemidactylus mabouia
Reproduction
Morphology
Testicle
Spermatogenesis
Hemidactylus mabouia
CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::BIOLOGIA GERAL
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Análises quantitativas e moleculares do Genoma; Biologia das células e dos tecidos
Programa: Mestrado em Biologia Celular e Estrutural
Citação: SILVEIRA, Juliana de Assis. Testicular histology and characterization of the stages of the seminiferous epithelial cycle of Hemidactylus mabouia (Moreau de Jonnès, 1818) (Reptilia, Squamata, Sauria, Gekkonidae). 2009. 72 f. Dissertação (Mestrado em Análises quantitativas e moleculares do Genoma; Biologia das células e dos tecidos) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2009.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/2318
Data do documento: 27-Jul-2009
Aparece nas coleções:Biologia Celular e Estrutural

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf710,75 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.