Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/3158
Tipo: Dissertação
Título: Clonagem de Tectona grandis Linn f. por estaquia e miniestaquia
Título(s) alternativo(s): Clonal propagation of Tectona grandis Linn f. by cuttings and minicuttings
Autor(es): Valverde, Yorleny Badilla
Primeiro Orientador: Xavier, Aloisio
Primeiro coorientador: Paiva, Haroldo Nogueira de
Segundo coorientador: Resende, Marcos Deon Vilela de
Primeiro avaliador: Dias, José Maria Moreira
Abstract: A Tectona grandis (teca), pertencente à família Lamiaceae, é originária das florestas tropicais do sudeste asiático, e foi introduzida e plantada comercialmente na África Tropical, Austrália, ilhas do Pacífico, na América Central e do Sul. Diferenças expressivas observadas no crescimento das árvores nos plantios comerciais desta espécie possuem como fator mais importante as diferenças genéticas entre procedências, podendo a produtividade, ser substancialmente melhorada a partir de seleção cuidadosa de procedências e genótipos superiores. Na atualidade existem programas de melhoramento genético baseados na seleção de árvores superiores, tendo as pesquisas na propagação vegetativa um papel importante, visto as vantagens proporcionadas pela silvicultura clonal. Nesse enfoque, este trabalho visou avaliar a propagação de quatro clones de Tectona grandis por meio da estaquia e miniestaquia. Como objetivos específicos têm-se: 1) avaliar a influência da densidade de minicepas em minijardim clonal quanto à sobrevivência de minicepas e à produção de miniestacas; 2) avaliar a eficiência do regulador de crescimento AIB no enraizamento de miniestacas; 3) avaliar a influência da redução da área foliar e do intervalo de tempo entre coleta/preparo e estaqueamento na sobrevivência e enraizamento de miniestacas, e; 4) avaliar técnicas de resgate de árvores selecionadas quanto à propagação vegetativa pelo enraizamento de estacas. Este estudo foi realizado no viveiro clonal da empresa Agrícola Verde Novo Ltda., localizada no município de Colíder, Mato Grosso, Brasil, sendo utilizados quatro clones de Tectona grandis (Carapá, Ipê, GU5 e TB7), estabelecidos em minijardim clonal em sistema hidropônico. Técnicas de resgate foram avaliadas em árvores selecionadas aleatoriamente em plantios comerciais (propagados via seminífera) de 5, 10 e 15 anos de idade, na fazenda Bacaeri, localizada no município Alta Floresta, Mato Grosso. Os resultados indicaram altos porcentuais de sobrevivência e enraizamento de miniestacas na saída da casa de vegetação e da sobrevivência na saída da casa de sombra, independentemente das dosagens de AIB (95,37; 91,78 e 89,93 % respetivamente). Resultados semelhantes foram obtidos no estudo do intervalo de tempo entre a coleta/preparo e o estaqueamento, com elevados índices para as características sobrevivência (92,71 %) e enraizamento (90,03 %) na saída da casa de vegetação e da sobrevivência na saída da casa de sombra (88,09 %), sem detectar a influência dos períodos de armazenamento utilizados, contudo, foi verificada resposta diferenciada entre clones quanto ao enraizamento das miniestacas. Quanto à redução da área foliar das miniestacas, observou-se influência no enraizamento e sobrevivência das miniestacas, bem como no seu crescimento em altura e diâmetro do colo. Concluiu-se que a utilização de 25% (RF-75%) da área foliar da miniestacas como sendo a recomendada para a produção de mudas clonais, devido a esta utilização apresentar os maiores valores quanto às características avaliadas, principalmente por não apresentar limitações quanto à homogeneidade da irrigação nas fases de enraizamento e aclimatação, minimizando o efeito de guarda-chuva. Com respeito à densidade de minicepas no minijardim clonal, no espaçamento de 10 x 10 cm (100 minicepas m -2 ) apresentou a maior produção de miniestacas por minicepa (0,63), obtendo a menor quantidade de miniestacas por área (62,8 miniestacas m -2 ). A densidade com maior número de minicepas por área (m 2 ), no espaçamento de 5 x 5 cm resultou em menor produção de miniestacas por minicepa (0,48) e maior quantidade de miniestacas por metro quadrado (190,9 miniestacas m -2 ). Foi observada, ainda que a produção de miniestacas variou, significativamente, conforme o espaçamento no decorrer das coletas, o que evidenciou a alta influência do ambiente na emissão de brotos da teca. Em relação ao resgate de árvores selecionadas de Tectona grandis, a decepa proporcionou os melhores resultados quanto à emissão de brotações (86,7%), ao número de brotações (6,5) e ao melhor índice de enraizamento das estacas coletadas (43,1%). Em ambas as técnicas os melhores resultados foram obtidos quando realizadas em árvores em idades mais juvenis (5 anos).
Tectona grandis belongs to Lamiaceae family, original from southestern Asean tropical forests, and introduced commercially to tropical Africa, Australia, Pacific islands, and to Central and South America. Observed expression in growth differences in commercially planted teak trees, was the most important factor as part of genetic differences due to origin. Therefore, productivity could be substantially improved through cautiously provenance and superior genotypes selections. Today, there are breeding programs based on the selection of superior trees, where vegetative propagation research plays an important role due to clonal forestry advantanges. In this context, this study evaluated clonal propagation issues on cuttings and mini-cuttings of four Tectona grandis clones. As specific objectives there were the evaluation of: 1) mini-clonal hegde density influence on mini-stumps survivance and its mini-cuttings productivity; 2) AIB growth regulator influence on mini-cuttings rooting; 3) Foliar reduction and harvest/preparation time-interval effect on survival and mini-cuttings rooting; 4) plus trees vegetative capture techniques through cuttings rooting. The study was developed at clonal nursery in Agrícola Verde Novo Ldta. company, located in Colíder County, Mato Grosso, Brasil, based on four Tectona grandis clones (Carapá, Ipê, GU5 and TB7), established in hydroponic miniclonal hedge, as well as on randomly selected 5, 10 and 15 years-old trees from comercial plantations from Bacaeri company, located in Alta Floresta County, Mato Grosso. Results indicate high survival percentages and rooting rates in greenhouse as well as after acclimatization, independently from AIB dosages (95, 92 and 90% respectively). Similar high values results were also obtained in the study of time intervals between harvest and cutting preparation effect on survivance (92.71%) and rooting (90.03%) after greenhouse conditions, as well as survival after acclimatization (88.09%). No influence of storage periods effects was observed, however, it was registered differences among clones in relation to mini-cuttings rooting rates. In terms of experiments related to cuttings-foliage reduction area, it was observed that there is an influence on its rooting and survival rates, as well as in its height and collar diameter. It was concluded that 25% foliage area utilization in mini-cuttings is recommended, due to its higher values in evaluated characteristics (rooting: 97.4%; survival: 94.27%; height: 10.94 cm and collor diameter: 4.39 mm). Basically due to the absence of limitations in relation to differences in irrigation regimes during rooting and acclimatization stages, which minimized guarda-chuva effect. With respect to density effect on mini-clonal hedge productivity, 10 x 10 cm spacing (100 miniplantas m 2 ) registered highest mini-cutting production per mother plant (0.63). 5 x 5 cm was the highest density in mini-stump per area (m 2 ), which registered the lowest mini-cuttings production per plant (0.48) but highest mini-cutting production per square meter (191 m 2 ). However, it was observed that mini-cutting production varied significantly along the different harvests in the experiment, which is an evidence of environmental effects in teak mini-clonal hedge sprouting. In relation to Tectona grandis plus trees capture, felling down trees registered best results in sprouting (86.7%), number of sprouts per tree (6.5) and the best rooting rate in harvested cuttings (43.1%). Felling down tress as well as in promoting sprouting through half-ringing, best capture results were obtained in trees at lower age.
Palavras-chave: Teca (árvore)
Tectona grandis
Plantas - Melhoramento genético
Propagação vegetativa
Teak (tree)
Tectona grandis
Plants - Breeding
Vegetative propagation
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::RECURSOS FLORESTAIS E ENGENHARIA FLORESTAL::SILVICULTURA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Manejo Florestal; Meio Ambiente e Conservação da Natureza; Silvicultura; Tecnologia e Utilização de
Programa: Mestrado em Ciência Florestal
Citação: VALVERDE, Yorleny Badilla. Clonal propagation of Tectona grandis Linn f. by cuttings and minicuttings. 2014. 97 f. Dissertação (Mestrado em Manejo Florestal; Meio Ambiente e Conservação da Natureza; Silvicultura; Tecnologia e Utilização de) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2014.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/3158
Data do documento: 30-Mai-2014
Aparece nas coleções:Ciência Florestal

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf1,07 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.