Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/2919
Tipo: Dissertação
Título: Extração de óleo da torta de pinhão manso (Jatropha curcas L.) com etanol para remoção de éster de forbol
Título(s) alternativo(s): Extraction of oil from Jatropha (Jatropha curcas L.) cake with ethanol to remove the phorbol esters
Autor(es): Cruz, Marcelle Rodrigues da
Primeiro Orientador: Silva, Marco Túlio Coelho
Primeiro coorientador: Araújo, Júlio Maria de Andrade
Segundo coorientador: Minim, Luis Antonio
Primeiro avaliador: Fontes, Edimar Aparecida Filomeno
Segundo avaliador: Correia, Laura Fernandes Melo
Abstract: No presente trabalho, foi avaliada a solubilidade do óleo de pinhão manso em soluções de etanol e água com diferentes concentrações e temperaturas. Foram também avaliados os processos de extração com etanol azeotrópico, do óleo e de ésteres de forbol da torta prensada de sementes inteiras de pinhão manso, em escala laboratorial e em planta piloto. Comparou-se a composição dos óleos extraídos com etanol ou hexano e a concentração de ésteres de forbol da torta e dos farelos extraídos com etanol. Verificou-se que para a temperatura de 343 K (70 °C), as solubilidades de óleo de pinhão manso em etanol 99,3, 96,0 e 92,0 g de etanol/100 g de mistura hidro-alcoólica foram de 13,88; 3,17 e 1,27 g/100 mL de micela. A solubilidade do óleo aumentou com o aumento da temperatura e da concentração do etanol. No teste de extração de óleo da torta de pinhão manso com etanol azeotrópico em escala laboratorial observou-se que a quantidade de lipídeos extraídos nas micelas foi da ordem de 0,4 a 0,6 g/100 g de micela, e que a concentração máxima foi atingida com 60 minutos de extração. Também foram extraídas proteínas, açúcares e outras substâncias não voláteis em quantidades decrescentes a cada extração, mas maiores que o teor de lipídeo. Com quatro extrações, conseguiu-se reduzir o teor de óleo da torta de 7,5 % para 1,0 %, o que mostra que é possível a extração do óleo da torta de pinhão manso com etanol. As concentrações de ésteres de forbol com valor inicial de 5,93 mg/g na torta prensada diminuem a cada extração, chegando a 0,015 mg/g no farelo desengordurado depois da quarta extração. Na extração em planta piloto, depois de cinco etapas de extração em contra-corrente, o teor de óleo residual no farelo desengordurado foi da ordem de 1,0 % e o teor de éster de forbol no farelo da última extração foi de 0,017 mg/g. A composição dos óleos extraídos com etanol ou hexano foi considerada semelhante porém as concentrações de ésteres de forbol foram menores no óleo extraído com hexano (0,22 e 0,06 mg/g de óleo, respectivamente).
The solubility of Jatropha oil in different concentrations of aqueous ethanol was evaluated at different temperatures. Azeotropic ethanol was used to extract oil and phorbol esters from Jatropha whole seed press cake in bench and pilot plant tests. The oils extracted with ethanol and hexane were compared. Solubility of oil in aqueous ethanol increases with ethanol concentration and temperature. At 343 K (70 oC) solubilities of Jatropha oil in 99,3, 96,0 e 92,0 g ethanol/100 g aqueous ethanol was 13,88; 3,17 and 1,26 g/100 mL micela. During bench tests with azeotropic ethanol concentration of lipids in the micelas ranged from 0,4 a 0,6 g lipids/100 g micela. Maximum concentration was attained after 60 minutes of extracion. Non volatile matter such as protein, sugars and small particles were extracted as well, the quantities decreasing as extrations proceeded, but always more than lipids. With four extractions lipid concentration dropped from 7,5 % in the press cake to 1,0 in the marc. Forbol esters concentration dropped from 5,93 mg/g in the press cake to 0,015 mg/g in the marc. This indicates the possibility of using ethanol to extract oil and forbol esters from Jatropha press cake. During pilot plant tests after five stages in countercurrent extraction the oil content in the marc was reduced to 1,0 % and forbol esters concentration dropped to 0,017 mg/g. Compositions of oils extracted with ethanol or hexane were found to be similar but the concentration of phorbol esters was 0,22 mg /g in the ethanol extracted oil and 0,06 mg /g in the hexane extracted oil.
Palavras-chave: Jatropha curcas
Pinhão manso
Extração de óleo
Etanol
Jatropha curcas
Extraction of oil
Ethanol
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::CIENCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS::TECNOLOGIA DE ALIMENTOS
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Ciência de Alimentos; Tecnologia de Alimentos; Engenharia de Alimentos
Programa: Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos
Citação: CRUZ, Marcelle Rodrigues da. Extraction of oil from Jatropha (Jatropha curcas L.) cake with ethanol to remove the phorbol esters. 2012. 67 f. Dissertação (Mestrado em Ciência de Alimentos; Tecnologia de Alimentos; Engenharia de Alimentos) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2012.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/2919
Data do documento: 23-Jul-2012
Aparece nas coleções:Ciência e Tecnologia de Alimentos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf1,45 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.