Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/3300
Tipo: Dissertação
Título: Caracterização e implicações do comércio informal de alimentos para o ecossistema familiar Viçosa-MG
Título(s) alternativo(s): Characterization and implications of the informal trade of food to the familiar ecosystem Viçosa-MG
Autor(es): Iria, Karine Kátia
Primeiro Orientador: Silva, Neuza Maria da
Primeiro coorientador: Loreto, Maria das Dores Saraiva de
Segundo coorientador: Gomes, Marília Fernandes Maciel
Primeiro avaliador: Andrade, Viviane Delfino Albuquerque
Segundo avaliador: Teixeira, Karla Maria Damiano
Abstract: A família brasileira está inserida num contexto de intensas mudanças sociais, políticas e econômicas. No município de Viçosa-MG e em grande parte dos municípios brasileiros, essas mudanças têm sido percebidas também no setor informal da economia. Por não se conhecerem tais mudanças, buscou-se, nesta pesquisa, reduzir essa lacuna, visando oferecer subsídios aos tomadores de decisão quanto às políticas a serem implementadas. Nesse sentido, o objetivo do presente trabalho foi analisar as características e implicações do comércio informal de alimentos nos ecossistemas familiares do meio urbano da cidade de Viçosa/MG. A amostra, constituída de 35 pessoas, foi obtida por meio da técnica bola de neve , entrevistando-se tanto na feira de artesanato quanto na feira livre da cidade pessoas que comercializavam alimentos processados em casa; sendo os dados analisados com o auxílio do software SPSS. A análise do perfil socioeconômico e demográfico dos fornecedores de alimentos inseridos no setor informal mostrou a preponderância de homens e mulheres com mais de 40 anos, com baixo nível educacional, sugerindo que a atividade informal é capaz de absorver indivíduos com idade mais avançada e que encontram dificuldades para inserção no setor formal da economia. Essa pesquisa também detectou uma expressiva participação das mulheres no mercado informal de alimentos, reforçando o fato de que as atividades relacionadas ao âmbito doméstico ainda são predominantemente femininas e significativas para o incremento da renda familiar. Notou-se a predominância da família do tipo nuclear e no ciclo intermediário de vida, com renda mensal variando entre um e três salários mínimos, indicando que o comércio informal de alimentos na cidade é constituído basicamente de famílias de renda relativamente baixa. Os tipos de alimentos fornecidos no mercado informal são tradicionais na cidade; estando a tecnologia adequada. Poucos entrevistados participaram de algum tipo de treinamento que os auxiliasse na produção e comercialização dos alimentos e, tampouco, na gestão do próprio negócio ou na administração de seus recursos financeiros. Dentre os motivos que os levaram a se dedicar à atividade informal, a necessidade de complementação da renda foi o mais citado. Constatou-se, também, que na maioria das famílias, o esposo e a esposa eram os mais envolvidos na produção informal de alimentos, embora tenham sido identificados a presença de redes sociais, caracterizadas principalmente pelo apoio de familiares, considerada como mais duradoura e densa. Essas redes sociais envolvidas no comércio informal representam vínculos específicos e sua presença contribui para uma maior autonomia das unidades familiares, a partir do momento que ampliam suas possibilidades de segurança financeira. Finalmente, no que diz respeito ao valor econômico da produção informal e suas implicações no ecossistema familiar, averiguou-se que, apesar da incerteza dos rendimentos gerados pelo trabalho informal, a maioria dos entrevistados declararam estar satisfeitos com a atividade informal, afirmando que a melhoria financeira foi uma das mudanças mais percebidas após se dedicarem a ela. Pode-se concluir que o comércio informal permite que as famílias se organizem de acordo com o tempo disponível, produzam conforme a habilidade e os recursos já existentes no domicílio, conjuguem momentos de lazer e de trabalho e, ainda, tenham a renda como fator determinante da atividade informal, existindo uma congruência entre esta atividade e as outras atividades domésticas e um sentimento de conformidade, em face à situação de subsistência do ecossistema familiar.
Brazilian family is inserted in a context of intense social, political and economical changes. In the city of Viçosa-MG and in a large part of brazilian cities, those changes have also been noticed in the informal section of the economy. Because such changes are unknown, it was aimed in this research to reduce that gap in order to offer subsidies to the decisions takers about the politics that must be implemented. Therefore, the purpose of this work was to analyze the characteristics and implications of the informal trade of food in the familiar ecosystems of the urban part of the city of Viçosa/MG, the sample, constituted of 35 people, it was obtained through the technique "snowball", being interviewed, so much in the craft market as in the open market of the city, people who marketed processed home made food. The data was analyzed with the aid of the software SPSS. The analysis of the socioeconomic and demographic profile of the food suppliers inserted in the informal section showed the preponderancy of men and women older than 40 years old, with low education level, suggesting that the informal activity is capable of absorbing individuals in an advanced age who have difficulties to be inserted in the formal section of the economy. It was also detected an expressive participation of women in the informal market of food, reinforcing the fact that activities related to the domestic extent are, still, predominantly feminine and significant for incrementing the familiar income. It was noticed the predominance of the nuclear type family in an intermediate cycle of life, with monthly income varying between one and three minimum wages, indicating that the informal trade of food in the city is constituted basically by families of income relatively low. The type of food supplied in the informal market is traditional in the city, being the technology appropriate. Few interviewees participated in some training type that aided them in the production and commercialization of food and, either, in the administration of their own business or in the administration of their financial resources. Among the reasons that took them to be dedicated to the informal activity, the need of income complementation was the most mentioned. It was also verified that in the most part of the families, husband and wife were the most involved in the informal production of food, even though it has been identified social nets characterized mainly by relatives support, considered as more durable and dense. Those social nets involved in the informal trade represent specific bonds and their presence contributes to a large autonomy of the familiar units, as of the moment that they enlarge the family possibilities of financial safety. Finally, about the economical value of the informal production and its implications in the familiar ecosystem, it was discovered that, in spite of the uncertainty of the income generated by the informal work, the interviewees, in majority, declared to be satisfied with the informal activity, affirming that the financial improvement was one of the changes more noticed after they dedicated to it. It can be concluded that the informal trade allows the families to organize themselves according to the available time, to produce according to the ability and the resources already existent at home, to conjugate moments of leisure and work, and still, to have the income as decisive factor of the informal activity, existing a consistency between this activity and the other domestic activities and a conformity feeling, in face of the situation of subsistence of the familiar ecosystem.
Palavras-chave: Família
Economia informal
Produção caseira
Family
Informal economy
Informal production
CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA DOMESTICA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Economia familiar; Estudo da família; Teoria econômica e Educação do consumidor
Programa: Mestrado em Economia Doméstica
Citação: IRIA, Karine Kátia. Characterization and implications of the informal trade of food to the familiar ecosystem Viçosa-MG. 2008. 93 f. Dissertação (Mestrado em Economia familiar; Estudo da família; Teoria econômica e Educação do consumidor) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2008.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/3300
Data do documento: 5-Mai-2008
Aparece nas coleções:Economia Doméstica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf296,89 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.