Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/3338
Tipo: Dissertação
Título: Programas de responsabilidade social: entre a teoria e a prática na perspectiva de bancárias
Título(s) alternativo(s): Social responsibility programs: theory and practice from the perspective of banks
Autor(es): Soares, Lina Maria
Primeiro Orientador: Teixeira, Karla Maria Damiano
Primeiro coorientador: Loreto, Maria das Dores Saraiva de
Segundo coorientador: Pereira, Eveline Torres
Primeiro avaliador: Andrade, Viviane Delfino Albuquerque
Segundo avaliador: Bartolomeu, Tereza Angélica
Abstract: Dados da Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) 2009, demonstram o aumento contínuo da participação feminina no mercado de trabalho, sendo que a porcentagem de mulheres no conjunto de trabalhadores cresceu de 39,6%, em 1993, para 44, 7%, em 2009. Apesar desse aumento, pouco se observa de evolução em relação às relações de gênero. O acesso das mulheres ao trabalho remunerado permanece condicionado pela domesticidade de suas relações, como se fosse uma dimensão exterior às suas vidas, levando à dupla ou tripla jornada de trabalho. Ainda como agravante desta situação, o insuficiente desenvolvimento de políticas públicas que permitam socializar os custos dos cuidados familiares confirma que a gestão das demandas conflitivas entre família e trabalho permanece, em grande parte, responsabilidade do setor privado. A empresa socialmente responsável se propõe a respeitar os direitos dos trabalhadores, consolidados na legislação trabalhista e nos padrões da Organização Internacional do Trabalho. Nesse contexto, os bancos têm se destacado no campo da responsabilidade social. Dessa forma, este estudo buscou analisar se as ações dos programas bancários de responsabilidade social corporativa respondem às necessidades e demandas do segmento feminino pesquisado e, caso contrário, quais são as estratégias adotadas pelas mulheres para conciliar as atividades domésticas com as do trabalho remunerado. Realizou-se uma pesquisa qualitativa de natureza exploratóriodescritiva. A pesquisa teve, como objeto de estudo, os programas de responsabilidade social voltados para as funcionárias de bancos da rede pública e privada das cidades de Arcos, Formiga e Piumhi, do estado de Minas Gerais. A população pesquisada consistiu de 12 funcionárias dos bancos que estavam passando por períodos de gestação, ou que já possuíam filhos a partir do ano de 2000 e que, assim, teriam que conciliar o trabalho remunerado com as atividades domésticas. A coleta de dados foi realizada por meio da pesquisa bibliográfica e entrevista fundamentada em um roteiro semiestruturado. Para a análise dos dados utilizou-se estatística descritiva, complementada por tabelas. Os dados qualitativos foram tratados com base em uma análise das falas das bancárias. Os resultados mostraram que os programas de responsabilidade social dos bancos, eram abrangentes e desconsideravam especificidades, como as questões relacionadas ao segmento feminino. Assim, os problemas pessoais, familiares e laborais enfrentados pelas mulheres poderiam ter sido minimizados ou solucionados se existissem programas que atendessem às suas demandas particulares. Embora as funcionárias tenham relatado o apoio dos bancos durante o período de gestação e maternidade, na verdade este apoio está previsto em lei. A presença de empregadas domésticas ou mesmo a ajuda de parentes, inclusive do cônjuge, liberava as mulheres para a execução do trabalho remunerado restrito à jornada de trabalho que tinham que cumprir. Por outro lado, elas não tinham tempo pessoal e o lazer estava reservado às atividades com as crianças. A presença de marido e filhos ainda as restringia na progressão da carreira. Mesmo com todas as dificuldades para conciliar os diferentes papéis e demandas, as mulheres se sentiam realizadas com o exercício da maternidade
Data from the Brazilian Institute of Geography and Statistics (IBGE) 2009, demonstrate the continued increase in female participation in the labor market, since the percentage of women in the group of workers grew from 39.6% in 1993 to 44% in July 2009. Despite this increase, little observed evolution in relation to gender relations. Women's access to paid work remains conditioned by the domesticity of their relationship as if it were an external dimension to their lives, leading to double or triple shifts. Even as an aggravating this situation, the insufficient development of public policies to socialize the costs of family care confirms that the management of conflicting demands between work and family remain largely the responsibility of the private sector. A socially responsible company intends to respect the rights of workers in labor legislation and consolidated standards of the International Labour Organization. In this context, banks have been prominent in the field of social responsibility. Thus, this study was to examine whether the actions of corporate social responsibility programs meet the banking needs and demands of the female segment investigated and, if not, what are the strategies adopted by women to combine household chores with paid work. It was conducted a qualitative exploratory-descriptive. The research has as an object of study, social responsibility programs focused on the employees of banks, both public and private towns of Arcos, Formiga and Piumhi, the state of Minas Gerais. The target population consisted of 12 employees of banks that were going through periods of gestation, or who already had children from the year 2000 and who thus had to reconcile paid work with household chores. Data collection was conducted through literature search and interview based on a semi-structured. For data analysis, descriptive statistics, complemented by tables. Qualitative data were treated based on an analysis of the speeches of the bank. The results showed that the programs of social responsibility of banks, were disregarded comprehensive and specific as the issues related to the female segment. Thus, personal problems, family and employment faced by women could have been solved or minimized if there were programs that would meet their particular demands. Although officials have reported support for banks during the period of gestation and in fact this support is provided by law. The presence of maids or even the help of relatives, including spouse, freed women to perform paid work restricted to working hours that had to comply. Moreover, they had no personal time and leisure activities were reserved for children. The presence of the husband and children are still restricted in career progression. Even with all the difficulties in reconciling the different roles and demands, women felt held to the exercise of motherhood
Palavras-chave: Responsabilidade social corporativa
Interface Família-Trabalho remunerado
Bancárias
Corporate social responsibility
Paid work-family interface
Banking
CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA DOMESTICA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Economia familiar; Estudo da família; Teoria econômica e Educação do consumidor
Programa: Mestrado em Economia Doméstica
Citação: SOARES, Lina Maria. Social responsibility programs: theory and practice from the perspective of banks. 2011. 91 f. Dissertação (Mestrado em Economia familiar; Estudo da família; Teoria econômica e Educação do consumidor) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2011.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/3338
Data do documento: 12-Abr-2011
Aparece nas coleções:Economia Doméstica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf463,21 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.