Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/3345
Tipo: Dissertação
Título: O lugar do assentamento nos projetos de vida das famílias assentadas: o caso do assentamento Margarida Alves, em Bambuí-MG
Título(s) alternativo(s): The place of settlement projects in the life of settlers: the case of settlement Margarida Alves, in Bambuí-MG
Autor(es): Faria, Mariângela de
Primeiro Orientador: Pinto, Neide Maria de Almeida
Primeiro coorientador: Fiúza, Ana Louise de Carvalho
Segundo coorientador: Ludwig, Márcia Pinheiro
Primeiro avaliador: Oliveira, Marcelo Leles Romarco de
Abstract: A permanência dos assentados rurais na terra conquistada tem sido uma das promessas dos governos. Estudos de autores como Bogo (1999), Andrade et al (2009) e outros revelaram que após a conquista da terra, os assentados enfrentavam dificuldades para permanecerem no local, tendo que buscar seu sustento fora do assentamento ou desenvolver atividades agrícolas paralelas a outras atividades para garantir seu lote. Esta pesquisa buscou compreender o lugar que o assentamento rural Margarida Alves, no município de Bambuí MG, ocupa na trajetória de vida dos assentados, analisando como os projetos de vida das famílias de um assentamento rural revelam as expectativas dos mesmos para o futuro. Para tanto, as famílias do assentamento foram caracterizadas quanto ao seu perfil socioeconômico e estratégias de reprodução, trajetórias e projetos de vida, procurando problematizar o lugar que o assentamento ocupa nestes projetos. O estudo mostrou que o perfil das famílias assentadas agrega realidades rurais e urbanas: pessoas que sempre vivenciaram a roça, pessoas que vivenciaram o campo e a cidade e pessoas que nunca vivenciaram a realidade rural. A maioria das famílias entrevistadas era proveniente do município de Bambuí e para grande parte, o acesso ao lote significou continuar trabalhando em atividades ligadas ao rural. Para os assentados provenientes de outras localidades, o acesso a terra não significou rompimento com as antigas atividades, pois os que exerciam atividades agrícolas e não-agrícolas, como pintor, motorista, peão de rodeio, pedreiro, continuaram a exercê-las concomitantemente às atividades do lote. Para a grande maioria, inclusive, esse acesso garantiu o fortalecimento e a possibilidade de incremento dessas atividades, pois estas encontram demanda tanto no meio urbano quanto no meio rural. A sociabilidade dos assentados se construía também na zona urbana de Bambuí, devido aos inúmeros vínculos que mantinham no município a partir do trabalho, lazer e estudo. E a reprodução das famílias não estava associada, de forma exclusiva, às atividades desenvolvidas no lote. Grande parte dos jovens, filhos dos assentados, tinha seus projetos de vida ligados ao urbano, seja pelo interesse em estudos, ou pelo desenvolvimento de outras atividades. Percebeu-se através do estudo realizado que o assentado do Margarida Alves pouco se diferenciava do pequeno agricultor de Bambuí, pois ter um (pequeno) pedaço de terra e manter uma residência na área urbana, ou ainda nesta desenvolver outra atividade profissional faz parte do cotidiano de muitos agricultores bambuienses. O entendimento do assentamento como meio ou fim para se alcançar uma melhor condição de vida não se constituiu em um fator restritivo às possibilidades de reprodução social dos assentados. Pelo contrário, inseriu os mesmos na cultura local.
The persistence of rural settlers on the conquered land has been one of the promises made by the government. Studies by authors such as Bogo (1999), Andrade et al (2009) and others have shown that after the conquest of the land, the settlers were struggling to remain there, conciliating other activities inside or outside the lot to ensure their permanence. This research sought to understand how the rural settlement Margarida Alves, in the city of Bambuí, state of Minas Gerais, takes part in the life story of the settlers, analyzing how the ambitions of the families of a rural settlement reveal their expectations for the future. To this end, the families at the settlement were characterized according to their sociodemographic and reproductive strategies, trajectories and life projects, aiming to investigate where the settlement takes place in these projects. The study showed that the profile of settlers combines rural and urban realities: people who have always experienced the countryside, people who have experienced the countryside and the city and people who have never experienced the rural reality. Most families interviewed came from the city of Bambuí and for most of them the plot meant to continue working in rural activities. For the settlers from other localities access to land did not mean breaking with the old activities, because those who were engaged in agricultural and non-agricultural, as painter, driver, rodeo rider or bricklayer continued to work concurrently with the activities at the lot. For the most part, this access ensured the strengthening and the possibility of improving these activities, as these are in demand both in urban and rural areas. The settlers sociability is also built in the city of Bambuí, because of the many ties they have been keeping to the city like work, leisure and education. And the reproduction of families was not associated, exclusively, to the activities developed on the lot. Most of the settlers' children had their life projects related to the urban life, such as going to school, or the development of other activities. It was realized through the study that the people living at Margarida Alves weren't that different from the small farmer living in Bambuí, therefore possessing a (small) piece of land and maintain a residence in the urban area, or even developing another professional activity is part of the routine of many farmers from Bambuí. The understanding of the settlement as a mean or end to achieve a better life condition was not a limiting factor in the possibilities of social reproduction of the settlers. In contrast, it inserted them into local culture.
Palavras-chave: Assentamentos
Trajetória
Projeto de vida familiar
Settlement
Trajectory
Family life project
CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA DOMESTICA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Economia familiar; Estudo da família; Teoria econômica e Educação do consumidor
Programa: Mestrado em Economia Doméstica
Citação: FARIA, Mariângela de. The place of settlement projects in the life of settlers: the case of settlement Margarida Alves, in Bambuí-MG. 2011. 149 f. Dissertação (Mestrado em Economia familiar; Estudo da família; Teoria econômica e Educação do consumidor) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2011.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/3345
Data do documento: 13-Jun-2011
Aparece nas coleções:Economia Doméstica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf2,46 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.