Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/2743
Tipo: Dissertação
Título: Efeitos do aleitamento materno exclusivo e de outros alimentos nos primeiros seis meses de vida no estado nutricional, composição corporal e perfil lipídico de crianças de 4 a 7 anos de idade
Título(s) alternativo(s): Effects of exclusive breastfeeding and the others foods in the first six months of life in the nutritional status, body composition and lipid profile of children at 4-7 years old
Autor(es): Magalhães, Taís Cristina Araújo
Primeiro Orientador: Sant anna, Luciana Ferreira da Rocha
Primeiro coorientador: Ribeiro, Andréia Queiroz
Segundo coorientador: Priore, Sílvia Eloiza
Primeiro avaliador: Lamounier, Joel Alves
Abstract: As elevadas prevalências de fatores de risco para as doenças cardiovasculares em crianças fazem com que sejam necessárias medidas preventivas em estágios cada vez mais precoces do desenvolvimento. A exposição a fatores ambientais nos períodos críticos tem sido descrita como capaz de influenciar no desenvolvimento de doenças ao longo da vida. Devido à alta plasticidade apresentada, a fase fetal, a infância e a adolescência são considerados períodos críticos. No que se refere à infância, o aleitamento materno é o fator que tem sido mais mencionado. Além de seu efeito na saúde e desenvolvimento do lactente por sua adequada composição nutricional, sugere-se que o aleitamento materno seja um fator protetor ao desenvolvimento da obesidade e de doenças crônicas não transmissíveis ao longo da vida, mas os estudos sobre o tema são controversos. Objetivou-se avaliar os efeitos do aleitamento materno exclusivo e do consumo de outros alimentos nos primeiros seis meses de vida no estado nutricional, composição corporal e no perfil lipídico de crianças com idades entre 4 e 7 anos, atendidas nos primeiros meses de vida pelo Programa de Apoio à Lactação (PROLAC) no município de Viçosa, Minas Gerais. Trata-se de um estudo de coorte retrospectiva. A amostra inicial foi constituída por todas as crianças atendidas desde a instalação do Programa do município, em agosto de 2003, até o período determinado para que tivessem, ao início deste estudo, 4 anos de idade e que atendiam aos critérios de inclusão (n=256). Considerando as perdas por não localização e aquelas devido aos critérios de exclusão que foram considerados após a localização dos domicílios, a amostra final foi constituída por 185 crianças. A coleta de dados foi dividida em duas etapas, sendo a primeira a coleta dos dados retrospectivos mediante consulta a prontuários do PROLAC, na qual foram coletadas informações sobre o tempo de aleitamento materno exclusivo (AME), a idade de introdução de alimentos sólidos e o consumo dos substitutos do leite materno, leite de vaca e fórmulas lácteas. Na segunda etapa, em idades de 4 a 7 anos, as crianças foram avaliadas quanto ao peso, estatura, perímetro da cintura, composição corporal avaliada por DEXA e perfil lipídico. As variáveis consideradas na avaliação do efeito do AME e alimentação infantil foram: Índice IMC/I, percentual de gordura corporal total e da região andróide, perímetro da cintura e perfil lipídico. Variáveis maternas, gestacionais, de nascimento, assim como sociodemográficas, de saúde, hábitos de vida e alimentação referentes à idade posterior avaliada foram verificadas como fatores de confusão. Para as análises relacionadas ao estado nutricional e composição corporal, uma variável adicional foi o balanço energético e no caso das avaliações envolvendo o perfil lipídico, o estado nutricional e o percentual de gordura corporal total também foram testados como possíveis fatores de confusão. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da Universidade Federal de Viçosa. Realizaram-se análises bivariadas e multivariadas, essas últimas por meio de regressão logística múltipla. Das crianças avaliadas, 101 (54,6%) eram do sexo masculino. A idade média foi de 72 ± 10,7 meses. A mediana do tempo de amamentação exclusiva foi de 3 meses e de idade de introdução de alimentos sólidos foi de 5 meses. Observou-se que 42,7% (n=79) receberam leite de vaca e 35,7% (n=66) receberam fórmulas lácteas nos primeiros seis meses de vida. Considerando-se o risco de sobrepeso, sobrepeso e obesidade, 21,1% das crianças (n=39) apresentaram alterações do estado nutricional. Alterações de perfil lipídico foram observadas em 73,5% das crianças (n=136) em relação ao colesterol total, sendo que 27,0% (n=50) apresentaram valores limítrofes e 46,5% (n=86) aumentados. Com relação aos demais parâmetros, 46,5% (n=86) apresentaram valores limítrofes e 9,2% (n=17) valores aumentados de LDL, 35,5% (n=65) possuíam valores de HDL abaixo do desejável e 4,9% (n=9) valores aumentados de triglicerídeos. O tempo de AME, consumo de substitutos do leite materno e a idade de introdução de alimentos sólidos não se associaram ao estado nutricional, composição corporal e perfil lipídico das crianças, o que não se alterou após ajuste pelos fatores de confusão, com associações e valores de odds ratios não significantes. Também não foram observadas diferenças significantes dos parâmetros de saúde avaliados entre os diferentes grupos de alimentação infantil e tempo de AME. Estes resultados, apesar de contraditórios em relação às hipóteses de efeitos do aleitamento materno ao longo da vida, corroboram com os encontrados por outros pesquisadores. Controle por fatores de confusão, forma de obtenção dos dados de aleitamento materno, definições utilizadas para a categorização, diferentes referências antropométricas e idades de avaliação dos desfechos, tamanhos amostrais e vieses de publicação são fatores importantes para as divergências entre resultados e estes ainda são controversos na literatura.
The high prevalence of risk factors for cardiovascular disease in children make them necessary preventive measures in ever earlier stages of development. Exposure to environmental factors during critical periods has been described as able to influence the development of chronic disease throughout life. Due to the high plasticity, fetal life, childhood and adolescence are considered critical periods. In infancy, breastfeeding is the factor that has been more mentioned. In addition to its effect on health and development of infants for their appropriate nutritional composition, it is suggested that breastfeeding is a protective factor for the development of obesity and chronic diseases throughout life, but studies are controversial. The objective was to evaluate the effects of exclusive breastfeeding and the consumption of other foods in the first six months of life in nutritional status, body composition and lipid profile in children aged between 4 and 7 years old, assisted in the first months of life at Program Support for lactation (PROLAC) in the city of Viçosa, Minas Gerais. It is a retrospective cohort study. The initial sample consisted of all children assisted since the installation program of the city in August 2003, until the period for which they had given, at the beginning of this study, four years of age and who met the inclusion criteria (n = 256). Considering the losses by not localization and not those due to the exclusion criteria that were considered after the location of households, the final sample consisted of 185 children. Data collection was divided into two phases, the first retrospective collect of data by consulting the records of PROLAC, in which information was collected on the duration of exclusive breastfeeding, the age of introduction of solid foods and consumption of substitutes for breast milk, cow's milk and formula milk. In the second step, at ages 4 to 7 years old, the children were assessed for weight, height, waist circumference, body composition assessed by DEXA and lipid profile. The variables considered in evaluating the effect of exclusive breastfeeding and infant feeding were: index BMI/ I, percentage of total body fat and the region android, waist circumference and lipid profile. Maternal variables, pregnancy, of birth, as well as sociodemographic, of health, lifestyle and diet related to age later was evaluated as confounding factors. For analysis related to nutritional status and body composition, the variable energy balance was also considered and in the case of evaluations involving the lipid profile, nutritional status and the percentage of total body fat were also tested as potential confounders. The study was approved by the Ethics Committee on Human Research of the Federal University of Viçosa. Bivariate and multivariate analyses were done, the latter by means of multiple logistic regression. Of the children assessed, 101 (54.6%) were male. The average age was 72 ± 10.7 months. The median duration of exclusive reastfeeding was 3 months and the introduction of solid foods was 5 months. Was observed that 42.7% (n = 79) received cow's milk and 35.7% (n = 66) received formula milk in the first six months of life. Considering the risk of overweight, overweight and obesity, 21.1% of children (n = 39) showed changes in their nutritional status. Changes in lipid profile were observed in 73.5% of children (n = 136) in relation to total cholesterol, with 27.0% (n = 50) had borderline values and 46.5% (n = 86) high. Between the other parameters, 46.5% (n = 86) had borderline values and 9.2% (n = 17) elevated levels of LDL, 35.5% (n = 65) had HDL less than desirable and 4.9% (n = 9) elevated levels of triglycerides. Time of the exclusive breastfeeding, consumption of breast milk substitutes and age of introduction of solid foods were not associated with nutritional status, body composition and lipid profile of children, which did not altered after adjustment for confounders, with associations and values odds ratios were not significant. Also no were significant differences of the parameters health assessed among different groups of infant feeding and time of exclusive breastfeeding. These results, although contradictory hypotheses regarding the effects of breastfeeding throughout life, corroborate the findings of other researchers. Control for confounders, methods of obtaining breastfeeding data, definitions used for categorizing, different ages and anthropometric references for the evaluation of outcomes, sample sizes and publication bias are important factors for the differences between results and these are still controversial in the literature.
Palavras-chave: Criança
Aleitamento materno
Estado nutricional
Composição corporal
Dislipidemias
Children
Breastfeeding
Nutritional status
Body composition
Dyslipidemia
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::NUTRICAO
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Valor nutricional de alimentos e de dietas; Nutrição nas enfermidades agudas e crônicas não transmis
Programa: Mestrado em Ciência da Nutrição
Citação: MAGALHÃES, Taís Cristina Araújo. Effects of exclusive breastfeeding and the others foods in the first six months of life in the nutritional status, body composition and lipid profile of children at 4-7 years old. 2011. 159 f. Dissertação (Mestrado em Valor nutricional de alimentos e de dietas; Nutrição nas enfermidades agudas e crônicas não transmis) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2011.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/2743
Data do documento: 25-Ago-2011
Aparece nas coleções:Ciência da Nutrição

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf1,97 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.