Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/2713
Tipo: Dissertação
Título: Composição nutricional do leite humano e sua correlação com variáveis maternas: estudo prospectivo
Título(s) alternativo(s): Breast milk composition and correlation with maternal variables: a prospective study
Autor(es): Costa, André Gustavo Vasconcelos
Primeiro Orientador: Sabarense, Céphora Maria
Primeiro coorientador: Peluzio, Maria do Carmo Gouveia
Segundo coorientador: Franceschini, Sylvia do Carmo Castro
Primeiro avaliador: Costa, Neuza Maria Brunoro
Segundo avaliador: Rosado, Lina Enriqueta Frandsen Paez de Lima
Abstract: A fração lipídica do leite humano é especialmente importante para o recém-nascido e pode ser modulada pelas condições maternas e dos recém-nascidos. Este estudo prospectivo analisou os percentuais de ácidos graxos (AG), de lipídios totais (LT) e de energia do leite humano de 33 nutrizes do município de Viçosa - MG, ao longo de três meses de lactação (períodos medianos de 1, 7, 32, 62 e 91 dias pós-parto). Relacionou-se o comportamento desses parâmetros frente às seguintes variáveis: período de lactação, escolaridade, peso ao nascer, tipo de parto, paridade, etnia materna, idade gestacional, ganho de peso do recém-nascido e alimentação materna. Esta última foi avalida de acordo com o Recordatório de 24 Horas (R24H), aplicado aos 7, 32, 62 e 91 dias pós-parto; o Questionário de Freqüência de Consumo Alimentar (QFCA) e a Lista de Disponibilidade de Alimentos (LDA) foram aplicados aos 91 dias pós-parto. Observou-se que as nutrizes apresentaram baixa renda (R$652,00 ± R$367,00) e baixa escolaridade (8,8 ± 2,5 anos de estudo). Em relação ao período de lactação, encontraram-se diferenças significantemente inferiores (p<0,001) para os ácidos graxos C10:0 e C14:0 no período de 1 dia em relação aos demais períodos. O C16:0 de 32 dias foi significantemente menor (p=0,03) que no período de 1 dia e o C16:1 apresentou menores percentuais no período de 1 dia em relação aos demais períodos (p=0,01). A relação n-6:n-3 e o total da síntese de novo (C10:0, C12:0 e C14:0), ao longo do estudo, foi de 10 a 14 e de 5,6 a 17,9 mg%; respectivamente. Os percentuais de LT e de energia foram significantemente menores (p=0,03) no período de 1 dia em relação aos períodos de 32 e 91 dias. Do total de amostras de leite humano coletado (n=156), observou-se fortes correlações (p<0,001) entre o C18:2n-6 com o C18:3n-3, com o somatório de n-3, de ácidos graxos poliinsaturados (AGP) e de AG totais. Assim também ocorreu para o conteúdo de C18:3n-3 relacionado ao somatório de n-6, de AGP e de AG totais. A escolaridade, o peso ao nascer, o tipo de parto, a paridade e idade gestacional não modificaram significantemente os parâmetros analisados no leite humano. Em relação ao ganho de peso, a média geral deste parâmetro correlacionou-se de forma inversa e significante com os percentuais de C12:0 (r=-0,468; p=0,03), de C14:0 (r=-0,062; p=<0,001) e de ácidos graxos saturados (AGS) (r=-0,443; p=0,02). Não foram observadas correlações significantes entre os parâmetros investigados pela média dos quatro R24H com os percentuais de AG, de LT e de energia do leite humano. De acordo com o QFCA e com a LDA, o consumo de leite de vaca integral pela nutriz correlacionou-se positivamente (p<0,05) com o total de AGS, de ácidos graxos monoinsaturados, de AGP, de AG totais e com os percentuais de C18:2n-6 do leite humano. Boas correlações negativas foram observadas entre a ingestão de carne suína com os percentuais de C18:2n-6 (r=-0,630, p=- 0,035). O consumo de peixe, apesar de ter sido equiparável ao consumo per capita diário de carne bovina, não apresentou alterações relevantes nos parâmetros estudados do leite humano. Esse estudo confirma que o conteúdo lipídico do leite humano pode ser modulado de acordo com o período de lactação e pela alimentação materna. Acredita-se que as demais variáveis maternas e dos recém-nascidos também possam contribuir para a modulação da composição lipídica do leite humano, embora não tenham demonstrado seus efeitos neste estudo. O consumo diário de leite de vaca provocou alterações positivas no perfil de ácidos graxos do leite humano; diferentemente do consumo de carne suína. Não foram observadas as presenças de ácidos graxos docosahexaenóico e de eicosapentaenóico no leite humano, pois o leite integral não é fonte desses ácidos graxos. A utilização dos inquéritos QFCA e LDA, que têm a característica de avaliar a ingestão habitual, foram mais eficazes para a análise da interferência alimentar materna sobre o perfil de ácidos graxos do leite humano, em relação à média dos quatro R24H. Ressalta-se a pouca disponibilidade na literatura científica de estudos prospectivos, que avaliem a evolução da composição lipídica do leite humano ao longo dos estágios inciais da amamentação.
Due to its biological superiority, the lipid fraction of human milk is especially important to newborns. However, the lipid fraction can be affected by factors associated to the mother s and the newborn s health and nutritional conditions. This prospective study analyzed the fatty acid (FA) percentage, total lipids (TL), and the energy of the human milk of 33 mothers of the city of Viçosa MG, Brazil; during three months of lactation (median periods of 1, 7, 32, 62, and 91 days after delivery). The behavior of these parameters was correlated to the following variables: period of lactation, education level, newborn s weight at birth, newborn s weight gain, type of delivery, parity, maternal ethnicity, gestational age, and maternal food consumption. The latter was evaluated through 24-Hour Dietary Recall (R24H) at 7, 32, 62, and 91 days after delivery; Questionnaire of Frequency of Food Consumption (QFFC), and Food Availability List (FAL) applied during the 91 days after delivery. The women studied had low income (R$ 652.00 ± R$ 367.00) and low level of education (8.8 ± 2.5 years of study). In relation to the breast-feeding period, we found less significant differences (p < 0.001) for C10:0 and C14:0 for the 1-day period in relation to the other periods. C16:0 was significantly smaller (p = 0.03) for the 32-day than for the 1-day period and C16:1 presented lower percentage for the 1-day period in relation to those of the other periods (p = 0.01). The n-6:n-3 and the total de novo synthesis (C10:0. C12:0 and C14:0) ratio throughout the study period were 10 to 14 and 5.6 17.9 mg%, respectively. The percent TL and energy were significantly smaller (p = 0.03 each) for the 1-day period in relation to the 32- and 91-day periods. Of the total human milk samples collected (n = 156), one showed strong correlations (p < 0.001) between C18:2n-6 and C18:3n-3 and the summation of n-3, polyunsaturated fatty acid (PUFA), and total FA. The same occurred for C18:3n-3 relative to the n-6 sum of total PUFA and FA. The education level, newborn s weight at delivery, type of delivery, parity, and gestational age did not affect the human milk parameters analyzed significantly. In relation to the newborn's weight gain, the general average of this parameter correlated inversely and significantly with the percentages of C12:0 (r = -0.468; p = 0.03), C14:0 (r = -0.062; p = <0.001), and saturated fatty acid (SFA) (r = -0.443; p = 0.02). Concerning maternal food consumption, it was not observed significant correlations between the parameters investigated for the average of the four R24H and the percent FA, TL, and the energy of human milk. In accordance with QFFC and FAL, the maternal consumption of cow whole milk correlated positively (p < 0.05) with total SFA, monounsaturated fatty acid (MUFA), PUFA, total FA and with the percentages of C18:2n-6 in human milk. Strong negative correlations were observed between the ingestion of pork and the percentages of C18:2n-6 (r = -0.630; p = -0.035). Although fish consumption was comparable to that of beef, it did not affect the human milk parameters studied. This study confirms that the lipid content of human milk can be affected by the lactation period and maternal diet. We believe that the other maternal and newborn variables tudied can contribute to the lipid composition of human milk. However, such effects have not been demonstrated in this study. These results evidenced that the daily consumption of cow whole milk led to positive alterations in the fatty acid profile of human milk, differently from the daily consumption of pork. The use of QFFC and FAL to evaluate habitual ingestion was more efficient in the analysis of the fatty acid profile of human milk than the average of the four R24H was. We point out that prospective studies that evaluate the evolution of the lipid composition of human milk throughout the initial periods of breast-feeding are scarce in the scientific literature.
Palavras-chave: Leite humano
Composição
Ácidos graxos
Amamentação
Mulheres
Consumo alimentar
Breast milk
Composition
Fatty acids
Breast-feeding
Women
Food consumption
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::NUTRICAO::DIETETICA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Valor nutricional de alimentos e de dietas; Nutrição nas enfermidades agudas e crônicas não transmis
Programa: Mestrado em Ciência da Nutrição
Citação: COSTA, André Gustavo Vasconcelos. Breast milk composition and correlation with maternal variables: a prospective study. 2006. 170 f. Dissertação (Mestrado em Valor nutricional de alimentos e de dietas; Nutrição nas enfermidades agudas e crônicas não transmis) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2006.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/2713
Data do documento: 26-Jul-2006
Aparece nas coleções:Ciência da Nutrição

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf609,01 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.