Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/2437
Tipo: Dissertação
Título: Potencial Antitumoral de extratos da própolis brasileira e de folhas de graviola (Annona muricata): efeito citotóxico sobre células hepatocarcinogênicas HepG2
Título(s) alternativo(s): Anti-tumorous potencial of Brazilian propolis and soursop leaf extract (Annona muricata): cytotoxic effect on hepatic carcinogenic HepG2 cells
Autor(es): Filardi, Marcelo Augusto
Primeiro Orientador: Oliveira, Tânia Toledo de
Primeiro coorientador: Silva Júnior, Abelardo
Segundo coorientador: Lamêgo, Márcia Rogéria de Almeida
Primeiro avaliador: Leite, João Paulo Viana
Segundo avaliador: Oliveira, Leandro Licursi de
Abstract: O carcinoma hepatocelular é o mais frequente câncer primário do fígado e já se tornou a quinta neoplasia mais comum no mundo e a terceira causa de óbitos relatados por câncer. Estima-se que 2/3 das neoplasias humanas poderiam ser prevenidos pela modificação do estilo de vida, incluindo a dieta. A própolis, elaborada de diversas partes das plantas por abelhas Apis mellifera, apresenta propriedades farmacológicas efetivas no tratamento do câncer pela atividade biológica atribuída aos seus componentes químicos, principalmente a própolis brasileira. Mais de 300 compostos da própolis já foram identificados. Estudos farmacológicos também se intensificaram nos últimos anos com plantas da família Annonaceae, cujo interesse científico está nas acetogeninas, uma classe de compostos derivados de ácidos graxos com forte atividade antitumoral. Três experimentos foram conduzidos no Laboratório de Infectologia Molecular Animal, do Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular, na Universidade Federal de Viçosa, para testar in vitro as propriedades antitumorais de extratos das folhas de graviola (Annona muricata) e de própolis verde e vermelha. Para isso, foram utilizadas células tumorais hepáticas da linhagem HepG2, cultivadas em quatro concentrações dos extratos de graviola (1, 2, 4 e 8 mg/mL) e dos extratos de própolis vermelha (25, 50, 100 e 200 μg/mL) e verde (50, 100, 200 e 400 μg/mL), com análise espectrofotométrica da viabilidade celular pela metodologia do corante vermelho neutro, em três períodos de tempo (24, 48 e 72 horas). As células expostas aos tratamentos exibiram forte inibição na proliferação, principalmente nas concentrações de 8 mg/mL do extrato da graviola (86% após 24 horas e 95% após 48 horas), 200 μg/mL do extrato da própolis vermelha (92% após 24 horas e 100% após 48 horas) e 400 μg/mL do extrato da própolis verde (92% após 72 horas), o que provocou alterações visíveis na arquitetura celular e na organização da monocamada de cultivo, com formas apoptóticas abundantes. A análise cromatográfica do perfil químico dos extratos das própolis verde e vermelha revelou a presença de flavonoides e outros compostos com efeito antitumoral conhecido, como artepilin C, pinocembrina, pinobanskina, quercetina, kanferol, crisina, galangina e bacarina. Os dados do presente trabalho permitem concluir que a graviola (A. muricata) e as própolis verde e vermelha são fontes de compostos citotóxicos em potencial contra células hepatocarcinogênicas HepG2.
The hepatocellular carcinoma is the most common adult primary liver câncer and it has already become the fifth most common neoplasia in the world and the third in number of deaths related to cancer. It is estimated that 2/3 of all human neoplasias could be prevented by a change in lifestyle, including a diet. The propolis, elaborated from various plant parts by Apis mellifera bees, present pharmacological properties effective in cancer treatment by biological activity attributed to its chemical components, mainly with the Brazilian propolis. More than 300 propolis compounds have been identified. Recently pharmacological studies, in which scientific interest is focused on the acetogenins, a compound class derived from fatty acids and presenting a strong anti-tumorous activity. Three experiments were carried out in the Animal Molecular Infectology Lab, in the Biochemistry and Molecular Biology Department, in the Federal University of Viçosa, for testing in vitro, the anti-tumorous properties of soursop extracts (Annona muricata) and green and red propolis extracts. For so, tumorous hepatic cells from the HepG2 lineage were used, cultivated in four different concentrations of soursop extracts (1, 2, 4 e 8 mg/mL) and red propolis (25, 50, 100 and 200 μg/mL) and green extracts (50, 100, 200 and 400 μg/mL), with espectrophotometry analysis of the cellular viability by the methodology of neutral red dye, in three time periods (24, 48 and 72 hours). The cells wich were exposed th the treatments showed strong inhibition to proliferation, mainly in the concentration of 8 mg/mL of soursop extract (86% after 24 hours and 95% after 48 hours), 200 μg/mL of red propolis extract (92% after 24 hours and 100% after 48 hours) and 400 μg/mL of green propolis extract (92% after 72 hours), which caused visible alterations in the cellular architecture as well as in the single-layer cultivation organization, showing abundant apoptotic forms. The chromatographic analysis of the chemical profile of green and red propolis extracts revealed the presence of flavonoids and other compounds with known anti-tumorous effect, such as artepellin C, pinocembrin, pinobankisin, quercetina, kanpherol, chrysin, galangin and bacarin. The main conclusion to be drawn from this discussion is that the soursop (A. muricata) along with the green and red propolis are sources of cytotoxic compounds with pontentical against hepatic carcinogenics HepG2 cells.
Palavras-chave: Extratos da própolis
Graviola
Células hepatocarcinogênicas HepG2
Propolis extract
Soursop
Hepatic carcinogenic HepG2 cells
CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::BIOQUIMICA::METABOLISMO E BIOENERGETICA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Bioquímica e Biologia molecular de plantas; Bioquímica e Biologia molecular animal
Programa: Mestrado em Bioquímica Agrícola
Citação: FILARDI, Marcelo Augusto. Anti-tumorous potencial of Brazilian propolis and soursop leaf extract (Annona muricata): cytotoxic effect on hepatic carcinogenic HepG2 cells. 2010. 162 f. Dissertação (Mestrado em Bioquímica e Biologia molecular de plantas; Bioquímica e Biologia molecular animal) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2010.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/2437
Data do documento: 19-Fev-2010
Aparece nas coleções:Bioquímica Agrícola

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf3,78 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.