Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/2927
Tipo: Dissertação
Título: Adição dos corantes naturais antocianinas e luteína em bebidas formuladas com proteínas de soro de leite
Título(s) alternativo(s): Addition of natural colorantes anthocyanins and lutein in drinks made with whey protein
Autor(es): Rocha, Juliana de Cássia Gomes
Primeiro Orientador: Stringheta, Paulo César
Primeiro coorientador: Carvalho, Antônio Fernandes de
Segundo coorientador: Minim, Valéria Paula Rodrigues
Primeiro avaliador: Perrone, ítalo Tuler
Abstract: A tendência atual pelo consumo de alimentos mais saudáveis, nutritivos e com funcionalidades adicionais, leva à busca de novos produtos e ingredientes que possam atender as necessidades destes consumidores. O desenvolvimento de um alimento à base de proteínas de soro de leite, ricas em aminoácidos essenciais, adicionado de antocianinas e luteína, de elevada atividade antioxidante, torna-se um importante aliado na alimentação de indivíduos que buscam saúde e bem estar. Neste contexto, o objetivo deste trabalho foi formular e caracterizar bebidas com diferentes teores de proteínas de soro de leite adicionadas de antocianinas e luteína; determinar o conteúdo de antocianinas totais, fenólicos totais, carotenoides totais e capacidade antioxidante; bem como a aceitabilidade sensorial e estabilidade das formulações. As bebidas foram caracterizadas quanto aos parâmetros físico-químicos (pH, acidez titulável, SST, teor de proteínas e cor) e microbiológicos. Foram desenvolvidas bebidas com 0,5%, 2,0%, 4,0% e 6,0% de proteínas de soro de leite, cada qual, adicionadas de luteína e antocianinas. As análises físico-químicas indicaram que a concentração de proteína alterou significativamente (p<0,05) os valores de acidez e os teores de sólidos solúveis totais das bebidas. O mesmo foi observado para fenólicos totais e atividade antioxidante dos formulados adicionados de extrato de antocianinas. Pelas coordenadas colorimétricas, as bebidas formuladas com extratos de antocianinas apresentaram tonalidades de cores claras (altos valores de L*), que tendiam ao vermelho (pequeno ângulo h*), ou seja, proximidade do eixo a*, característico da presença de antocianinas, enquanto que para as bebidas adicionadas de luteína, apresentaram maiores valores do ângulo h*, indicando maior proximidade do eixo b*, tendendo a coloração amarela. Os valores de C* foram elevados, indicando coloração amarela intensa para as bebidas com luteína. Não houve alteração significativa (p>0,05) no teor de antocianinas e carotenoides das bebidas em função da concentração de proteínas. A atividade antioxidante dos formulados adicionados de extrato de jabuticaba foi superior aos adicionados de luteína. Os valores das contagens microbiológicas mostraram que todas as formulações são consideradas seguras para o consumo. As formulações F1, F2 e F3, foram igualmente aceitas quanto à impressão global, enquanto que para o atributo cor as formulações mais aceitas foram F2 e F3. Para as bebidas adicionadas de luteína a formulação mais aceita quanto à impressão global foi a F6 e para o atributo cor foram as formulações F6 e F7. Com base nos resultados da aceitabilidade sensorial, foram escolhidas as formulações F3 e F6 para realizar o estudo de estabilidade. O estudo da estabilidade das bebidas mostrou que não houve alteração significativa (p>0,05) do teor dos compostos bioativos, das características físico-químicas e colorimétricas. Apenas para os valores de &#916;E*, houve alteração significativa (p<0,05), indicando diferença da coloração entre as formulações no tempo 0 (inicial) e tempo 60 (final). Verificou-se que a condição de refrigeração (5 oC) mostrou ser eficiente no armazenamento destas bebidas, contribuindo para manter as características físico-químicas, bioativas e atividade antioxidante. É possível a utilização de corantes naturais na formulação de bebidas proteicas, pois além de manterem os parâmetros físico-químicos, bioativos e microbiológicos, apresentou padrão de cor e sabor bem aceitos pelos consumidores, oferecendo-lhes um produto diferenciado, com alto valor agregado, além de trazer saúde e bem estar contribuindo para boa forma física.
The current trend by consuming more healthy foods, nutritious and with additional features takes to the search for new products and ingredients that they can meet the needs of these consumers. The development of a food based on protein whey, rich in essential amino acids, added of anthocyanins and lutein, with high antioxidant activity; it becomes an important ally in the feeding of individuals searching for health and wellness. In this context, the objective of this study was to formulate and characterize drinks with different levels of whey proteins added lutein and anthocyanins; determine the content of total anthocyanins, total phenolics, total carotenoids and antioxidant capacity, as well as the sensory acceptability and stability of formulations. The drinks was characterized as the physico-chemical parameters (pH, titratable acidity, TSS, protein content and color) and microbiological. Drinks was developed with 0.5%, 2.0%, 4.0% and 6.0% of whey proteins, each, added lutein and anthocyanins. The physico- chemical analyzes indicated that the protein concentration significantly altered (p <0.05) values of acidity and total soluble solids of the drinks. The same was observed for total phenolics and antioxidant activity of the formulated added extract of anthocyanins. Through the colorimetric coordinates, beverages formulated with extracts of anthocyanins showed shades of light colors (high values of L*), that tended to red (small angle h*), in other words, the proximity of the axis a*, characteristic of the presence of anthocyanins, while for drinks added lutein showed higher values of angle h* indicating proximity of the b* axis, tending to yellow. The values of C * were high, indicating intense yellow color to drinks with lutein. There was not significant alteration (p> 0.05) on the anthocyanins level and carotenoids drinks depending on the protein concentration. The antioxidant activity of the formulated added of extract of jabuticaba was upper to the added of lutein. The values of microbiological counts showed that all formulations are considered safe for consumption. The formulations F1, F2 and F3 was also accepted as to global impression, while for the color formulations was more accepted F2 and F3. For the drinks with added lutein, the most accepted formulation as to global impression was the F6 and for the color formulations were F6 and F7. Based on the results of the sensory acceptability were chosen formulations F3 and F6 to realize the stability study. The study of the stability of the drinks showed there was no significant alteration (p> 0.05) of the content of bioactive compounds, the physico- chemical and colorimetric. Only the values of &#916;E*, was significant change (p <.05), indicating the color difference between formulations at time 0 (initial) and time 60 (final). It was verified that the cooling condition (5o C) showed be efficient in storing these drinks contributing to maintain the physico-chemical and bioactive antioxidant activity. It is possible the use of natural colorants in the formulation of protein drinks because besides maintenance the physico-chemical parameters, microbiological and bioactive, presented a pattern of color and flavor well accepted by consumers, offering them a differentiated product with high value added, in addition to bringing health and wellness contributing to good physical shape.
Palavras-chave: Corantes naturais
Jabuticaba
Luteína
Antocianinas
Natural dyes
Jabuticaba
Lutein
Anthocyanins
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::CIENCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS::CIENCIA DE ALIMENTOS
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Ciência de Alimentos; Tecnologia de Alimentos; Engenharia de Alimentos
Programa: Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos
Citação: ROCHA, Juliana de Cássia Gomes. Addition of natural colorantes anthocyanins and lutein in drinks made with whey protein. 2013. 128 f. Dissertação (Mestrado em Ciência de Alimentos; Tecnologia de Alimentos; Engenharia de Alimentos) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2013.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/2927
Data do documento: 7-Mar-2013
Aparece nas coleções:Ciência e Tecnologia de Alimentos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf1,24 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.