Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/3384
Tipo: Dissertação
Título: A Escola no campo: ouvindo crianças e adolescentes da zona rural do Município de Viçosa, MG
Título(s) alternativo(s): The School countryside: listening to children and adolescents in the rural municipality of Viçosa
Autor(es): Cruz, Elenciria Oliveira da
Primeiro Orientador: Barreto, Maria de Lourdes Mattos
Primeiro avaliador: Amodeo, Nora Beatriz Presno
Segundo avaliador: Loreto, Maria das Dores Saraiva de
Abstract: Os estudos na área da educação vêm crescendo significativamente, no entanto, a educação no campo ainda não é pesquisada com tamanha frequência, como são outros temas educacionais. Considera-se que na construção de conhecimentos sobre esse tema, educação no campo , é indispensável ouvir os sujeitos que fazem uso diretamente dessa política pública. Por isso, neste trabalho procurou-se dar voz às crianças e adolescentes, residentes na zona rural, como representantes das instituições família e escola, para falarem sobre a escola que estudam. Defendemos a ideia das crianças e adolescentes como cidadãos de direito, inclusive de serem ouvidos e pesquisados. Nesse sentido, buscamos investigar: quais representações fazem as crianças e adolescentes sobre a escola do campo em que são atendidos? As hipóteses que nortearam este estudo foram que as ações e experiências desempenhadas e vividas pelos sujeitos podem interferir no modo como eles explicam ou falam sobre suas vivências na escola do campo. Suas percepções mostrariam as perspectivas de seus olhares sobre a realidade da escola do campo e, consequentemente, seria possível ter-se uma avaliação da situação atual dessas escolas. Nesse contexto, o objetivo da pesquisa foi analisar as representações que crianças e adolescentes da zona rural possuem sobre a escola do campo que frequentam. O método utilizado para coleta e análise de dados foi o método clínico piagetiano, cuja entrevista é composta de perguntas básicas e complementares. A amostra foi composta por 32 sujeitos, sendo 8 em situação de repetência escolar e 24 não repetentes, ou seja, que frequentavam a série esperada para sua idade; formando assim dois grupos de sujeitos, os repetentes e os não repetentes. Fazendo então parte da amostra, sujeitos de 5 a 13 anos de idade, matriculados do Pré-escolar ao 5o ano. A análise qualitativa dos dados das entrevistas evidenciou como as crianças e os adolescentes possuem uma forma própria de construir e demonstrar as ideias sobre vários assuntos, dentre eles, sobre a escola que frequentam. As crianças e os adolescentes baseiam suas ideias, principalmente, sobre o que tem na escola e sobre as relações que estabelecem nesse ambiente. Portanto, suas explicações estão baseadas no que lhes é perceptível e observável. Percebeu-se que, por mais que o pensamento das crianças e dos adolescentes apresentem suas limitações estruturais, próprias do estágio de desenvolvimento, eles possuem capacidade de falar sobre a escola em que estudam. Eles retrataram a escola assim como ela é em seus aspectos físico e humano, de acordo com as atividades diversas e a rotina desenvolvida e com os sentimentos que atribuem a este lugar. Por outro lado, independente de serem repetentes ou não repetentes, falam da escola que desejam, onde possam brincar nos momentos de recreação, e que tenham o privilégio de aprender brincando, para que as dificuldades com os conteúdos sejam amenizadas. O fracasso escolar é visto como falta do empenho pessoal. Nesse sentido, desejam uma escola onde a professora seja afetuosa e passe a vê-los como sujeitos ativos no processo de desenvolvimento e construção do conhecimento, para que juntos possam superar a repetência escolar. Assim, pelos resultados apresentados, as hipóteses da pesquisa foram confirmadas. Reconhece-se que essa pesquisa é apenas um recorte da realidade, fazendo-se necessário a realização de mais estudos, abrangendo mais escolas, abrangendo crianças e adolescentes com características semelhantes dos aqui pesquisados. Conclui-se que as crianças e adolescentes desejam uma escola possível, de qualidade; e estão dispostos a participar ativamente da idealização dessa escola, que não só informa conteúdos, mas prioriza a criatividade e a invenção que existe em cada sujeito e que se faz necessário para construção de cidadãos cada vez mais conscientes do mundo em que vivem e que irão construir.
Studies in education have grown significantly, however, the education in the field is still not researched so frequently, as are other educational topics. It is considered that the construction of knowledge about this issue, "education in the field", it is essential to listen to individuals who make use of this public policy directly. Therefore, this work has sought to give voice to children and adolescents living in rural areas, as representatives of the family and school institutions, to talk about the school they study. We defend the idea of children and adolescents as citizens of law, including being heard and researched. In this sense, we investigate: what representations the children and teenagers do on school field they are treated? The hypotheses that guided this study were that the actions and experiences performed and lived by the subjects may interfere on the way they explain or talk about their experiences in the school field. Their perceptions would show prospects their eyes on the reality of the field school and consequently would be possible to have an assessment of the current situation of these schools. In this context, the aim of the research was to analyze the representations that children and adolescents from rural areas have about the field school they attend. The method used for collecting and analyzing data was the Piagetian clinical method, whose interview is composed of basic and supplementary questions. The sample consisted of 32 subjects, 8 in situation of school repetition and 24 non-repeating, attending the series expected for their age, so forming two groups of subjects, repeaters and nonrepeaters. Doing so in the sample, subjects 5-13 years of age, enrolled from Kindergarten to 5th year. The qualitative analysis of interview data showed how children and adolescents have a shape to build and demonstrate the ideas on various subjects, among them about their school. . Children and adolescents based their ideas especially about in what their school has and on the relationships established in this environment. So, their explanations are based on what they are noticeable and observable. It was noticed that, even though the thought of children and adolescents show their structural limitations their own stage of development, they have the ability to talk about the school they attend. They represent the school as soon as it is in physical and human aspects according to the various activities and routine developed and the feelings that they assign to this place. On the other hand, independently of being repeating or non-repeating they speak about the school they want, where they can play in moments of recreation, and have the privilege of learn while playing, this way having experiences that makes contents' difficulties soft. School failure is seen as a lack of personal commitment. In this sense want a school where the teacher is affectionate and go to see them as active subjects in the process of development and construction of knowledge, this way they can overcome school repetition. So from the results reported the research hypotheses were confirmed. It is recognized that this research is only one piece of reality making it necessary to carry out more studies covering more schools including children and adolescents with similar characteristics of investigated here. It was concluded that children and teenagers want a possible quality school , and are willing to actively participate in the idealization of this school that not only informs contents but prioritizes creativity and invention that exists in every subject and that it is necessary to construction of citizens increasingly conscious of the world they live in and that will build.
Palavras-chave: Escola rural
Conhecimento social
Método clínico
Rural school
Social knowledge
Clinical method
CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA DOMESTICA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Economia familiar; Estudo da família; Teoria econômica e Educação do consumidor
Programa: Mestrado em Economia Doméstica
Citação: CRUZ, Elenciria Oliveira da. The School countryside: listening to children and adolescents in the rural municipality of Viçosa. 2013. 246 f. Dissertação (Mestrado em Economia familiar; Estudo da família; Teoria econômica e Educação do consumidor) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2013.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/3384
Data do documento: 25-Abr-2013
Aparece nas coleções:Economia Doméstica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf2,04 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.