Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/24967
Tipo: Artigo
Título: Incidence and severity of white mold in common bean submitted to different cultivation practices
Autor(es): Montes, David R. P.
Oliveira, Rubens A.
Giovanelli, Luan B.
Oliveira, Reginaldo M. de
Moreira, Édimo F. A.
Baptestini, Júlio C. M.
Abstract: Due to the socioeconomic importance of common bean in Brazil, studies that allow establishing favorable conditions for not compromising the crop with white mold, in view of the enormous damages caused by this fungus, become vital to Brazilian agriculture. Therefore, the aim of this study was to evaluate the incidence and severity of white mold in common bean (Phaseolus vulgaris L.), cultivar ‘Madrepérola’, subjected to different irrigation intervals, planting densities and fungicide application. The research was conducted in Viçosa-MG, Brazil, in the years 2011 and 2012. The statistical analysis used the split-split-plot scheme. The fungicide applications (with or without fungicide) were allocated to plots, the irrigation intervals (3, 6, 9 and 12 days) to sub-plots and planting densities (6, 9, 12 and 15 plants per linear meter) to sub-subplots, in a randomized block design with three replicates. The variation of the irrigation intervals did not contribute significantly to the control of white mold. It is recommended to use lower planting densities in order to minimize the damages caused by the disease. The use of the fungicide was the main method of white mold control in two consecutive years.
Devido à importância socioeconômica do feijoeiro no Brasil, estudos que permitem estabelecer condições favoráveis ao não comprometimento da lavoura com o mofo-branco tornam-se vitais para a agricultura brasileira, haja vista os enormes prejuízos causados por este fungo, , razão por que se objetivou, neste trabalho, avaliar a incidência e severidade do mofo-branco na cultura do feijoeiro-comum (Phaseolus vulgaris L.), cultivar Madrepérola, submetido a diferentes turnos de rega, densidades de plantio e aplicação de fungicida. A pesquisa foi conduzida em Viçosa, nos anos 2011 e 2012. Na análise estatística foi utilizado o esquema de parcelas sub-subdivididas. Nas parcelas foi alocado o efeito do fungicida (com ou sem fungicida), nas subparcelas os turnos de rega (3, 6, 9 e 12 dias) e nas sub-subparcelas as densidades de plantio (6, 9, 12 e 15 plantas por metro linear), no delineamento experimental em blocos casualizados, com três repetições. A variação do turno de rega não colaborou significativamente para o controle do mofo-branco. Recomenda-se a utilização de menores densidades de plantio a fim de minimizar os danos ocasionados pela doença. A utilização do fungicida foi o principal método de controle do mofo-branco nos dois anos consecutivos.
Palavras-chave: Phaseolus vulgaris L.
Irrigation intervals
Planting densities
Fungicide
Turno de rega
Densidade de plantio
Fungicida
Editor: Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental
Tipo de Acesso: Open Access
URI: http://dx.doi.org/10.1590/1807-1929/agriambi.v21n10p691-696
http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/24967
Data do documento: Out-2017
Aparece nas coleções:Artigos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
artigo.pdfTexto completo214,78 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.