Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/3369
Tipo: Dissertação
Título: A representação de crianças e adolescentes sobre a inclusão escolar
Título(s) alternativo(s): The representation of children and adolescents on school inclusion
Autor(es): Soares, Olga Maria de Araújo
Primeiro Orientador: Barreto, Maria de Lourdes Mattos
Primeiro avaliador: Silva, Neuza Maria da
Segundo avaliador: Souza, Gisele Maria Costa
Abstract: Muitas discussões referentes à inclusão escolar vêm sendo realizadas, e a importância do respeito e valorização da diversidade é fundamental para viver em sociedade. O estudo do conhecimento social tem gerado grandes contribuições para diversas questões da sociedade e particularmente, com relação à nossa pesquisa, sobre aspectos da inclusão escolar. Acreditamos que as crianças e os adolescentes têm o que dizer sobre incluir, em suas escolas, sujeitos com deficiência, mesmo sem vivenciar esse processo. Nesse sentido, nossa pesquisa buscou investigar como ocorre a evolução de pensamento de crianças e adolescentes sobre o reconhecimento da diferença; o ambiente físico de uma escola regular que tem crianças/adolescentes com deficiência; e o reconhecimento da deficiência e o respeito e cooperação das crianças/adolescentes sem deficiência com as crianças/adolescentes com deficiência. A hipótese que norteou este estudo foi o fato de que as representações das crianças e adolescentes sobre a inclusão vão se modificando ao longo do desenvolvimento do indivíduo e que, desde cedo, as crianças têm o que falar sobre a inclusão, apresentam soluções e, mesmo não vivenciando a experiência inclusiva na escola, têm o que dizer sobre várias questões relacionadas à inclusão escolar, como o reconhecimento da diferença, da deficiência; sobre um ambiente físico de uma escola regular que atende crianças com e sem deficiência; e sobre relações de respeito e cooperação entre elas e os sujeitos com deficiência. As ações e experiências que os sujeitos têm podem interferir na maneira como eles explicam o processo de inclusão escolar. O objetivo da pesquisa foi conhecer a representação que as crianças e adolescentes de 5 a 14 anos fazem sobre o processo de inclusão escolar na rede regular de ensino, no Município de Viçosa, MG. Utilizamos o Método Clínico Piagetiano, que tem como instrumento de coleta de dados a entrevista clínica, constituída de perguntas básicas e complementares e com apoio de material concreto. Nossa amostra foi constituída de 36 crianças e adolescentes na faixa etária de 5 a 14 anos, matriculados em duas escolas municipais, uma que atende à Educação Infantil e outra que atende ao Ensino Fundamental. Distinguimos quatro níveis de compreensão sobre o reconhecimento da diferença, ambiente físico, reconhecimento da deficiência e sobre o respeito e cooperação. A análise qualitativa dos dados das entrevistas indica que, de maneira geral, as crianças classificadas no Nível Pré-I não sentem necessidade ou não justificam seu raciocínio, e suas representações são embasadas na realidade cotidiana. No Nível I, as representações são fundamentadas nos aspectos mais visíveis da situação, o que está mais próximo da sua vivência. No Nível II, as crianças começam a formular uma concepção mais realista com relação à inclusão escolar, enquanto no Nível III as explicações são mais complexas, sendo capazes de sugerir soluções viáveis e realistas para as situações propostas, caracterizado pelo pensamento formal, podendo pensar sobre aspectos não visíveis da realidade. As crianças mais novas elaboram uma representação a partir de aspectos mais aparentes, e os mais velhos têm a capacidade de coordenar diferentes variáveis do problema. É ouvindo essas crianças e adolescentes que podemos identificar suas ideias e refletir sobre o papel da escola, da família e da sociedade com relação à inclusão escolar. Este estudo é um recorte de uma temática ampla, sendo necessários novos estudos que busquem aprofundar e conhecer as representações de crianças e adolescentes sobre aspectos que lhe dizem respeito, como a maneira de promover reflexos para a melhor vivência e convivência social.
Many discussions regarding the school inclusion have been raised and the importance of the respect and valorization of diversity is essential to live in society. The study of social knowledge has generated great contributions for several society issues and, particularly, regarding our research, about aspects of the school inclusion. We believe that the children and adolescents have what to say about inclusion, in their schools, disabled subjects, even without experiencing this process. Thus, our research sought to answer: how does the evolution of thought in children and adolescents on the recognition of difference occur, the physical environment of a regular school that has children / adolescents with disabilities; about the recognition of the disability and about the respect and cooperation of children / adolescents without disability with the children/adolescents with disability? The hypothesis that led this study was that the representations of children and adolescents about the inclusion will be changing throughout the development of the individual and since early the children have what to say about inclusion, that offer solutions and even not experiencing inclusion at school, have what to say about several issues related to school inclusion such as the recognition of difference, disability, about the physical environment of a regular school that attend children with and without disabilities, and about relationships of respect and cooperation between them and the subjects with disabilities. The actions and experiences that the subjects have can interfere in the way how they explain the process of school inclusion. The purpose of this research was to know the representation that the children and adolescents from 5 to 14 years old have about the process of school inclusion, in the regular teaching network, in the city of Viçosa, MG. We used the Piaget s Clinical Method that has as instrument of data collection, the clinical interview, constituted by basic and complementary questions and with concrete material support. Our sample was constituted of 36 children and adolescents, at the age group from 5 to 14 years old, matriculated in two municipal schools, one that attends the Children Education and another that attends the Elementary Education. We distinguished 4 levels of comprehension about the recognition of difference, physical environment, recognition of disability and about the respect and cooperation. The qualitative data analysis of the interviews indicates that, in general, the children classified in the level Pre-I do not perceive the need or do not justify their reasoning and their representations are based on the daily reality. In the level I, the representations are based in the most visible aspects of the situation, what is closer to its experience. In the level II, the children start to develop a more realistic conception regarding the inclusion and in the level III the explanations are more complex, being able to propose viable and realistic solutions for the proposed situations, characterized by the formal thought, may think about the not visible aspect of reality. The youngest children elaborate a representation from the most evident aspects and the oldest have the capacity to coordinate different variables of the problem. Listening to these children and adolescents is that we can identify their ideas and think about the role of the school, family and society regarding the school inclusion. This study is based on a wide thematic, and become necessary new studies that aim to deepen and know the representations of children and adolescents about aspects concerning as a manner to promote reflexes for a better experience and social coexistence.
Palavras-chave: Educação inclusiva
Representação de crianças e adolescentes
Conhecimento social
Método clínico piagetiano
Inclusive education
Representation of children and adolescents
Knowledge social
Piaget s Clinical Method
CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA DOMESTICA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Economia familiar; Estudo da família; Teoria econômica e Educação do consumidor
Programa: Mestrado em Economia Doméstica
Citação: SOARES, Olga Maria de Araújo. The representation of children and adolescents on school inclusion. 2012. 188 f. Dissertação (Mestrado em Economia familiar; Estudo da família; Teoria econômica e Educação do consumidor) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2012.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/3369
Data do documento: 28-Jun-2012
Aparece nas coleções:Economia Doméstica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf902,92 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.