Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/2804
Tipo: Dissertação
Título: Boas práticas para serviços de alimentação: um estudo em restaurantes comerciais do município de Ipatinga, Minas Gerais
Título(s) alternativo(s): Appropriate practices for restaurant services: a study on commercial restaurants in the city of Ipatinga, state of Minas Gerais
Autor(es): Badaró, Andréa Cátia Leal
Primeiro Orientador: Azeredo, Raquel Monteiro Cordeiro de
Primeiro coorientador: Ribeiro, Rita de Cássia Lanes
Segundo coorientador: Santana, ângela Maria Campos
Primeiro avaliador: Rosado, Gilberto Paixão
Segundo avaliador: Rodrigues, Patrícia Pinheiro Campos Fonseca
Abstract: Este estudo focalizou o atendimento às boas práticas de manipulação de alimentos, observando recomendações relacionadas a condições higiênico-sanitárias em 123 restaurantes comerciais da cidade de Ipatinga, Minas Gerais. Para isto, utilizou-se um formulário adaptado tendo como base a lista de verificação constante da Resolução de Diretoria colegiada RDC da Anvisa, nº. 275/2002 e as determinações da RDC nº. 216/2004. Foi também realizada uma avaliação dos estabelecimentos de acordo com o atendimento a itens selecionados como relevantes no que se refere à qualidade sanitária do produto final. Tal seleção foi feita por uma equipe de especialistas ligados à Universidade Federal de Viçosa e os critérios de escolha visaram apontar aqueles itens cujo atendimento seria essencial para reduzir significativamente riscos de ocorrência de doenças de origem alimentar. Em 20 estabelecimentos, tomados do total de restaurantes comerciais da cidade, foi realizado um levantamento do perfil socioeconômico dos manipuladores e o nível de conhecimento e de adoção das boas práticas. Ainda nesses 20 estabelecimentos foram desenvolvidas avaliações microbiológicas de alimentos das cadeias fria e quente, do ar, de utensílios e de equipamentos. De acordo com a classificação proposta pela legislação vigente, entre os 123 estabelecimentos, objetos da avaliação inicial, 13,1% foram classificados como Grupo 1 (atendem a 76% ou mais dos itens da lista de verificação e considerados de baixo risco), 63,4% como Grupo 2 (atendem entre 51 e 75%, considerados de médio risco) e 23,5% como Grupo 3 (atendem 50% ou menos, considerados de alto risco). Dos onze blocos contemplados no formulário destacou-se com os piores resultados o bloco referente a Documentação e Registro , evidenciando que 96,7% dos estabelecimentos atendiam menos que 50% dos itens e 75,6% não atendiam a nenhum item desse bloco. No grupo de 20 estabelecimentos selecionados, a maioria possuía entre 2 e 10 manipuladores, predominantemente com baixo grau de escolaridade, e 47,4% relataram ter participado de cursos de boas práticas de manipulação. As empresas declararam fornecer uniformes para 91,2% dos trabalhadores, na maioria das vezes com freqüência semestral. A maioria dos manipuladores entrevistados demonstrou conhecimento falho em relação à qualidade e à manipulação segura de alimentos e quanto aos riscos de veiculação de patógenos via alimentar, levando a supor que os treinamentos ministrados foram deficientes, quantitativa e/ou qualitativamente. Com relação às análises microbiológicas efetuadas nesses 20 restaurantes, 75% das amostras de cadeia quente, à base de carnes, estavam de acordo com os critérios microbiológicos estabelecidos e atendiam aos padrões legais vigentes. Já entre as amostras de cadeia fria o percentual de amostras aprovadas foi de apenas 5%. Nenhum desses estabelecimentos atendia ao recomendado para temperatura de manutenção a frio e apenas 20% atendia às recomendações para temperatura de manutenção à quente. O ar ambiente em todos os 20 estabelecimentos encontrava-se em condições higiênicas insatisfatórias, de acordo com as recomendações da American Public Health Association (APHA), e apenas 26,5% dos utensílios e 8,3% dos equipamentos dos restaurantes avaliados encontrava-se em condições higiênicas satisfatórias quanto aos parâmetros avaliados. A baixa correlação (r = 0,4 ou menos) observada entre o atendimento ais itens versus o desempenho nas análises microbiológicas permite questionar a adequação do instrumento utilizado para verificar as Boas Práticas aplicáveis a serviços de alimentação. Os resultados deste trabalho evidenciam falhas nos procedimentos adotados nos restaurantes comerciais em estudo, o que permite supor potenciais e expressivos riscos de ocorrência de surtos de origem alimentar nestes ambientes e em seus similares, já que os restaurantes onde a pesquisa se ambientou espelham condições de ocorrência comum em nosso país. Recomendam-se investimentos em treinamento de mão-de-obra e a urgente e efetiva implementação de procedimentos corretos de manipulação, de forma a garantir alimentos segundo padrões sanitários adequados à proteção da saúde do público consumidor.
This study focused on the appropriateness of practices in food handling, observing the recommendations related to the hygiene-sanitary conditions, in 123 commercial restaurants in the city of Ipatinga, state of Minas Gerais. In order to accomplish the study an adapted form was utilized based on the constant verification list of the RDC 275/2002 and the determinations of the RDC 216/2004, both formulated by ANVISA (Agência Naciolnal de Vigilância Sanitária). An evaluation of the appropriate practice of relevant items regarding sanitary quality of the final product was held in those restaurants. The selection of relevant factors was pursued by a team of specialists from the Universidade Federal de Viçosa and the selection criteria aimed at items which would be essential in order to reduce significantly the risks of any diseases related to food. In 20 restaurants, from the total of commercial restaurants within the city limits, the socio-economic profiles of food handlers were investigated as well as the levels of knowledge and usage of appropriate practices. Still in these 20 establishments the food (both from hot and cold chains), the air, the utensils and the equipments were submitted to a microbiological evaluation. According to the classification proposed by the recent legislation, among the 123 restaurants studied, 13,1% were classified as Group 1 (which practices 76% or more of the relevant items therefore considered to offer lower risk), 63,4% as Group 2 (which practices 51 to 75% of the relevant items, considered to offer medium risk), and as Group 3 (which practices only 50% or less of the relevant factors, consequently offering higher risk). From the eleven sections of the form, the Documentation and Registering was the one which showed the worst results, showing that 96,7% of the restaurants practice less than 50% of the items and that 75,6% did not apply any of the requirements of this section. In the group containing 20 selected food service establishments, most of them had between 2 and 10 food handlers; most of these workers had a low level of education, and 47,4% stated that they had attended to courses on appropriate food handling practices. The businesses claimed to provide uniforms to 91,2% of the employees with a six month frequency. Most of the food handlers demonstrated poor knowledge when interviewed about the quality and safety of food and also had little knowledge of the risks of transmission of pathogens through food, leading us to the conclusion that the developed trainings were deficient quantitatively and qualitatively. As for the microbiological analyses undertaken in these 20 restaurants, 75% of the hot chain samples, meat basically, were in good conditions regarding the established microbiological criteria and the legal standards. However, regarding the samples of the cold chain, the percentage of approval was of 5% only. None of the restaurants seemed to be working with the temperature required for the maintenance of cold food and only 20% of them worked with the required temperature for the hot chain. The air in all of the studied places was under unsatisfactory conditions according to the recommendations of the American Public Health Association (APHA), and only 26,5% of the utensils and 8,3% of the equipment evaluated were in satisfactory conditions of sanitation and hygiene. The low correlation (r=0,4 or less) between the usage of appropriate practices and the performance of microbiological analyses allows us to question the adequacy of the instruments used to verify the Appropriate Practices applied to food services. The results of this work showed flaws in the procedures adopted by the commercial restaurants being studied. These results allow us to assume potential and significant health risks originated from food in these environments and in others similar to the ones analyzed, considering that these establishments present common characteristics to restaurants all over the country. Investments on the preparation of employees is recommended as well as the urgent and effective implementation of correct handling procedures, in order to guarantee food which is adequate to the sanitary standards required for the protection of the consumers health.
Palavras-chave: Alimentos
Contaminação
Microbiologia
Inspeção
Restaurantes
Vigilância sanitária
Food
Contamination
Microbiology
Inspection
Restaurants
Public health surveillance
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::CIENCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Valor nutricional de alimentos e de dietas; Nutrição nas enfermidades agudas e crônicas não transmis
Programa: Mestrado em Ciência da Nutrição
Citação: BADARÓ, Andréa Cátia Leal. Appropriate practices for restaurant services: a study on commercial restaurants in the city of Ipatinga, state of Minas Gerais. 2007. 190 f. Dissertação (Mestrado em Valor nutricional de alimentos e de dietas; Nutrição nas enfermidades agudas e crônicas não transmis) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2007.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/2804
Data do documento: 27-Fev-2007
Aparece nas coleções:Ciência da Nutrição

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
01 - capa_capitulo 3.pdf1,59 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir
02 - Apendice A_B.pdf101,04 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir
03 - Apendice C.pdf2,89 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir
04 - Apendices D_E_F.pdf2,55 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.