Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/3354
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.authorBenini, Caroline Silva Almeida
dc.date.accessioned2015-03-26T13:19:50Z-
dc.date.available2012-08-28
dc.date.available2015-03-26T13:19:50Z-
dc.date.issued2011-06-20
dc.identifier.citationBENINI, Caroline Silva Almeida. The phenomenon of teenage pregnancy in different perspectives and their implications in family, social and personal relationships. 2011. 98 f. Dissertação (Mestrado em Economia familiar; Estudo da família; Teoria econômica e Educação do consumidor) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2011.por
dc.identifier.urihttp://locus.ufv.br/handle/123456789/3354-
dc.description.abstractNo Brasil, a taxa de fecundidade na adolescência período compreendido entre 10 e 19 anos tem aumentado, assim como em outros países. A intensidade desse fenômeno social é derivada das mudanças perpassadas pela sociedade, com reflexos no sistema familiar. O caráter transitório das relações e dos papéis das instituições tem levado a maior liberdade reprodutiva, no período de transição entre infância e a idade adulta, ou seja, o exercício da sexualidade tem sido vivenciado cada vez mais cedo, impulsionado por fatores socioculturais e midiáticos. Novas concepções, valores e padrões de comportamento influenciam a vivência precoce da sexualidade. Assim, muitas adolescentes, além de viverem os conflitos próprios dessa faixa etária, ainda podem conviver com outra questão conflituosa: a gravidez, que pode resultar tanto da vivência da sexualidade da adolescente, quanto por violência sexual. A gestação na adolescência é, muitas vezes, inesperada e indesejada, significando a interrupção do seu processo de formação, que pode conduzir a situações conflituosas, com possibilidade de violência doméstica em função das relações de poder e dominação, operando no nível da linguagem e do simbólico. Nesse contexto, o presente estudo objetivou analisar o fenômeno da gravidez na adolescência em contextos diferenciados, identificando seus impactos nas relações pessoais, familiares e sociais da adolescente, bem como sua associação com situações de trauma e violência. Participaram da pesquisa os Agentes Comunitários de Saúde (ACS); 18 adolescentes que tiveram filhos entre os anos de 2007 e 2010; 11 famílias das adolescentes e 15 pais de seus filhos. Para coleta de dados fez-se uso da pesquisa censitária e documental para examinar a realidade da gravidez na adolescência ao nível do município de Rosário da Limeira, MG; realizou-se o grupo focal junto aos ACS; além disso, também foi utilizada a entrevista semiestruturada aplicada às adolescentes, suas famílias e pais de seus filhos. A situação da gravidez precoce local não se diferencia da realidade nacional. A média de idade da primeira gestação entre as adolescentes entrevistadas foi de 16,7 anos. Quanto ao local de moradia percebeu-se que 67% das adolescentes eram residentes da área urbana do município, na época da gravidez, enquanto 33% moravam na área rural. Quanto à escolaridade, observou-se maior incidência de adolescentes que cursaram Ensino Fundamental Incompleto. Quanto ao estado civil, antes da gravidez, 66% das adolescentes eram casadas e apenas 16% continuaram solteiras após o nascimento das crianças. Na percepção dos ACS, as adolescentes convivem com a violência simbólica, principalmente pela pressão psicológica e imposição de novos comportamentos, por parte das famílias, que veem a gravidez na adolescência como uma situação de vergonha e o casamento como uma opção naturalizada dentro dos projetos de vida das adolescentes. No que diz respeito às motivações da gravidez, pôde-se perceber que metade das adolescentes desejava ser mãe. As demais não planejavam ou queriam filhos naquele momento. As mudanças que ocorreram na qualidade de vida da adolescente, por conta da gravidez, estavam relacionadas predominantemente ao abandono dos estudos, menos lazer e vida própria, além de limitação de recursos financeiros. Para a maioria das mães das adolescentes a gravidez foi motivo de insatisfação, sendo percebido como um fator negativo, principalmente pela preocupação com as oportunidades que as filhas deixariam de ter por conta das novas responsabilidades, próprias da maternidade. Para a maioria dos pais dos bebês, a descoberta da gravidez das adolescentes trouxe felicidade e, ao mesmo tempo, preocupação; ou seja, uma sobreposição de sentimentos. No que concerne às situações de violência foi mais comum aquela de natureza psicológica, vivenciada principalmente pelas adolescentes do meio urbano, com a imposição de novos comportamentos, além das cobranças, em função de um maior contato com outras instituições socializadoras, além da família. A gravidez na adolescência está associada à violência de natureza simbólica, que tem permanecido muitas vezes invisível, minimizada, negada e naturalizada pelas disposições interiorizadas do campo de vivência e, mais especificamente, pelos papéis estereotipados de gênero, que impõem às adolescentes novos comportamentos, além de posição de silenciamento e submissão diante de novos papéis e funções.pt_BR
dc.description.abstractIn Brazil, the fertility rate in adolescence - the period between 10 and 19 years - has increased as well as in other countries. The intensity of this social phenomenon is derived from changes pervaded by the society, reflected in the family system. The transitory nature of relationships and roles of the institutions has led to greater reproductive freedom, the transition period between childhood and adulthood, ie, the exercise of sexuality has ever been experienced earlier, driven by sociocultural factors and media. New concepts, values and behavior patterns influence the experience of early sexuality. So many teens, besides living the conflicts inherent in this age group can still live with another contentious issue: the pregnancy, which can result in either the experience of adolescent sexuality, and sexual violence. The teenage pregnancy is often unexpected and unwelcome, meaning the suspension of the formation process, which can lead to conflict with the possibility of domestic violence in terms of relations of power and domination, operating at the level of language and symbolic. In this context, this study aimed to analyze the phenomenon of teenage pregnancy in different contexts, identifying its impact on personal relationships, family and social teenager, as well as its association with situations of trauma and violence. The Community Health Agents, 18 adolescents who had children between the years 2007 and 2010, 11 families of adolescents and 15 fathers of her children participated in the research. For data collection the use of census research and documentary was made to examine the reality of teenage pregnancy at the municipality of Rosário da Limeira, Minas Gerais; focus groups with the ACS took place; in addition, it was also used the semi structured interview applied to adolescents, their families and their children s fathers. The situation of local teenage pregnancy is no different from the national reality. The average age of first pregnancy among teenage girls interviewed was 16.7 years. Regarding the housing location, it was noticed that 67% of the adolescents were residents of the urban area at the time of pregnancy, while 33% lived in rural areas. Regarding education, weobserved a higher incidence of teenagers who attended elementary school but did not complete it. Regarding marital status before pregnancy, 66% of the adolescents were married and only 16% remained unmarried after childbirth. In the perception of ACS, adolescents live with symbolic violence, mainly by the psychological pressure and imposition of new behaviors on the part of families, who see teenage pregnancy as a "state of shame" and marriage as an option within the naturalized projects of life of adolescents. Regarding the motivations of pregnancy, it could be seen that half the teenagers wanted to be a mother. The other ones did not plan or want children at that time. The changes that occurred in the quality of life of the teenager, because of pregnancy, were predominantly related to the abandonment of studies, less leisure and life itself, and limited financial resources. For most mothers of adolescents pregnancy was a cause for dissatisfaction, perceived as a negative factor, mainly by concern about the opportunities that his daughters would no longer have because of the new responsibilities of motherhood themselves. For most fathers of babies, the discovery of teenage pregnancy has brought happiness and at the same time, concern, ie, an overlap of feelings. Regarding the situations of violence, it was more common that of a psychological nature especially experienced by the adolescents of the urban environment, with the imposition of new behaviors in addition to the charges, due to greater contact with other socializing institutions outside the family. Adolescent pregnancy is associated with violence of a symbolic nature, which has often remained invisible, minimized, denied and naturalized by the internalized provisions of the field experience and, more specifically, by stereotyped gender roles, which require new behaviors to adolescents, position of silence and submission before new roles and functions.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Viçosapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectGravidez na adolescênciapor
dc.subjectPerspectivaspor
dc.subjectImplicaçõespor
dc.subjectTeenage pregnancieseng
dc.subjectProspectseng
dc.subjectImplicationseng
dc.titleO fenômeno da gravidez na adolescência em perspectivas diferenciadas e suas implicações nas relações pessoais, familiares e sociaispor
dc.title.alternativeThe phenomenon of teenage pregnancy in different perspectives and their implications in family, social and personal relationshipseng
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/2006145095589783por
dc.contributor.advisor-co1Teixeira, Karla Maria Damiano
dc.contributor.advisor-co1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4790320H4por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentEconomia familiar; Estudo da família; Teoria econômica e Educação do consumidorpor
dc.publisher.programMestrado em Economia Domésticapor
dc.publisher.initialsUFVpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA DOMESTICApor
dc.contributor.advisor1Loreto, Maria das Dores Saraiva de
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4787872U2por
dc.contributor.referee1Silva, Douglas Mansur da
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/1812859470131233por
dc.contributor.referee2Mafra, Simone Caldas Tavares
dc.contributor.referee2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4723600T9por
Aparece nas coleções:Economia Doméstica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf1,18 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.