Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/2530
Tipo: Dissertação
Título: Vegetação e ambientes em Lions Rump e Hope Bay, Antártica Marítima
Título(s) alternativo(s): Vegetation and environments in Lions Rump e Hope Bay, Maritime Antarctic
Autor(es): Poeiras, Lucas Marinho
Primeiro Orientador: Schaefer, Carlos Ernesto Gonçalves Reynaud
Primeiro coorientador: Neri, Andreza Viana
Segundo coorientador: Carmo, Flávia Maria da Silva
Primeiro avaliador: Saporetti Junior, Amilcar Walter
Segundo avaliador: Simas, Felipe Nogueira Bello
Terceiro avaliador: Pereira, Antônio Batista
Abstract: Embora inúmeras coleções de plantas e observações pontuais sobre a distribuição da vegetação ao longo do Continente Antártico têm sido feitas desde o final do século XIX, pesquisas botânicas com ênfase nas relações ecológicas têm sido relativamente limitadas. O presente trabalho, enfocou estudos ecológicos em duas importantes áreas livres de gelo segundo um gradiente climático, e foi dividido em dois capítulos. No primeiro capítulo objetivou-se estudar a estrutura das distintas comunidades vegetais correlacionando-as aos aspectos ambientais, especificamente pedológicos, da região sudeste da Ilha Rei George, conhecida como Lions Rump. Para isso, procedeu-se a abertura de perfis de solos em cada uma das 9 comunidades estudadas. Também foram levantadas a composição e cobertura da vegetação pela implantação de 30 parcelas de 25X25 cm nas respectivas comunidades. A Análise de Correspondência Canônica (CCA) foi utilizada para verificar o papel dos atributos dos solos sobre a distribuição das comunidades amostradas. Três diferentes fitofisionomias foram reconhecidas a partir da análise fitossociológica, as quais, através da CCA, apresentaram relações distintas com os solos associados. Os resultados demonstraram que a vegetação de Lions Rump distribui-se em Comunidades de Usnea associados a solos e substratos de pH básico em áreas de maior elevação, e comunidades de Deschampsia das áreas litorâneas, associadas com teor e saturação por Sódio relativamente maior. A comunidade de musgos dominada por Sanionia uncinata formou um grupo distinto, estando relacionada a outros parâmetros ambientais, como maior umidade, não quantificados no presente trabalho. O segundo capítulo teve como objetivo estudar a composição florística das comunidades vegetais encontradas na região da Península Antártica, observando os aspectos ambientais relacionados e mapeando as áreas de ocorrência. A amostragem consistiu de 146 amostras aleatórias em 15 pontos de coleta de Hope Bay. Assim foram observados dois fragmentos formados por Usnea antarctica, cinco fragmentos contendo Umbilicaria decussata, uma comunidade de Caloplaca sublobulata, duas grandes comunidades formada principalmente por Rhizoplaca aspidophora e Acarospora macrocyclos, três pequenas formações de Caloplaca sublobulata, dois fragmentos dominados por Rhizoplaca aspidophora e um formado por apenas Acarospora macrocyclos. As principais espécies de musgos observadas foram Polytrichum strictum, Syntrichia princeps e Ceratodon grossiretis, e os mesmos ocorrem em duas ou mais comunidades. As comunidades de Prasiola crispa ocorrem preferencialmente ao redor das muitas pinguineiras formadas por populações de pinguins Adeliae (Pygoscelis adeliae). A afinidade dessa comunidade com elevadas concentrações de nutrientes, principalmente nitrogênio, explica a ocorrência dessas comunidades próximas as pinguineiras, assim como as comunidades de líquens ornitocoprofilos como Caloplaca e Acarospora. As demais comunidades ocorrem em áreas distantes das anteriores, onde fatores como a disponibilidade de água e exposição à radiação solar exercem maior influência sobre a distribuição das mesmas.
Although numerous plant collections and specific observations on the distribution of vegetation along the Antarctic continent have been made since the late nineteenth century, botanical research with emphasis on ecological relationships have been relatively limited. The present study focused on ecological studies in two important ice-free areas along a climatic gradient, and was divided into two chapters. The first chapter aimed to study the structure of different plant communities as correlated to environmental aspects, particularly soil, in a place at the southeast of King George Island called Lions Rump. For this, we proceeded opening of soil profiles in each of the nine communities studied. We also evaluated the composition and vegetation cover using 30 plots of 25X25 cm for each communitiy. The Canonical Correspondence Analysis (CCA) was used to verify the role of soil attributes on the distribution of the sampled communities. Three different vegetation types were recognized from the phytosociological analysis, which, through the CCA, showed distinct relationships with associated soils. The results showed that the vegetation of Lions Rump is distributed in Usnea communities associated with soil on basic substrates and areas of higher elevation, while Deschampsia community are on coastal areas with relatively higher sodium saturation. The community dominated by mosses Sanionia uncinata formed a distinct group, being related to other environmental parameters, such as increased moisture, not quantified in this study. The second chapter studied the floristic composition of plant communities found in the region of the Antarctic Peninsula, illustrating the environmental aspects and mapping the areas of occurrence. The sample consisted of 146 random samples in 15 sampling points in Hope Bay, allowing the identification of two fragments formed by Usnea antarctica, five fragments containing Umbilicaria decussata, a community of Caloplaca sublobulata, two large communities formed mainly by Rhizoplaca aspidophora and Acarospora macrocyclos, three small formations of Caloplaca sublobulata, two fragments dominated by Rhizoplaca aspidophora and comprised only Acarospora macrocyclos. The main species of mosses Polytrichum strictum were observed, and Ceratodon grossiretis, Syntrichia princeps, and they occur in two or more communities. Communities of Prasiola crispa occur preferentially around penguin nesting area formed by Adeliae penguins (Pygoscelis adeliae). The affinity of this community with high concentrations of nutrients, especially nitrogen, explains the occurrence of these communities around the penguin rookery, and the ornitocoprophilic lichen communities of Caloplaca and Acarospora. The other communities occur in areas distant from the previous one, where factors such as water availability and solar exposure exert more influence on the distribution.
Palavras-chave: Permafrost
Hope Bay
Lions Rump
Criossolos
Permafrost
Hope Bay
Lions Rump
Criossolos
CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::BOTANICA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Botânica estrutural; Ecologia e Sistemática
Programa: Mestrado em Botânica
Citação: POEIRAS, Lucas Marinho. Vegetation and environments in Lions Rump e Hope Bay, Maritime Antarctic. 2011. 83 f. Dissertação (Mestrado em Botânica estrutural; Ecologia e Sistemática) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2011.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/2530
Data do documento: 27-Ago-2011
Aparece nas coleções:Botânica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf4,95 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.