Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/2749
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.authorPereira, Letícia Gonçalves
dc.date.accessioned2015-03-26T13:11:52Z-
dc.date.available2012-05-11
dc.date.available2015-03-26T13:11:52Z-
dc.date.issued2011-09-28
dc.identifier.citationPEREIRA, Letícia Gonçalves. Effect of different forms of carbohydrate supplements on exercise performance. 2011. 81 f. Dissertação (Mestrado em Valor nutricional de alimentos e de dietas; Nutrição nas enfermidades agudas e crônicas não transmis) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2011.por
dc.identifier.urihttp://locus.ufv.br/handle/123456789/2749-
dc.description.abstractDiversos estudos têm demonstrado que a ingestão de carboidrato durante o exercício na forma de bebidas esportivas pode aumentar a oxidação de carboidrato e o desempenho em exercícios prolongados, além de auxiliarem na absorção e retenção de líquidos. No entanto, ainda não está esclarecido se outras formas de suplementos de carboidrato que são rotineiramente consumidas por atletas, como gel e barra energética, são tão eficazes quanto as bebidas. O objetivo do presente estudo foi verificar se existe diferença nas taxas de oxidação, no metabolismo, no desempenho e na reposição hídrica a partir da ingestão de suplementos de carboidrato na forma de bebida, gel e barra durante um exercício de longa duração em cicloergômetro. Em quatro dias separados, doze homens (idade = 22 ± 3 anos, peso = 71,5 ± 8,3 kg, estatura = 1,75 ± 0,06 m, VO2max = 54,56 ± 4,85 mL.kg-1.min-1) realizaram um exercício em cicloergômetro com duração de 90 minutos a uma intensidade de 55-60% do VO2max, seguido por um sprint de 6 km. Os participantes ingeriam 0,7 g carboidrato.kg-1.hora-1 na forma de bebida, gel ou barra, ou ingeriam água pura, antes, durante e depois do exercício. Nos tratamentos com gel e barra também houve consumo de água. O consumo de líquidos durante cada uma das situações experimentais foi de 3 mL.kg-1 de peso corporal imediatamente antes do início do exercício, a cada 20 minutos ao longo do exercício, bem como após o final do sprint. Uma amostra de sangue era coletada ao início do exercício, a cada 30 minutos durante o exercício e ao final do sprint. Foram realizadas medições das taxas de trocas respiratórias, por um analisador de gases, ao início do exercício, nos mesmos intervalos de 30 minutos e durante o sprint. Para avaliar o balanço hídrico e o estado de hidratação dos avaliados, foi registrado o peso corporal antes e após o exercício, o volume urinário após o exercício e a densidade da urina antes e após o exercício. O registro do peso corporal e do volume urinário permitiu o cálculo da perda de peso, do percentual de perda de peso, da sudorese total e da retenção de líquidos. Todos os testes experimentais foram realizados em semelhantes condições ambientais de temperatura e umidade relativa do ar. O VO2, %VO2max, quociente respiratório, oxidação de carboidrato e gordura não foram estatisticamente diferentes (p>0,05) entre os tratamentos. As concentrações plasmáticas de glicose foram significantemente maiores (p<0,001) para os suplementos de carboidrato comparados com água, sem diferenças entre os suplementos. Não houve diferença nas concentrações plasmáticas de lactato entre os tratamentos (p>0,05). O tempo do sprint foi maior para a água pura comparada aos suplementos, apesar desta diferença não ter sido estatisticamente significante (p=0,065). Todos os parâmetros monitorados referentes ao equilíbrio hídrico não apresentaram diferença significativa entre os quatro testes experimentais (p>0,05). Contudo, houve uma redução estatisticamente significante (p<0,001) do peso corporal após o exercício. As concentrações plasmáticas de sódio e potássio no repouso, durante o exercício e após o sprint foram semelhantes (p>0,05) entre os tratamentos. As concentrações de sódio não mudaram significantemente durante o exercício e após o sprint para todos os tratamentos. As concentrações de potássio foram significantemente maiores (p<0,05) durante o exercício e após o sprint quando comparadas ao repouso para todos os tratamentos. Houve uma redução significativa do volume plasmático (p<0,05) durante o exercício em relação ao repouso e esta redução se acentuou significativamente (p<0,05) após o sprint, para todos os tratamentos, sem diferença entre estes. Nas condições ambientais e de exercício propostas no presente estudo, quando as mesmas quantidades de carboidrato e volumes iguais de líquidos são ingeridos, suplementos de carboidrato nas formas de bebida, gel e barra geram respostas semelhantes no metabolismo, na oxidação, no desempenho e na reposição hídrica.pt_BR
dc.description.abstractNumerous studies have shown that ingestion of carbohydrate in the form of sports drinks can increase carbohydrate oxidation and performance during prolonged exercise, and also aid in fluid absorption and retention. However, it remains unknown whether other forms of carbohydrate supplements that are routinely consumed by athletes, like energy bar and gel, are as effective as drinks. The aim of this study was to clarify whether there is a difference in oxidation, performance, metabolism and fluid replacement with ingestion of carbohydrate supplements in the forms of drink, gel and bar during exercise on a cycle ergometer. On four separate days, twelve men (age = 22 ± 3 years, mass = 71.5 ± 8.3 kg, VO2max = 54.56 ± 4.85 mL.kg-1.min-1) cycled at 55-60% VO2max followed by a 6 km time trial. Participants consumed 0.7 g carbohydrate.kg-1.hour-1 in the form of sport drink, gel, energy bar, or water only, before, during and after exercise. There was also water consumption in the trials with gel and bar. The fluid intake during each trial was 3 mL.kg-1 immediately before exercise, every 20 minutes throughout exercise and after the sprint. A blood sample was collected at the beginning of exercise, every 30 minutes throughout exercise and after the sprint. Measurements of respiratory exchange rates were made at the beginning of exercise, at the same intervals of 30 minutes and during the sprint. To assess fluid balance and hydration status it was recorded body weight before and after exercise, urine volume after exercise and urine specific gravity before and after exercise. The recorded body weight and urine volume allowed calculation of weight loss, the percentage of weight loss, total sweating and fluid retention. All experimental trials occurred in similar environmental conditions. VO2, %VO2max, respiratory-exchange ratio, carbohydrate and fat oxidation were similar (p>0.05) between trials. Blood glucose concentrations were significantly higher (p<0.001) for all carbohydrate supplements than water only, with no differences between carbohydrate treatments. There were no significant differences in blood lactate concentrations between trials (p>0.05). The 6 km time trial using all carbohydrate supplements were faster than water, although this difference was not statistically significant (p=0.065). All monitoredparameters for the fluid balance did not differ significantly between the four trials (p>0.05). However, there was a statistically significant reduction (p<0.001) in body weight after exercise. Plasma concentrations of sodium and potassium in the rest, during exercise and after sprint were similar (p>0.05) between treatments. Sodium concentrations did not change significantly during exercise and after sprint for all treatments. Potassium concentrations were significantly higher (p<0.05) during exercise and after sprint compared to rest for all treatments. There was a significant reduction in plasma volume (p<0.05) during exercise compared to rest and this decrease was significantly greater (p<0.05) after sprint for all treatments, with no difference between them. Under environmental and exercise conditions proposed in this study, when same amounts of carbohydrate and equal volumes of fluids are consumed, carbohydrate supplements in the form of drink, gel and bar result in similar responses on metabolism, oxidation, performance and fluid replacement.eng
dc.description.sponsorship
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Viçosapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectExercíciopor
dc.subjectObesidadepor
dc.subjectHipertensãopor
dc.subjectResistência à insulinapor
dc.subjectExerciseeng
dc.subjectObesityeng
dc.subjectHypertensioneng
dc.subjectInsulin Resistanceeng
dc.titleEfeito de diferentes formas físicas de suplementos de carboidrato no desempenho físicopor
dc.title.alternativeEffect of different forms of carbohydrate supplements on exercise performanceeng
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/5965594979945095por
dc.contributor.advisor-co1Amorim, Paulo Roberto dos Santos
dc.contributor.advisor-co1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4784479Z2por
dc.contributor.advisor-co2Alfenas, Rita de Cássia Gonçalves
dc.contributor.advisor-co2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4727507Y6por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentValor nutricional de alimentos e de dietas; Nutrição nas enfermidades agudas e crônicas não transmispor
dc.publisher.programMestrado em Ciência da Nutriçãopor
dc.publisher.initialsUFVpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::NUTRICAOpor
dc.contributor.advisor1Marins, João Carlos Bouzas
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728340H6por
dc.contributor.referee1Lima, Jorge Roberto Perrout
dc.contributor.referee1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4784143P6por
Aparece nas coleções:Ciência da Nutrição

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf432,68 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.