Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/297
Tipo: Tese
Título: Respostas bioquímica, fisiológica e comportamental de Anticarsia gemmatalis (lagarta da soja) ao inibidor de serino proteases benzamidina
Título(s) alternativo(s): Biochemical, physiological and behavioral response of Anticarsia gemmatalis when submitted to treatments with protease inhibitors
Autor(es): Pilon, Anderson Martins
Primeiro Orientador: Oliveira, Maria Goreti de Almeida
Primeiro coorientador: Oliveira, Joel Antônio de
Segundo coorientador: Guedes, Raul Narciso Carvalho
Primeiro avaliador: Campos, Wellington Garcia
Segundo avaliador: Siqueira, Cláudio Lísias Mafra de
Terceiro avaliador: Guia, Thiago Rennó dos Mares
Abstract: Os insetos são responsáveis por grandes perdas na Agricultura. Na tentativa de controlá-los, têm-se buscado novas alternativas que não sejam baseadas em agroquímicos. Na coevolução entre plantas e insetos, as plantas desenvolveram mecanismos de defesa contra o ataque de insetos. Dentre estes mecanismos, destaca-se a produção de inibidores de protease. É postulado que, quando uma planta é atacada ou ferida, ela propicia um aumento nos níveis de inibidores de proteases na região ferida (resposta local) e ou em toda a planta (resposta sistêmica). Nesta interação inseto-planta, os insetos podem desenvolver mecanismos de defesa contra os inibidores de proteases produzidos pela planta. Esta possibilidade demanda um conhecimento mais elaborado do comportamento das enzimas proteolíticas do intestino médio dos insetos, a partir da ingestão crônica de inibidores de protease no momento do ataque à planta. Muitas pesquisas vêm demonstrando o potencial dos inibidores de proteases em comprometer o desenvolvimento do inseto. Uma praga que se destaca na cultura da soja é o lepidóptera, Anticarsia gemmatalis (Hübner). Neste contexto, o presente trabalho fundamentou-se em verificar os efeitos comportamentais no desenvolvimento pós embrionário e nas proteases digestivas de A. gemmatalis quando ingeriram o inibidor de serino-proteases benzamidina aplicado em plantas de soja da variedade CAC-1 e seu genótipo triplo-nulo, em seis diferentes concentrações: 0,0; 0,15; 0,30; 0,45; 0,60; e 0,75%. A benzamidina interferiu na resposta comportamental de lagartas e mariposas de Anticarsia gemmatalis, as quais tiveram preferência por plantas que não receberam pulverizações com benzamidina. O desenvolvimento pós-embrionário também foi afetado reduzindo o ganho de peso e aumentando a mortalidade. Anticarsia gemmatalis em situação de ingestão de inibidores apresentou respostas adaptativas como a capacidade de sintetizar cisteíno proteases. Portanto, estes dados sugerem que a utilização de inibidores de protease possa ser uma estratégia promissora no controle de Anticarsia gemmatalis na cultura da soja.
The insects are responsible for great losses in Agriculture. In the attempt to control them, new alternatives that are not based on agrochemicals have been searched. In the coevolution involving plants and insects, the plants developed defense mechanisms against the attack of insects. Amongst these mechanisms the production of protease inhibitors is distinguished. It is postulated that, when a plant is attacked or wound, it favors an increase in the levels of proteases inhibitors in the wounded region (local response) and or all over the plant (systemic response). In this insect-plant interaction, the insects can develop defense mechanisms against the protease inhibitors produced by the plant. This possibility demands a closer study of thebehavior of the mid intestine proteolytic enzymes of the insects, starting from the chronic ingestion of protease inhibitors at the moment of the attack to the plant. Many investigations have been demonstrating the potential of proteases inhibitors in compromising insect development. An important plague in the soy culture is the lepidoptera Anticarsia gemmatalis (Hübner). In this context the present work was based on verifying to the behavioral effects, in the post-embryonic development and in the A.gemmatalis digestive proteases after the ingestion of the serine-proteases inhibitor, benzamidine, sprayed on soy plants of the CAC-1 variety and its triple-null genotype, in six different concentrations: 0.0, 0.15, 0.30, 0.45, 0.60 and 0.75%. The benzamidine intervened in the behavioral response of Anticarsia gemmatalis larvae and butterflies, which had preference for plants that had not been sprayed with benzamidina. The post-embryonic development was also affected reducing the weight gain and increasing the mortality. Anticarsia gemmatalis in situation of chronic inhibitor ingestion presented adaptative responses like a hyperproduction of sensible and/or insensitive to the trypsin-like proteases and the capacity to sintethise other proteases as it is the case of cysteine proteases. Therefore, these data suggest that the employment of proteaseinhibitors can be a promising strategy in the control of Anticarsia gemmatalis in the soy culture.
Palavras-chave: Anticarsia gemmatalis
Soja
Benzamidina
Anticarsia gemmatalis
Soybean
Benzamidine
CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::BIOQUIMICA::ENZIMOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Bioquímica e Biologia molecular de plantas; Bioquímica e Biologia molecular animal
Programa: Doutorado em Bioquímica Agrícola
Citação: PILON, Anderson Martins. Biochemical, physiological and behavioral response of Anticarsia gemmatalis when submitted to treatments with protease inhibitors. 2008. 85 f. Tese (Doutorado em Bioquímica e Biologia molecular de plantas; Bioquímica e Biologia molecular animal) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2008.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/297
Data do documento: 26-Fev-2008
Aparece nas coleções:Bioquímica Agrícola

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf521,32 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.