Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/3199
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.authorSilva Junior, Wilson Marcelo da
dc.date.accessioned2015-03-26T13:15:40Z-
dc.date.available2007-10-15
dc.date.available2015-03-26T13:15:40Z-
dc.date.issued2002-08-30
dc.identifier.citationSILVA JUNIOR, Wilson Marcelo da. Floristic and phytosociological characterization of the natural regeneration in two sites of a seasonal semideciduous forest in the Viçosa district, MG. 2002. 87 f. Dissertação (Mestrado em Manejo Florestal; Meio Ambiente e Conservação da Natureza; Silvicultura; Tecnologia e Utilização de) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2002.por
dc.identifier.urihttp://locus.ufv.br/handle/123456789/3199-
dc.description.abstractEste estudo teve como objetivos estudar comparativamente, a composição florística e estrutura da regeneração natural do componente arbustivo-arbóreo de dois trechos de floresta da Reserva Mata do Paraíso localizada no município de Viçosa - MG, e discutir através do conjunto de informações obtidas a capacidade de restauração das características edáficas e vegetacionais da Floresta Estacional Semidecidual após forte perturbação antrópica. Foram escolhidos dois trechos de floresta em função do estádio sucessional, sendo o primeiro uma área de pastagem abandonada em franco processo de regeneração há aproximadamente 30 anos, denominado nesse estudo de Floresta Jovem, e o segundo um núcleo de floresta bem preservada sem intervenção antrópica nos últimos 35 anos, denominado Floresta Madura. Em cada trecho foram lançadas dez parcelas de 4x10 metros no qual foram amostrados todos os indivíduos com altura superior ou igual a 1,50m e DAP inferior ou igual a 5,0 cm. No interior destas parcelas foram lançadas sub-parcelas de 2x10m nas quais foram amostrados todos os indivíduos com altura entre 0,30m e 1,49m. De todos os indivíduos foram tomadas medidas de diâmetro ao nível do solo e altura e realizada a identificação taxonômica. No centro de cada parcela foram obtidas fotografias hemisféricas do dossel. Para a amostragem de solo foram coletadas quatro amostras em cada parcela compondo uma amostra composta para cada trecho de floresta onde foram feitas análises químicas e físicas. No total foram amostrados 2456 indivíduos pertencentes a 39 famílias, 83 gêneros, 121 espécies e oito morfoespécies. As famílias mais ricas foram Rubiaceae (13), Meliaceae, Mimosaceae e Myrtaceae (8) e Fabaceae (7). Dezesseis famílias apresentaram apenas uma espécie. No trecho Floresta Jovem Psychotria sessilis, Siparuna guianensis, Trichilia pallida, Anadenanthera macrocarpa, Erythroxylum pelleterianum e Nectandra rigida ocuparam as primeiras posições em valor de importância, considerando os dois níveis de amostragem. No trecho Floresta Madura, as espécies Euterpe edulis, Coffea arabica, Justicia sp., Picranmia regnelii, Guarea macrophylla, Guapira opposita e Psychotria hastisepala foram as mais importantes nos dois níveis de amostragem. Considerando a classificação das espécies em categorias sucessionais, na Floresta Jovem houve predominância de pioneiras e secundárias iniciais nos dois níveis de amostragem indicando que este trecho ainda não atingiu um estádio avançado de sucessão. Já o predomínio de espécies tardias na Floresta Madura mostra o avanço da sucessão neste trecho. A análise de agrupamento revelou a separação nítida de dois grandes grupos de parcelas, cada um representando um trecho da floresta. Além das diferenças florísticas os dois trechos apresentam também diferenças edáficas e de abertura de dossel, com a Floresta Jovem com solo mais pobre em nutrientes e com dossel mais aberto em comparação com a Floresta Madura. Assim, na Floresta Jovem as condições ecológicas, principalmente luz, devem estar favorecendo a regeneração de espécies dos estádios iniciais da sucessão, ao passo que as condições de maior fertilidade e sombreamento da Floresta Madura estão favorecendo espécies secundárias tardias. Portanto, pode-se concluir que o período de abandono da pastagem ainda não foi suficiente para a restauração da composição florística e o avanço da sucessão a uma condição próxima das florestas semidecíduas da região. A degradação do solo desse trecho ainda está refletida nos baixos teores de nutrientes, elevada acidez e compactação em relação à Floresta Madura o que deve estar também refletindo nas diferenças florísticas, estruturais e sucessionais entre as duas áreas. Recomenda-se como estratégia para acelerar o processo de sucessão na Floresta Jovem, o plantio de espécies tardias fazendo-se inclusive a adubação de plantio. As espécies tardias com maior valor de importância na Floresta Madura e as pioneiras na Floresta Jovem, podem ser indicadas para o plantio de enriquecimento de capoeiras e restauração florestal em áreas degradadas, respectivamente.pt_BR
dc.description.abstractThe objectives of this study were to study comparatively the floristic composition and the natural regeneration structure of the shrub and trees components in two sites of the Mata do Paraíso Reserve Forest located in the district of Viçosa MG, and to discuss, through the group of information obtained, the soil and vegetation restoring capacity of the Semi deciduous Forest after strong antropic disturbance. Two sites of the forest were chosen considering the successional stage, being the first an abandoned pasture area in true regeneration process for about 30 years, in this study called Young Forest, and the second, a well preserved forest nucleus without antropic intervention in the last 35 years, here called Mature Forest. In each site, ten plots of 4X10 meters were placed, in which all individuals with a height superior or equal to 1,50m and DBH inferior or equal to 5,0cm were sampled. In these plots, interior sub-plots of 2X10m were placed, in which all individuals with height between 0,30m and 1,49m were sampled. All individuals had their diameters at soil level and height measured, and the taxonomic identification taken. In the center of each parcel canopy hemispheric photographs were obtained. For the soil sampling, four samples in each plot were collected composing a compound sample for each forest site, where the chemical and physics analyses were done. On the whole, there were 2456 individuals sampled belonging to 39 families, 83 genera, 121 species and eight morphospecies. The richest families were Rubiaceae (13), Meliaceae, Mimosaceae and Myrtaceae (8), and Fabaceae (7). Seventeen families showed one specie. In the Young Forest Psychotria sessilis, Siparuana guianensis, Trichilia pallida, Anadenanthera macrocarpa, Erythroxylum pelleterianum and Nectandra rigida occupied the first positions in importance value, considering the two sampling levels. In the Mature Forest Euterpe edulis, Coffea arabica, Justicia sp., Picranmia regnelii, Guarea macrophylla, Guapira opposita and Psychotria hastisepala were the most important in both sampling levels. Considering the species classification in successional categories, in the Young Forest there was a predominance of the pioneers and initial secondary in both sampling levels showing that this site has not achieved an advanced succession state, whereas the late species predominance in the Mature Forest shows an advance in succession in this site. The cluster analyses revealed a clear separation of two big groups, each representing one site of the Forest. Besides the floristic differences, both sites also showed soil status fertility and canopy opening differences, with the Young Forest being poorer in soil nutrients, and having a more open canopy than the Mature Forest. So, in the Young Forest the ecological conditions, especially light, must be increasing the regeneration of the species in the initial succession stage, whereas the grater fertility and shading conditions of the Mature Forest are increasing late secondary species. Therefore, it can be concluded that the abandoned pasture period has not been enough for the floristic composition restoring and the succession advance towards a condition near that of the seasonal semideciduous forest of the region. The soil degradation in this section is still reflected in the low nutrient contents, high acidity and compacting in relation to the Mature Forest, which must also be reflecting in the floristic structural and successional differences between the two areas. As a strategy to accelerate the succession process in the Young Forests, the late species planting, even with fertilization, is recommended. The late species with greater importance value in the Mature Forest, and the pioneers in the Young Forest, can be indicated for species planting enriching of scrublands and forest restoration in degraded areas, respectively.eng
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Viçosapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectFloresta estacional semidecidualpor
dc.subjectComposição florísticapor
dc.subjectEstrutura fitossociológicapor
dc.subjectRegeneração naturalpor
dc.subjectFotografia hemisféricapor
dc.subjectSeasonal semideciduous foresteng
dc.subjectFloristic compositioneng
dc.subjectPhytosociological structureeng
dc.subjectNatural regenerationeng
dc.titleCaracterização florística e fitossociológica da regeneração natural em dois trechos de uma floresta estacional semidecidual no município de Viçosa, MGpor
dc.title.alternativeFloristic and phytosociological characterization of the natural regeneration in two sites of a seasonal semideciduous forest in the Viçosa district, MGeng
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.authorLatteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4742980D0por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentManejo Florestal; Meio Ambiente e Conservação da Natureza; Silvicultura; Tecnologia e Utilização depor
dc.publisher.programMestrado em Ciência Florestalpor
dc.publisher.initialsUFVpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::RECURSOS FLORESTAIS E ENGENHARIA FLORESTAL::CONSERVACAO DA NATUREZApor
dc.contributor.advisor1Martins, Sebastião Venâncio
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4784895Z9por
dc.contributor.referee1Silva, Alexandre Francisco da
dc.contributor.referee1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4783672E0por
dc.contributor.referee2Marco Junior, Paulo de
dc.contributor.referee2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4723007A6por
dc.contributor.referee3Ribeiro, Guido Assunção
dc.contributor.referee3Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4783554H6por
dc.contributor.referee4Assis Junior, Sebastião Lourenço de
dc.contributor.referee4Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4785693Y6por
Aparece nas coleções:Ciência Florestal

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf586,35 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.