Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/26717
Tipo: Tese
Título: Bt toxin in the soybean looper: susceptibility, fitness & selection
Autor(es): Silva, Nilson Rodrigues da
Abstract: The soybean looper, Chrysodeixis includens, and the cotton bollworm, Heliothis virescens, (Lepidoptera: Noctuidae), cause significant losses in soybean and cotton in Brazil and are targeted by transgenic Bacillus thuringiensis (Bt) cultivars producing Cry1A and Cry2A toxins. In this study, three experiments were conducted to determine: i) the susceptibility of Brazilian populations of C. includens to Cry1Ac and Cry2Aa as well as the toxicity of these toxins to H. virescens, ii) the lethality and fitness effects on C. includens caused by Bt soybean or cotton producing one or the two toxins, and iii) the response to selection for Cry1Ac resistance to assess the risk of evolution of resistance and cross-resistance to Cry toxins in C. includens. Cotton and soybean cultivars used included two non-Bt isolines, two single-gene Bt cultivars (Cry1Ac cotton and soybean), and two pyramided Bt cottons: (Cry1Ac + Cry2Ab2 and Cry1Ac + Cry1Fa). Diet-surface bioassays showed that susceptibility of C. includens to Cry1Ac and Cry2Aa was variable among the populations tested. LC50 values ranged from 16 to 241 ng/cm2 for Cry1Ac and from 3 to 24 ng/cm2 for Cry2Aa, respectively. Leaf-tissue bioassays with Cry1Ac soybean and pyramided Bt cotton caused 100% mortality of C. includens larvae after two days of exposure. Cry1Ac cotton caused low mortality but negatively affected life-history traits and strongly reduced the net reproductive rate (R0) as well as the intrinsic rate of increase (rm) compared with controls. Selection for Cry1Ac resistance in C. includens using continuous exposure to Cry1Ac cotton during larval development or purified Cry1Ac protein for seven days resulted in 31- and 126- fold resistance with realized heritability of 0.78 and 0.41, respectively, after 12 generations of selection. Importantly, this level of resistance in the Cry1Ac-selected populations was insufficient to allow for survival of larvae in foliage of the Bt soybean producing Cry1Ac. Additionally, soybean loopers of the two laboratory-selected populations showed resistance to Cry1Ab too, but not the Cry2Aa or Cry1Fa in relation to the control, non-selected susceptible population. Taken together, the results of this investigation show that there is natural variation in susceptibility to Cry1Ac and Cry2Aa in the C. includens populations, but the single-toxin Bt soybean and the two- toxin Bt cottons efficiently killed their larvae, indicating that cultivars of these Bt crops should be effective for managing populations of this pest species in field settings. In addition, this study shows that C. includens have potential to evolve relevant resistance levels to Cry1Ac, yet the increase of about 130 fold in the resistance does not allow for survival of neonate soybean loopers in the Bt Cry1Ac soybean. Furthermore, selection for resistance to Cry1Ac did not lead to cross-resistance to Cry2A and Cry1F, suggesting that these two Bt toxins are compatible for resistance management of C. includens.
A lagarta-falsa-medideira, Chrysodeixis includens e a lagarta-das-maçãs, Heliothis virescens, (Lepidoptera: Noctuidae), causam perdas significativas em soja e algodão no Brasil e são alvo de cultivares transgênicas produzindo as toxinas Cry1A e Cry2A de Bacillus thuringiensis (Bt). Neste estudo, três experimentos foram realizados para determinar: i) a susceptibilidade de populações brasileiras de C. includens a Cry1Ac e Cry2Aa, bem como a toxicidade destas toxinas para H. virescens, ii) a mortalidade e o efeito no desempenho demográfico de C. includens causadas por algodão ou soja Bt que produzem uma ou duas toxinas Cry, e iii) a resposta à seleção para resistência a Cry1Ac, a herdabilidade e a resistência cruzada à outras toxinas Cry em C. includens. Os cultivares de soja e algodão usados foram duas isolinhas não-Bt, dois eventos de algodão e soja Bt com um único gene Bt (algodão e soja Cry1Ac), e dois algodões Bt piramidados (Cry1Ac + Cry2Ab2 e Cry1Ac + Cry1Fa). Bioensaios usando toxina Bt aplicada na superfície da dieta mostraram que a suscetibilidade de C. includens a Cry1Ac e Cry2Aa foi variável, apresentado valores de CL50 de 16 a 241 ng/cm2 para Cry1Ac e de 3 a 24 ng/cm2 para Cry2Aa. Bioensaios com folhas de soja Cry1Ac e algodão Bt piramidados causaram 100% mortalidade das larvas de C. includens com dois dias de exposição. O algodão Cry1Ac causou baixa mortalidade, mas afetou negativamente diversas variáveis da história de vida de C. includens, severamente reduzindo a taxa reprodutiva líquida (R0) e a taxa intrínseca de crescimento (rm) em comparação aos indivíduos criados em algodão não-Bt. Seleção em laboratório para resistência a Cry1Ac em C. includens com contínua exposição ao algodão Cry1Ac durante o desenvolvimento larval ou à proteína purificada Cry1Ac por sete dias resultou em um aumento na resistência à toxina de 31 e 126 vezes com herdabilidade de 0,78 e 0,41, respectivamente, em 12 gerações de seleção. Esse nível de resistência das populações selecionadas foi insuficiente para permitir sobrevivência das larvas na folhagem da soja Bt que produz Cry1Ac. Além disso, as larvas das duas populações selecionadas em laboratório apresentaram também resistência a Cry1Ab, mas não a Cry2Aa nem a Cry1Fa em relação à população suscetível controle, não selecionada. Conclui-se que as populações de C. includens apresentam variação natural na susceptibilidade a Cry1Ac e Cry2Aa, mas a soja Bt e os algodões Bt piramidados causaram alta mortalidade larval, indicando que variedades dessas plantas Bt devem ser eficazes para o manejo de populações desta espécie em condições de campo. Este estudo demostra que C. includens tem potencial para evoluir níveis consideráveis de resistência a Cry1Ac, mas o aumento de cerca de 130 vezes na resistência ainda não permite sobrevivência das lagartas na soja Bt Cry1Ac. Além disso, seleção para resistência a Cry1Ac não levou a resistência cruzada às toxinas Cry2A e Cry1F, sugerindo que essas toxinas são compatíveis para o manejo de resistência de C. includens.
Palavras-chave: Pseudoplusia includens
Toxinas
Bacillus thuringiensis
Seleção
Soja - Resistência a doenças e pragas
Algodão - Resistência a doenças e pragas
CNPq: Entomologia agricola
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: SILVA, Nilson Rodrigues da. Bt toxin in the soybean looper: susceptibility, fitness & selection. 2015. 60 f. Tese (Doutorado em Entomologia) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2015.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://locus.ufv.br//handle/123456789/26717
Data do documento: 28-Jul-2015
Aparece nas coleções:Entomologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo760,21 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.