Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/28687
Tipo: Dissertação
Título: Os coretos de Belo Horizonte: usos e aspirações urbanísticas na formação da capital moderna (1890-1930)
The bandstands of Belo Horizonte: uses and urban aspirations in the birth of the modern capital (1890-1930)
Autor(es): Buttros, Savilly Aimée Teixeira
Abstract: A presente pesquisa buscou refletir sobre a funcionalidade dos coretos no contexto de formação de uma cidade planejada, Belo Horizonte, em um período de industrialização e consolidação do urbanismo enquanto ciência. Pretendeu-se compreender as relações entre a construção de uma capital, permeada pela ideia de modernidade, e as motivações para a implantação de coretos fixos no espaço urbano. Analisou-se os conceitos que envolvem a origem das cidades, as relações sociais e os poderes reguladores. Investigou-se sobre o percurso histórico dos coretos, suas características funcionais, aspectos formais e principais atores sociais que se expressaram através dele. Dessa forma, foi possível criar bases para a análise do caso específico de Belo Horizonte, cujo foco foi a rotina cultural de seus primeiros anos, através da perspectiva da paisagem cultural e da paisagem sonora. Como estudo de caso, utilizou-se os dois primeiros coretos fixos remanescentes na cidade, localizados na Praça da Liberdade e no Parque Municipal. No decorrer da pesquisa, outra tipologia de coreto se mostrou essencial no período estudado, os coretos móveis, os quais supriram as necessidades culturais da cidade enquanto os fixos ainda não haviam sido construídos. Com base em revisões bibliográficas e pesquisas em jornais da época, os coretos foram identificados como elementos recorrentes na paisagem urbana, sendo utilizados em eventos de cunho cívico e social. Esses elementos arquitetônicos desempenhavam importantes funções para as sociabilidades urbanas, sendo considerados portadores de um discurso de visibilidade no espaço público. Os coretos se apresentaram como um elemento de apropriação popular, carregado de expressões culturais, inseridos em paisagens repletas de disputas sociais. Palavras-chave: Coretos. Urbanismo. Paisagens. Modernidade. Sociabilidade.
This research sought to reflect on the functionality of bandstands in the context of the birth of a planned city, Belo Horizonte, in a period of industrialization and consolidation of urbanism as a science. The idea was to understand the correlations between the construction of a capital, permeated by the idea of modernity, and the motivations for the implantation of fixed bandstands in the urban space. The concepts that involve the origin of cities, the social relations and the regulating powers were analyzed. We made investigations about the historical path of the bandstands, their functional characteristics, formal aspects and the main social actors that expressed themselves through it. Thus, it was possible analyze Belo Horizonte through a different lens, whose focus was the cultural routine of its early years, through the perspective of the cultural landscape and the soundscape. As a case study, we used the first two fixed bandstands in the city, located in Praça da Liberdade and Parque Municipal Américo Renné Gianetti. In the course of the research, another type of bandstand proved to be essential in the studied period, the mobile bandstands, which met the cultural needs of the city while the fixed ones had not yet been built. Based on bibliographic reviews and research in newspapers of that time, bandstands were identified as recurring elements in the urban landscape, being used in civic and social events. These architectural elements played important roles for urban sociability, considered carries of visibility discourse in the public space. Bandstands were characterized as an element of popular appropriation, full of cultural expressions, inserted in a landscape composed of social disputes. Keywords: Bandstands. Urbanism. Landscapes. Modernity. Sociability.
Palavras-chave: Coretos - Belo Horizonte (MG)
Cidades e vilas
Paisagens
Lazer - Aspectos sociais - História
Música popular - Aspectos sociais - História
CNPq: História Moderna e Contemporânea
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: BUTTROS, Savilly Aimée Teixeira. Os coretos de Belo Horizonte: usos e aspirações urbanísticas na formação da capital moderna (1890-1930). 2020. 133 f. Dissertação (Mestrado em Patrimônio Cultural, Paisagens e Cidadania) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2020.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://locus.ufv.br//handle/123456789/28687
Data do documento: 26-Ago-2020
Aparece nas coleções:Patrimônio Cultural, Paisagens e Cidadania

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo8,67 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.