Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/3320
Tipo: Dissertação
Título: Representações de crianças e adolescentes sobre trabalho numa perspectiva piagetiana
Título(s) alternativo(s): Children s and adolescents representations of work from a Piagetian perspective.
Autor(es): Silva, Márcia Onísia da
Primeiro Orientador: Barreto, Maria de Lourdes Mattos
Primeiro coorientador: Souza, Gisele Maria Costa
Segundo coorientador: Pinto, Neide Maria de Almeida
Primeiro avaliador: Mello, Rita Márcia Andrade Vaz de
Segundo avaliador: Bartolomeu, Tereza Angélica
Abstract: A construção do conhecimento por crianças e adolescentes tem instigado pesquisas nos mais variados campos. O conhecimento social, que é construído pela transmissão social e pela interação entre o sujeito e o meio em que vive, é de extrema importância para seu desenvolvimento. Esta proposta originou-se de uma experiência de estágio na Educação Infantil, no qual se percebeu que as crianças diferenciavam o trabalho do homem do trabalho da mulher, mas não compreendiam bem o mundo do trabalho. A problemática que apresentamos foi: quais as representações de crianças e adolescentes, na faixa-etária de 4 a 14 anos, sobre trabalho e se crianças e adolescentes, nesta faixa etária, estabeleciam relações entre trabalho e gênero, distinguindo as atividades laborais exercidas por homens e mulheres na polarização entre "trabalho masculino" e "trabalho feminino", conforme a divisão sexual do trabalho presente na nossa sociedade. As hipóteses que nortearam o estudo foram de que crianças e adolescentes criam modelos e representações sobre a categoria trabalho que variam à medida que percorrem os diferentes estágios de desenvolvimento, os quais não se configuram como meras cópias da realidade, mas são transformados ativamente pelos sujeitos e que crianças e adolescentes na faixa etária de 4 a 14 anos incorporam a polarização da divisão sexual do trabalho vigente em nossa sociedade em "trabalho feminino" e "trabalho masculino". Os objetivos foram identificar e analisar a gênese das representações sobre a categoria trabalho e sobre a divisão sexual do trabalho, de crianças e adolescentes, na faixa etária entre 4 e 14 anos, de uma escola particular de Viçosa, MG. Utilizamos o Método Clínico Piagetiano, que tem como instrumento de coleta de dados a entrevista clínica, constituída de perguntas abertas e da possibilidade de utilização de material concreto. Constituíram a amostra crianças e adolescentes, na faixa etária de 4 a 14 anos, matriculados em uma escola particular de Viçosa, MG. Construímos o instrumento composto de perguntas abertas e de material concreto com fichas representando atividades laborativas. Na análise dos dados, utilizamos três categorias: conceito de trabalho, trabalho remunerado vs. não remunerado e divisão sexual do trabalho, elaborando-se os níveis de respostas dos sujeitos. Os resultados apontaram que a construção do conhecimento social passa por fases evolutivas, indo de níveis mais simples para mais elaborados. Nossas hipóteses se confirmaram, uma vez que os dados revelaram mudança evolutiva nas representações de crianças e adolescentes - ressalta-se que encontramos uma mesma criança em níveis diferentes de compreensão. Distinguimos quatro níveis de compreensão sobre trabalho: Pré-I, I, II e III. Este estudo constituiu-se de uma coorte de uma temática ampla e novos estudos que busquem mais informações sobre o que pensam crianças e adolescentes sobre trabalho se fazem necessários. É importante conhecer as representações dos sujeitos para que se possa tomar consciência dos valores e princípios repassados às novas gerações, os quais servem de base para suas construções, evitando-se a cultura do sexismo e a criação de estereótipos, muitas vezes, considerados naturais.
The construction of knowledge by children and adolescents has prompted research into various fields. Social knowledge, which is constructed by social transmission and the interaction between subjects and the environment they live in, is extremely important for their development. This proposal originated from an internship experience in early childhood education, from which it was realized that children differentiated men's from women's work, but did not understand well the world of work. The problem presented was: "What are the representations of work by children and adolescents in the age range from 4 to 14 years?" and whether children and adolescents in this age group established relationships between work and gender, distinguishing labor activities carried out by men and women in the polarization between "men's work" and "women's work" according to the sexual division of labor in our society. The hypotheses that guided the study were that children and adolescents create models and representations of work that change as they go through the various stages of development, not as mere copies of reality, but being actively processed by the subjects, and that children and adolescents aged 4 to 14 years incorporate the polarization of the sexual division of labor force in our society into "women's work" and "men's work". The objectives of the research were to identify and analyze the genesis of representations of working class and the sexual division of labor by children and adolescents, aged between 4 and 14 years, in a private school in Viçosa, MG. We used the Piagetian Clinical Method to collect data using clinical interviews consisting of open questions as well as the use of concrete material. Children and adolescents aged 4 to 14 years enrolled in a private school of Viçosa, MG, constituted the sample. We built up the instrument consisting of open questions and concrete material with cards representing labor activities. For data analysis, we used three categories: concept of work, paid vs. unpaid work and sexual division of labor, working out the levels of the subjects' answers. The results showed that the social construction of knowledge goes through phases of evolution, ranging from simpler to more elaborate levels. Our hypotheses were confirmed, since the data revealed evolutionary change in the representations of children and adolescents - it should be pointed out that we find a same child at different levels of understanding. Four levels of understanding of work were identified: Pre-I, I, II and III. This study consisted of a cohort of a broad thematic, therefore, further studies seeking more information on children's and adolescent's understanding on work are needed. Gaining knowledge on subjects' representations is important for realizing values and principles that are assed on to younger generations, which are the basis for their constructions, avoiding the expansion of sexism and stereotypes in our culture, which is often seen as natural.
Palavras-chave: Crianças e adolescentes
Conhecimento social
Trabalho
Children and adolescents
Social knowledge
Work
CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA DOMESTICA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Economia familiar; Estudo da família; Teoria econômica e Educação do consumidor
Programa: Mestrado em Economia Doméstica
Citação: SILVA, Márcia Onísia da. Children s and adolescents representations of work from a Piagetian perspective.. 2009. 304 f. Dissertação (Mestrado em Economia familiar; Estudo da família; Teoria econômica e Educação do consumidor) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2009.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/3320
Data do documento: 19-Out-2009
Aparece nas coleções:Economia Doméstica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf1,31 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.