Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/3472
Tipo: Dissertação
Título: Análise de métodos indiretos para avaliação da composição corporal, da prevalência de sarcopenia e fatores de risco cardiovascular e da relação entre osteopenia e mobilidade funcional de membros inferiores em mulheres não sedentárias
Título(s) alternativo(s): Analysis of indirect methods for assessing body composition, of sarcopenia and the prevalence of cardiovascular risk factors and of the relationship between osteopenia and functional mobility of lower limbs in nonsedentary women
Autor(es): Castro, Eliane Aparecida de
Primeiro Orientador: Doimo, Leonice Aparecida
Primeiro coorientador: Lima, Luciana Moreira
Segundo coorientador: Amorim, Paulo Roberto dos Santos
Primeiro avaliador: Gobbi, Sebastião
Abstract: Dentre as modificações na composição corporal decorrente do processo de envelhecimento, destacam-se a diminuição da massa livre de gordura, o aumento da gordura corporal e a redução da densidade mineral óssea. A sarcopenia corresponde à perda de massa e potência musculares ocasionadas pelo processo de envelhecimento. A manutenção de uma quantidade adequada de massa e força muscular é um fator extremamente importante nesse processo, podendo significar a independência funcional do indivíduo bem como uma menor incidência de acidentes devido à fraqueza muscular. A obesidade, caracterizada por um aumento considerável da quantidade de gordura corporal, está direta ou indiretamente relacionada a outras situações patológicas como, por exemplo, as doenças cardiovasculares. Osteopenia diz respeito à redução da massa óssea e alterações da microarquitetura do tecido ósseo, levando à diminuição da força óssea e ao maior risco de fratura, estando associada à mobilidade funcional a qual, em especial a mobilidade de membros inferiores, é extremamente importante para a capacidade de deambulação e adequada independência da pessoa idosa. Dessa forma foram propostos os seguintes estudos: Estudo 1 Objetivo: Verificar a concordância do percentual de gordura corporal (%GC) calculado através de seis equações estimativas com aquele obtido pela absorciometria por dupla emissão de raio X (DXA) em mulheres de meia-idade e idosas não sedentárias. Métodos: Amostra composta por 46 mulheres saudáveis, idade média de 65,9 ± 8,0 anos. Resultados: Apesar da alta correlação encontrada entre todas as equações e a DXA, observouse baixa concordância entre os métodos. Conclusão: Embora nenhuma das equações tenha se mostrado inteiramente confiável para estimar o %GC em mulheres de meia-idade e idosas, uma das equações pareceu ser mais vantajosa, superestimando o %GC em menor grau que as demais equações. Do ponto de vista clínico, a superestimação do %GC pode ser aceitável por implicar na adoção de hábitos de atividade física e alimentação mais saudáveis como medidas intervenientes no decréscimo de gordura corporal. Estudo 2 Objetivo: Verificar a prevalência de sarcopenia e sua associação a fatores de riscos cardiovasculares em mulheres de meia-idade e idosas não sedentárias. Métodos: A amostra foi dividida em grupo controle (GC; n = 33; 24,5 ± 2,9 anos) e grupo de estudo (GE; n = 91; 61,9 ± 8,7 anos). Foram avaliadas medidas antropométricas, parâmetros sanguíneos, composição corporal (DEXA), além da aplicação de questionários para verificação do nível de atividade física. A associação entre fatores de risco cardiovascular e sarcopenia foi verificada por modelos de regressão logística. Resultados: Sarcopenia foi definida como um desvio-padrão abaixo da média para a população jovem, considerando a soma de massa magra de membros inferiores e superiores dividida pela estatura ao quadrado, e correspondeu a 7,3 kg/m², classificando 34,1% das mulheres do GE como sarcopênicas. A prevalência do risco para desenvolvimento de doenças cardiovasculares (DCV) considerando baixo risco, risco moderado e alto risco foi, respectivamente, de 21%, 60% e 19%. Conclusão: Não houve relação estatisticamente significante entre sarcopenia e fatores de risco para DCV, exceto para o IMC como fator de proteção. Estudo 3 Objetivo: Verificar a relação entre a mobilidade funcional de membros inferiores e a osteopenia avaliada em dois sítios distintos (colo do fêmur direito (CF) e membros inferiores (MI)) em mulheres não sedentárias pós-menopáusicas. Métodos: Amostra dividida em grupo controle (GC; n = 33; 24,4 ± 2,9 anos) e grupo de estudo (GE; n = 28; 65,9 ± 4,9 anos). Para cada sitio adotado, o GE foi subdividido em grupo normal (GN) e grupo com osteopenia (GO). A densitometria óssea e a composição corporal foram avaliadas por meio da DEXA. Avaliação da mobilidade funcional de membros inferiores foi realizada através dos testes de sentar e levantar (SL), levantar e caminhar (LC) e caminhada 6 minutos (C6M). Resultados: Variáveis de composição corporal apresentaram diferenças significantes entre GC e GE. Houve diferença significante entre os grupos com e sem osteopenia na análise multivariada nos dois sítios analisados para algumas variáveis de composição corporal. Conclusão: Não houve diferença na mobilidade funcional de membros inferiores com e sem a presença de osteopenia, medida em dois sítios distintos, em mulheres não sedentárias pós-menopáusicas. Níveis de atividade física de intensidade moderada a vigorosa parecem contribuir na manutenção da mobilidade funcional mesmo com a diminuição da massa óssea.
The changes in body composition resulting from the aging process, include the reduction in fat-free mass, an increase in body fat and the reduction in bone mineral density. Sarcopenia corresponds to muscle mass and power reduction caused by the aging process. Maintaining an adequate amount of muscle mass and strength is an extremely important factor in this process and may mean the functional independence of the individual as well as a lower incidence of accidents due to muscle weakness. Obesity, characterized by a significant increase in body fat, is directly or indirectly related to other pathological conditions, for example, cardiovascular diseases. Osteopenia refers to a reduction in bone mass and changes in the microarchitecture of bone tissue and leads to decreased bone strength and increased risk of fracture, being associated with functional mobility which, in particular the mobility of the lower limbs, it is extremely important for walking capacity and adequate independence of the elderly. Thus the following studies were proposed: Study 1 Objective: Verify the body fat percentage (BF%) calculated by means of six equations estimates with that obtained by dual energy X-ray absorptiometry (DXA) in middle-aged and older physically active women. Method: Sample of 46 healthy women with mean age of 65.9 ± 8.0 years. Results: Despite the strong correlation between all the equations and DXA, there was low agreement between the methods. Conclusion: Although none of the equations has been shown to be entirely reliable to estimate BF% in middle age and older women, one of the equations seemed to be more advantageous to overestimate BF% in a lesser degree than the other equations. This, from the clinical point of view, may be acceptable to lead the adoption of physical activity habits and healthier food as measures involved in the accumulation of body fat. Study 2 Objective: Assess the prevalence of sarcopenia and association with cardiovascular risk factors in non-sedentary women. Method: The sample were distributed to control group (n = 33; 24.5 ± 2.9 years) and study group (n = 91; 61.9 ± 8.7 years). Results: Anthropometric measurements, blood parameters, body composition by DXA were performed in addition to the questionnaires. The association between cardiovascular risk factors and sarcopenia was assessed by logistic regression models. Results: Sarcopenia was defined as one standard deviation below the sex-specific mean of a young reference group, and corresponded to 7.3 kg/m² classifying 34.1% of women of the GE as sarcopenic. The prevalence of risk of developing CVD (low risk, medium risk and high risk) was respectively 21%, 60% and 19%. Conclusion: There was no statistically significant relationship between sarcopenia and cardiovascular diseases risk factors except for BMI as a protective factor. Study 3 Objective: To investigate the relationship between the functional mobility of lower limbs and osteopenia evaluated by two different sites (right femoral neck (FN) and lower limbs (LL)) in non-sedentary postmenopausal women. Method: Sample divided in control group (CG, n = 33, 24.4 ± 2.9 years) and study group (SG, n = 28, 65.9 ± 4.9 years). For each sites adopted, the SG was divided into normal group (NG) and group with osteopenia (GO). Bone densitometry and body composition were evaluated by DXA. Assessment of functional mobility of lower limbs was performed using the sitting and standing test (SS), get up and walk (GW) test and walk 6 minutes (W6M) test. Results: Body composition variables showed significant differences between CG and SG. There was significant difference between groups with and without osteopenia in the multivariate analysis in the two sites analyzed for body composition variables. Conclusion: There was no difference in the functional mobility of the lower limbs with and without the presence of osteopenia, measured at two different sites, in nonsedentary postmenopausal women. Levels of physical activity of moderate to vigorous appear to contribute to maintenance of functional mobility even with the decrease of bone mass.
Palavras-chave: Composição corporal
Sarcopenia
Fatores de risco cardiovascular
Osteopenia
Mobilidade funcional
Body composition
Sarcopenia
Cardiovascular risk factors
Osteopenia
Functional mobility
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::EDUCACAO FISICA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Aspectos sócio-culturais do movimento humano; Aspectos biodinâmicos do movimento humano
Programa: Mestrado em Educação Física
Citação: CASTRO, Eliane Aparecida de. Analysis of indirect methods for assessing body composition, of sarcopenia and the prevalence of cardiovascular risk factors and of the relationship between osteopenia and functional mobility of lower limbs in nonsedentary women. 2012. 86 f. Dissertação (Mestrado em Aspectos sócio-culturais do movimento humano; Aspectos biodinâmicos do movimento humano) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2012.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/3472
Data do documento: 19-Mar-2012
Aparece nas coleções:Educação Física

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf2,79 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.