Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/384
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.authorFaria, Eliane Rodrigues de
dc.date.accessioned2015-03-26T12:21:07Z-
dc.date.available2013-06-20
dc.date.available2015-03-26T12:21:07Z-
dc.date.issued2013-02-25
dc.identifier.citationFARIA, Eliane Rodrigues de. Comparison of different components for diagnosis of the metabolic syndrome in the adolescence. 2013. 218 f. Tese (Doutorado em Dietética e Qualidade de Alimentos; Saúde e Nutrição de Indivíduos e Populações) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2013.por
dc.identifier.urihttp://locus.ufv.br/handle/123456789/384-
dc.description.abstractA resistência à insulina está associada a alterações metabólicas como dislipidemias, hipertensão, diabetes, excesso de peso e/ou de gordura corporal, que em conjunto, caracterizam a síndrome metabólica e se comportam de forma diferente nas três fases da adolescência. Com o objetivo de comparar os componentes da síndrome metabólica entre os sexos e as três fases da adolescência, propondo um novo critério para diagnóstico da síndrome, procedeu-se a um estudo epidemiológico, de corte ransversal. Foram avaliados 800 adolescentes, de 10 a 19 anos, de ambos os sexos, de escolas públicas e privadas da zona urbana e rural do município de Viçosa-MG/Brasil, conforme as fases da adolescência: inicial (10-13 anos), intermediária (14-16 anos) e final (17-19 anos). Foram verificados os parâmetros antropométricos e de composição corporal como peso, estatura, IMC, percentual de gordura corporal, massa de gordura e livre de gordura, perímetros da cintura, quadril, relação cintura/estatura (RCE) e relação cintura/quadril (RCQ); parâmetros bioquímicos como colesterol total e frações, triglicerídeos, glicemia, insulina de jejum e ácido úrico; parâmetros clínicos como pressão arterial sistólica e diastólica e estilo de vida como hábitos alimentares, atividade física, tabagismo. O percentual de gordura corporal foi estimado por duas bioimpedâncias elétricas: BIA1 (tetrapolar horizontal); BIA2 (vertical com oito eletrodos táteis) e pelo DEXA. A resistência à insulina foi determinada utilizando-se os níveis de insulina e glicemia de jejum por meio do HOMA-IR. Utilizou-se critérios para o diagnóstico da síndrome metabólica da WHO (1998); EGIR (1999); NCEP/ATPIII (2001) e IDF (2007) com adaptações propostas para adolescentes. A análise fatorial de componente principal foi empregada na investigação do agrupamento dos componentes da síndrome metabólica e a regressão logística para avaliar os fatores associados à resistência à insulina. Utilizou-se o gráfico de Bland Altman, Índice de Kappa, calculou-se os erros totais e erros padrões de estimativa (EPE) e os valores de sensibilidade, especificidade e valor preditivo positivo e negativo na avaliação do melhor equipamento para predição de gordura corporal. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisas com Seres Humanos da Universidade Federal de Viçosa. Em relação ao estado nutricional, 21,3% apresentava excesso de peso e 43% apresentaram percentual de gordura corporal inadequado pela bioimpedância vertical com oito eletrodos. O colesterol total foi o que apresentou maior percentual de inadequação (58,6%), seguido do HDL (34,4%), LDL (33,6%) e triglicerídeos (14,8%), com diferenças em relação ao sexo e fase da adolescência. Observou-se inadequação em 10,3; 10,0; 2,9 e 0,75%, respectivamente, em relação ao HOMA-IR, insulina, pressão arterial e glicemia. A bioimpedância vertical com oito eletrodos foi mais eficaz na avaliação da gordura corporal do que a bioimpedância horizontal tetrapolar, por apresentar maior correlação e concordância com o DEXA e menores EPE. Os adolescentes da fase inicial apresentaram maiores valores de colesterol total, LDL, HDL, triglicerídeos, glicemia de jejum e relação cintura/quadril, ficavam menos tempo sentados e realizavam maior número de refeições (p<0,05). A resistência à insulina esteve associada à inadequação na composição corporal, nos níveis bioquímicos e no estilo de vida, sendo diferente para cada fase da adolescência. A prevalência da síndrome metabólica variou de 0,4-5,7% de acordo com o critério utilizado, não se observando diferença por sexo e fase (p>0,05). A análise fatorial reduziu onze variáveis inter-relacionadas a um conjunto de quatro fatores, comportando-se de forma diferente para cada fase da adolescência, sendo que o fator 1 relacionado às alterações da composição corporal (IMC, perímetro da cintura, RCE e percentual de gordura corporal) explicaram aproximadamente 30% da variância total. Observou-se que 9,8% apresentavam risco para a síndrome metabólica pelo critério sugerido neste estudo, considerando o percentil 90 das variáveis e 14,6% considerando os pontos de corte estabelecidos pela curva ROC. Sugere-se mais estudos para padronizar a síndrome metabólica em adolescentes bem como mais estudos que confirmem a utilização de um novo critério para diagnosticar o risco de apresentar síndrome metabólica considerando a presença de uma alteração na composição corporal mais duas inadequações (níveis lipídicos, resistência à insulina, ácido úrico, pressão arterial), utilizando pontos de corte segundo sexo e fase. A alta prevalência desses distúrbios metabólicos e o estilo de vida inadequado apresentados podem comprometer a saúde atual e futura destes adolescentes, justificando a necessidade de intervenção constante junto a esta população, reforçando a importância de programas específicos de atenção à saúde do adolescente.pt_BR
dc.description.abstractInsulin resistance is associated to metabolic disorders such as dyslipidemia, hypertension, diabetes, overweight and/or body fat, which together characterize metabolic syndrome and behave differently in the three phases of adolescence. Aiming to compare the components of the metabolic syndrome between the genders and the three phases of adolescence, proposing new criteria for diagnosing the syndrome, we proceeded to an epidemiological cross-sectional study. 800 adolescents were evaluated, aged from 10 to 19 years old, from both sexes, from public and private schools from urban and rural areas of Viçosa-MG/Brazil county, considering the stages of early (10- 13 years), intermediate (14-16 years) and late adolescence: (17-19 years). We checked the anthropometric and of the body composition parameters such as weight, height, BMI, body fat percentage, fat mass and fat-free mass, waist perimeter, hip perimeter, waist/height relation (WHR) and waist/hip ratio (WHR), biochemical parameters such as total cholesterol and fractions, triglycerides, blood glucose, fasting insulin and uric acid; clinical parameters such as systolic and diastolic blood pressure and lifestyle such as diet, physical activity, smoking. The percentage of body fat was estimated by two electric bioimpedances: BIA1 (horizontal tetra polar); BIA2 (vertical with eight tactile electrodes) and by DEXA. Insulin resistance was determined using insulin levels and fasting blood glucose by means of HOMA-IR. Criteria for diagnosis of metabolic syndrome by WHO (1998); EGIR (1999); NCEP / ATPIII 2001) and IDF (2007) were used with adjustments proposed to adolescents. The principal component factor analysis was used to investigate the clustering of metabolic syndrome components and logistic regression to assess factors associated with insulin resistance. We used the Bland Altman graph, Kappa index, calculated the total errors and standard errors of estimate (SEE) and the values of sensitivity, specificity, and positive and negative predictive value in assessing the best equipment for predicting body fat.This study was approved by the Ethics Committee on Human Research of the Federal University of Viçosa. Regarding nutritional status, 21.3% were overweight and 43% had inappropriate body fat percentage by vertical bioimpedance with eight electrodes. Total cholesterol showed the highest percentage of inadequacy (58.6%), followed by HDL (34.4%), LDL (33.6%) and triglycerides (14.8%), with differences according to gender and adolescence stage. Inadequacy was observed at 10.3, 10.0, 2.9 and 0.75%, respectively, relative to HOMAIR, insulin, blood pressure and blood glucose. Vertical bioimpedance with eight electrodes was more effective in assessing body fat than the horizontal tetrapolar bioimpedance, by presenting higher correlation and agreement with DEXA and smaller EPE. The adolescents from the initial phase had higher levels of total cholesterol, LDL, HDL, triglycerides, fasting glucose and waist/hip ratio, they were less time sitting and had more meals (p<0.05). Insulin resistance was associated to inadequate body composition, in biochemical levels and lifestyle, being different for each phase of adolescence. The prevalence of metabolic syndrome ranged from 0.4 to 5.7% depending on the criterion used, there were no gender or phase differences observed (p>0.05). Factor analysis reduced eleven interrelated variables to a set of four factors, behaving differently for each phase of adolescence, being the factor 1 related to changes in body composition (BMI, waist perimeter, WHR and body fat percentage) explained about 30% of the total variance. It was observed that 9.8% were at risk for metabolic syndrome by the criteria suggested in this study, considering the 90th percentile of the variables and 14.6% considering the cutoff points established by the ROC curve. Further studies to standardize the metabolic syndrome in adolescents and more studies confirming the use of a new test to diagnose the risk of having metabolic syndrome considering the presence of a change in body composition over two mismatches are suggested (lipid levels, resistance insulin, uric acid, blood pressure) using cutoffs points according to gender and phase. The high prevalence of these metabolic disorders and inappropriate lifestyle shown may compromise the present and future health of these adolescents, justifying the need for constant intervention in this population, reinforcing the importance of specific attention to adolescent health.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Viçosapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectSíndrome metabólicapor
dc.subjectAdolescênciapor
dc.subjectMetabolic syndromeeng
dc.subjectAdolescenceeng
dc.titleComparação de diferentes componentes para o diagnóstico da síndrome metabólica na adolescênciapor
dc.title.alternativeComparison of different components for diagnosis of the metabolic syndrome in the adolescenceeng
dc.typeTesepor
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/7393973855594382por
dc.contributor.advisor-co1Franceschini, Sylvia do Carmo Castro
dc.contributor.advisor-co1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4766932Z2por
dc.contributor.advisor-co2Peluzio, Maria do Carmo Gouveia
dc.contributor.advisor-co2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4723914H4por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentDietética e Qualidade de Alimentos; Saúde e Nutrição de Indivíduos e Populaçõespor
dc.publisher.programDoutorado em Ciência da Nutriçãopor
dc.publisher.initialsUFVpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::NUTRICAOpor
dc.contributor.advisor1Priore, Sílvia Eloiza
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4766931D6por
dc.contributor.referee1Freitas, Sílvia Nascimento de
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9326302409501941por
dc.contributor.referee2Lima, Luciana Moreira
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/2013048264104100por
Aparece nas coleções:Ciência da Nutrição

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf1,65 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.