Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/3370
Tipo: Dissertação
Título: Com a voz as crianças: um estudo sobre as representações de escola na educação infantil
Título(s) alternativo(s): Children s voices: a study on school representations
Autor(es): Costa, Bethania de Assis
Primeiro Orientador: Barreto, Maria de Lourdes Mattos
Primeiro avaliador: Pinto, Neide Maria de Almeida
Segundo avaliador: Souza, Gisele Maria Costa
Abstract: O crescente interesse pelo estudo do conhecimento social tem gerado importantes investigações sobre as representações acerca dos diferentes aspectos da sociedade. O interesse em conhecer como as crianças constroem suas representações sobre a instituição social que frequentam cada vez mais cedo e por várias horas no dia a escola e o reconhecimento de que elas são capazes de expressar suas ideias e falar sobre sua realidade é o que move este trabalho. A problemática que apresentamos foi: Que representações as crianças entre 5 e 6 anos de idade que frequentam um ambiente tradicional e um ambiente construtivista têm sobre a escola? As hipóteses que nortearam este estudo foram que as explicações das crianças sobre a escola baseiam-se em elementos que podem ser observados diretamente no contexto escolar e que as representações que elas constroem sobre a escola sofrem influências do ambiente escolar que frequentam, portanto as crianças que frequentam um ambiente construtivista e aquelas que frequentam um ambiente tradicional constroem representações diferenciadas sobre a escola. O objetivo foi conhecer as representações de escola de crianças entre 5 e 6 anos de idade que frequentam um ambiente escolar tradicional e um ambiente escolar construtivista em Viçosa, MG. Utilizou-se o método clínico piagetiano, que tem como instrumento de coleta de dados a entrevista clínica, constituída de perguntas básicas e complementares e da possibilidade de material concreto. A amostra foi constituída de 38 crianças, com 5 a 6 anos, matriculadas em duas classes da pré-escola: uma considerada ambiente construtivista e a outra, ambiente tradicional. A análise qualitativa dos dados das entrevistas evidencia como as crianças têm uma maneira peculiar de construir suas ideias sobre a realidade social, especificamente, da escola. O modo como as crianças de ambos os ambientes escolares, construtivista e tradicional, expressam suas ideias sobre a escola se assemelha no que diz respeito à forma de compreendê-la, conceituá-la e caracterizá-la. As explicações das crianças se baseiam, praticamente, no que tem na escola, no que sentem em relação à escola e no que fazem na escola. Portanto, baseiam suas explicações nos aspectos mais visíveis da situação, que lhes são diretamente observáveis e familiares. Embora tenham sido encontradas semelhanças no modo de representar a instituição escola, foi possível verificar algumas diferenças em relação aos conteúdos das respostas e dos aspectos mais ressaltados pelas crianças do ambiente construtivista e do ambiente tradicional. A principal diferença nas representações das crianças dos dois ambientes escolares foi a ênfase dada pelas crianças do ambiente tradicional ao processo ensino-aprendizagem de conteúdos escolares, enquanto as crianças do ambiente construtivista enfatizaram o brincar e as atividades que o envolvem. Ressalta-se a importância dada pelas crianças dos dois ambientes escolares aos espaços externos e aos brinquedos, o que aponta para a necessidade que crianças têm de vivenciar experiências lúdicas na escola. Este estudo é um recorte de uma realidade sobre uma temática ampla, portanto são necessários novos estudos que busquem aprofundar e conhecer o que as crianças pensam, dizem e sentem sobre a instituição escolar, considerando suas vozes como contribuições válidas para reflexão e ação em direção às mudanças necessárias.
The growing interest for social knowledge studies has generated important investigations on the representations on different aspects of society. This study is aimed at the interest to know how children construct their representations of the social institution they attend at an earlier age and for increasingly longer hours the school and the recognition that they are capable of expressing their ideas and discuss their reality. The following questions were proposed: what representations do 5- and 6-yearold children who attend a traditional school environment and a constructivist school environment have about school? The hypotheses guiding this study were that the children s conceptions about their school were based on elements that can be directly observed within the school context, and that the representations they build about the school are influenced by their school environment; thus, traditional school and constructivist school children have differentiated representations. Our objective was to learn about the representations of 5-to 6- year old children studying in a traditional school environment and in a constructivist school environment in Viçosa, MG. A Piagetian clinical method was applied, using as a collection tool a clinical interview, consisting of basic and complementary questions and the possibility of concrete material. The sample was constituted of thirty-eight 5-to-6-year old children, registered in two pre-school classes: one considered to offer a constructivist environment, and the other to offer a traditional environment. The qualitative data analysis of the interview shows how the children have a peculiar way of constructing their ideas on social reality, more specifically, on their school s reality. The way the children from both school environments express their ideas about the school reflect the way they understand it, conceptualize it, and characterize it. The children s ideas are based, practically, on what the school offers, how they feel about the school, and what they do at school. Therefore, their explanations are based on the most visible aspects, most directly observable and familiar. Although similarities have been found in the form school is represented, some differences could be verified regarding the content of the answers and those aspects which were most emphasized by the children from both school environments. The main difference in the children s representations was the emphasis given by the traditional school children to the teaching-learning process, while the constructivist school children stressed playing and playing activities. One must emphasize the importance children from both school environments gave to open-air spaces and playgrounds, indicating the need children have to experience play at school. This study covers only a fraction of a larger reality ; thus, further studies are needed to get a deeper insight on what children think , say, and feel about their school, considering their voices as valid contributions to further reflection and action toward the necessary changes.
Palavras-chave: Representação de escola
Conhecimento social
Pesquisa com crianças
Modelo clínico piagetiano
Representation of school
Social Knowledge
Research with children
Piagetian clinical method
CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA DOMESTICA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Economia familiar; Estudo da família; Teoria econômica e Educação do consumidor
Programa: Mestrado em Economia Doméstica
Citação: COSTA, Bethania de Assis. Children s voices: a study on school representations. 2012. 271 f. Dissertação (Mestrado em Economia familiar; Estudo da família; Teoria econômica e Educação do consumidor) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2012.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/3370
Data do documento: 26-Jun-2012
Aparece nas coleções:Economia Doméstica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf2,84 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.